Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: Pé Diabético

Pé Diabético


Cerca de 13 milhões de pessoas (cerca de 7 por cento da população do Brasil) têm a Diabetes Mellitus. O diabetes é uma doença silenciosa e uma das mais importantes complicações é o chamado Pé diabético.

O que é o pé diabético?
O pé diabético é assim chamado devido as constantes feridas causadas por ausência de sensibilidade ( o paciente não sente que esta machucando o local e também pelos danos a micro circulação arterial causado pelo diabetes ( as arteríolas ficam entupidas)

Por que ocorre o pé diabético?
O pé diabético ocorre devido ao comprometimento do sistema nervoso (neuropatia) que é uma das principais complicações que podem causar a perda de sensibilidade nos pés provocando dormência, formigamento, parestesias, etc. Isto significa que o paciente não percebe que está machucando o local

O pé diabético é muito frequente?
O pé diabético afeta cerca de 60 por cento das pessoas com diabetes. Problemas nos pés são um grande problema nos pacientes diabéticos aproximadamente 25% de todas as internações por complicações do diabetes estão relacionados ao pé diabético no Brasil!
Quais os cuidados que o paciente diabético deve ter com os pés?
Os pacientes com diabetes devem monitorar os pés todos os dias. Ao sair do banho ele deve enxugar cada artelho individualmente e procurar por áreas avermelhadas ou escurecidas. O diagnóstico precoce é o mais importante. Frequentemente o paciente com comprometimento da micro circulação dos pés tem também microangiopatia retiniana com consequente diminuição da acuidade visual, nesses casos a esposa ou o filho deve monitorar os pés do paciente pois ele talvez não enxergue direito.

Quais os cuidados com os sapatos?
A escolha do calçado é uma das partes mais importantes, verifique se alguma parte do pé está mais pressionada pelo sapato ou sandália. Não acredite somente na sensibilidade, use o sapato algumas horas e verifique se alguma parte do pé está com uma moça (amassado) caso encontre essa região amassada e não senta dor no local troque de sapato. Caso o paciente continue usando as consequências podem ser graves, inclusive amputação, ou pior.

Quais os problemas com os calos? 
O calo no pé significa sempre que há uma maior pressão no local, um calo pode ficar sem vascularização e abrir uma ferida, ao surgir um calo no pé de um paciente diabéticos procure imediatamente um ortopedista.

Quais os perigos do pé diabético?

Pequenas lesões tornam-se grandes emergências antes que o paciente perceba. Com um pé diabético, uma ferida tão pequena quanto uma bolha por usar um sapato um pouco apertado pode causar dano sérios. O Diabetes diminui o fluxo de sangue levando a uma diminuição na velocidade de cicatrização. Quando o ferimento não cura, há um maior risco para a infecção. Nos pacientes diabéticos a infecção pode se espalham rapidamente.
Se você tem diabetes, você deve inspecionar seus pés todos os dias. Procure por perfurações, contusões, áreas de pressão, vermelhidão, calor, bolhas, úlceras, arranhões, cortes e problemas nas unhas.

Peça a alguém para ajudá-lo, ou use um espelho.

Verifique se o pé está inchado.
Examine entre os dedos.
Confira seis locais principais na parte de baixo de cada pé:
A ponta do dedão do pé,
base dos dedos do pé mindinho,
base dos dedos do meio,
área do calcanhar,
borda externa do pé e outro lado da bola do pé.
Verifique se há sensibilidade em cada pé.
Se você encontrar qualquer lesão, não importa quão pequena não tente tratá-la você mesmo. Vá a um médico imediatamente.

Dicas para Cuidar de seus pés:

* Lave os pés todos os dias com sabão neutro e água morna. Teste a temperatura da água com a mão primeiro. Não deixe os pés molhados. Ao secá-los, muito cuidado para secar entre os dedos.
* Use uma loção de qualidade para manter a pele dos pés macia e hidratada - mas não colocar qualquer loção entre seus dedos.
* Corte as unhas do dedo do pé em linha reta. Evite cortar os cantos das unhas. Use uma lixa de unha . Se você encontrar uma unha encravada, consulte o seu médico.
* Não utilize soluções anti-sépticas, medicamentos de farmácia, almofadas de aquecimento ou instrumentos afiados em seus pés. Não coloque os pés sobre locais quentes como na frente de uma lareira.
* Mantenha sempre os pés quentes. Use meias na hora de dormir. Evite molhar os pés na chuva. Use meias quentes e calçados impermeáveis.
* Não fumar ou sentar de pernas cruzadas. O cigarro e as pernas cruzadas diminuem a oferta de sangue para os pés.

Dicas Sobre sapatos e meias
* Prefira calçados fechados isso diminui a chance de ferir o pé caso você dê uma topada.
* Escolha seus sapatos com cuidado. Compre sapatos novos no final do dia quando os pés estão maiores (inchados). Comprar sempre sapatos confortáveis. Verificar o comprimento, largura, região do calcanhar, região plantar, etc. Evite saltos altos. Tentar obter sapatos feitos com material de couro superior e com a caixas dos dedos com boa profundidade e largura (pico quadrado). Usar sapatos novos por apenas duas horas ou menos de cada vez. Inspecionar o interior de cada sapato antes de colocá-lo. Não use seus sapatos muito apertados ou nem muito frouxos.
* Escolha as meias com cuidado. Usar meias secas e limpas todos os dias. Evite meias com furos ou rugas. Meias de algodão fino são mais absorvente o verão. As meias não devem apertar seus dedos. Evite meias com elásticos.

Deformidades do Pé
Quando os pés perdem a sensibilidade, eles correm o risco de tornar-se deformados. Uma forma disto acontecer é através de úlceras. Feridas abertas podem ser infectados. Outra forma é uma doença por insensibilidade das articulações denominada Artropatia de Charcot. Esta é um dos problemas mais graves do pé. Ela provoca deformidade do pé, a pé fica insensível, o paciente pode ter uma fratura e continuar andando pois não sente dor. Com o passar dos meses e dos anos o pé vai deformando. 
Um ortopedista pode tratar as úlceras do pé diabético nas fases iniciais das fraturas Charcot com um gesso de contato total. Isso permite que a úlcera cicatrize através da distribuição de peso e alivio da pressão na região da úlcera.
A cirurgia é considerada se a sua deformidade do pé é muito grave e não é passível de tratamento com uma órtese adequada.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 25/10/2011

4 comentários:

  1. Dr. marcos, minha mãe sofreu um atropelamento e quebrou o tornozelo em dois lugares...foi operada e colocaram platina, so que ela é diabetica e os pontos depois de retirados abriram a ferida... vejo a platina, os médicos dissem que somente curativo é pra fazer...o que acha..será mesmo que ñ fecha por causa da diabetes...

    ResponderExcluir
  2. Pacientes diabéticos tem maior dificuldade de cicatrização, esse é um quadro que deve ser monitorado com atenção.

    ResponderExcluir
  3. Dr. Marcos, em 2003 minha mae (hoje 49anos) sofreu um acidente e nele fraturou o tornozelo, essa lesão a deixou com sequelas serias, dores constante e atrapalhou sua deambulação normal... as dores são pela falta da cartilagem perdida... Dr. Marcos tem algum cirurgia ou conduta que resultaria na cura da minha Mãe?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim existem cirurgias para tratar as sequelas da fratura do tornozelo

      Excluir

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG

http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html

Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Postagens mais lidas na última semana