Navegação em 3D melhora a Cirurgia do Quadril

Os dados foram apresentados do pôster P476 e sugerem que a navegação tridimensional (3D) pode aumentar a precisão da colocação de parafusos sacrilíacos percutâneos. A novagação em 3D foi comparada com a técnica convencional de fluoroscopia ou com a navegação bidimensional (2D).
Os autores realizaram um estudo retrospectivo dos dados coletados num estudo multicêntrico, prospectivo, randomizado e controlado. Eles identificaram 130 pacientes no banco de dados cujos registros tinham todas as informações necessárias para análise. Os pacientes foram classificados em dois grupos com base na presença ou ausência de dismorfismo do sacro.
“O Dismorfismo do sacro foi avaliado em tomografia computadorizada (TC)”, escreveram os autores. “o disforfismo sacral com uma inclinação aguda da asa do sacro pode dificultar  o uso seguro da densidade do córtex ilíaco como um marco radiográfico”.
Os paciente foram avaliaram por um cirurgião de pelve independente. além dos cinco cirurgiões que participaram do estudo. Todos os observadores estavam cegos em relação a técnica usada na colocação dos parafusos sacrais.

As avaliações foram realizadas pelo menos 1 ano após a cirurgia inicial. Para serem considerados fora do lugar, pelo menos dois dos seis avaliadores tiveram de concordar que o parafuso estava mal posicionado.
Nenhum parafuso deslocado em subgrupos 3D
Os autores descobriram que 11,9% dos pacientes no grupo não dismórficos apresentavam parafusos mal posicionados. No entanto, nenhum dos pacientes do segmento de navegação 3D desse grupo apresentava parafusos mal posicionados.
Do total de paciente 16,1% apresentavam dismorfismo sacral, nesse grupo a percentagem de pacientes com parafusos mal posicionados foi de 28,5% , 2,5 maior que o grupo não dismórfico. Nesse grupo os achados se repetiram e todos os pacientes com parafusos mal posicionados estavam concentrados nos casos onde foram usadas fluoroscopia convencional.
Na avaliação dos casos houve acordo entre todos os avaliadores em 32% dos casos. A corcordância geral foi na média de 69%.
Com base nestes dados, os autores recomendam o uso da navegação em 3D, onde disponível, para a inserção do parafuso Sacro Iliacos. Eles afirmam que isso pode ser especialmente importante em pacientes com segmentos sacrais dismórficos.

Esse trabalho mostra uma aplicação muito importante da nagegação 3D em ortopedia que a alguns anos atrás estava restrita a colocação de próteses.

Trabalho apresentado no Congresso da Academia Americana de Cirurgiões ortopédicos de Chicago 2013.

Dr. Marcos Brito da Silva
Ortopedia, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ
atualizado em 16/06/2013

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Fratura de tíbia - Diafisaria

Cisto de Baker no Joelho

Entorse do Tornozelo

Bula do Addera D3

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),