Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: 07/01/2013 - 08/01/2013

Calcaneodinia ou Talalgia

O dor na região posterior do pé é uma das dores mais frequentes do Ortopedista, principalmente do cirurgião ortopedista especialista em pé. O Cirurgião de pé  denomina essa dor de calcaneodinia (algumas vezes essa dor é chamada de talalgia). Uma das causas mais frequentes dessa dor é a fascite plantar.
O que é o Fascia Plantar?
R. O fascia plantar é um ligamento que se origina no aspecto medial da face inferior do osso calcâneo e se insere na base das falanges proximais dos artelhos. A sua principal função e manter o arco plantar.
O que é fascite Plantar?
A fascite é uma inflamação no fáscia plantar, comumente na sua inserção junto ao osso calcâneo. Frequentemente surge na região um osteófito também chamado de esporão de calcâneo. Outros nomes são: bico de Galo ou de Papagaio. Em inglês a fascite palntar é chamada de Plantar Heel Pain
O que é o esporão de calcâneo?
R. O esporão de calcâneo é uma calcificação que surge na região inferior da osso do calcâneo causada por microtraumas repetidos nessa região.
O esporão de calcâneo espeta e causa a dor na fascite plantar?
R. Não. A dor é causada por uma inflamação na região. O esporão é uma calcificação na origem de tendões e ligamentos nessa região do calcâneo. Essa calcificação ocorre em outras partes do corpo como a coluna e o ombro ou mesmo na parte posterior do calcâneo ( inserção do tendão de Aquiles ).
Porque ocorre a calcificação no esporão de calcâneo?
R. A calcificação ocorre devido a microtraumas repetidos na região, ocorrem pequenas rupturas na inserção dos ligamentos e tendões e inicia-se o processo de cicatrização. Devido a fatores locais ( liberação de substâncias inflamatórias) ocorre uma metaplasia ( processo de cicatrização com células diferentes das células habituais da região) e surge um tecido calcificado na origem dos ligamentos e tendões. De modo simplificado é como se o osso crescesse para dentro dos ligamentos.
O esporão de calcâneo é muito frequente?
Sim, O esporão de calcâneo está presente numa parcela significativa da população. Lembrando não é o esporão de calcâneo que espeta e causa a dor, portanto observamos o esporão em pessoas sem dor na região.
Se o esporão não causa a dor porque meu ortopedista disse que eu estou com esporão de calcâneo?
R. O esporão de calcâneo é um signo (sinal) radiológico que está presente em todas as pessoas que sofreram ao longo dos meses (ou dos anos) um microtraumatismo na região. Ter esporão de calcâneo não é igual a ter dor e não é necessário operar o esporão para curar a dor. Muitas vezes o médico ( ortopedista, reumatologista, fisiatra, etc.) usa termos mais simples para que o paciente tenha uma idéia da sua patologia. Resumidamente pacientes com esporão de calcâneo tem uma grande incidência de calcaneodinia. A calcaneodinia (com dor na região inferior da calcâneo) é pouco frequente em pacientes sem o esporão e no futuro esses pacientes podem apresentar o esporão. O explicação para isso e simples: a dor é causada pela inflamação no local, a inflamação por sua vez é causada por microtrauma. Para aparecer a calcificação (o esporão) são necessários vários meses ou anos com microtrauma na região e deve ocorrer a metaplasia no local. Se faltar um desses fatores não aparecerá o esporão. " Em medicina pas toujours ou jamais " Em medicina nem sempre nem nunca.
Qual a incidência de Fascite Pantar?
Segundo Peter Toomey uma em cada dez pessoas irá apresentar fascite plantar ao longo da vida.
Quando surge a fascite plantar?
R A fascite plantar surge em geral após os 30 anos de idade e o pico de incidência ocorre entre os 40 e 60 anos. Pacientes com fascite plantar bilateral com menos de 30 anos de idade podem apresentar esponliloartropatias reumáticas.
Quais pessoas sofrem mais com a fascite plantar?
R. Pacientes obesos, Pacientes com qualquer peso e que fizeram longas caminhadas ou ficaram muito tempo em pé em superfícies duras, pacientes com diminuição da dorsiflexão do tornozelo e corredores.
Qual o tratamento da fascite plantar?
A fascite plantar é tratada habitualmente com antinflamatórios orais, tópicos, injetáveis, ou injeções locais (infiltrações). Tratamentos tópicos como agua morna com sal no final do dia também são úteis. Alguns casos também se beneficiam de alongamentos e fisioterapia analgésica. A cirurgia também é uma possibilidade, porém, somente para casos específicos. Converse com seu ortopedista. ele saberá orientar o melhor tratamento para o seu caso.

Ortopedista, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 05/07/2013

Lesão Meniscal no Joelho

O joelho é a maior  articulação do corpo e uma das mais vulneráveis a lesões. As lesões meniscais são extremamente comuns no joelho. Com um bom diagnóstico, tratamento e reabilitação, os pacientes freqüentemente retornam as atividades anteriores a lesão meniscal.
  • Lesão do menisco (menisco Interno e menisco externo)
  • Anatomia do joelho - Menisco
  • Descrição da lesão meniscal
  • Causas da lesão do menisco
  • Sintomas da rutura do menisco
  • Exame Médico do joelho com lesão meniscal
  • Lesão Meniscal Grau I, II e III
  • Tratamento da lesão meniscal
A lesão do menisco é uma lesão frequente?
Sim, as roturas meniscais estão entre as lesões de joelho mais comuns. Os atletas, particularmente aqueles que praticam esportes de contato, estão em risco de rupturas meniscais. No entanto, qualquer pessoa em qualquer idade pode lesar um menisco. Quando as pessoas falam de uma lesão na cartilagem no joelho, elas estão geralmente se referindo a um rompimento do menisco.

Qual a lesão de menisco mais frequente?
O menisco mais lesado é o menisco interno ou menisco medial. O menisco lateral também é lesado porém essa lesão é mais rara.

A anatomia do joelho
Três ossos se encontram para formar o  joelho: o fêmur (fêmur), tíbia (tíbia), e  rótula (patela).

Meniscos são duas peças em forma de cunha de fibrocartilagem que agem como "amortecedores" entre o fêmur e a tíbia. Eles são resistentes e elásticos para ajudar a amortecer a articulação e mantê-la estável. 

Descrição da lesão meniscal
Os meniscos rompem de maneiras diferentes. Lesões são classificadas por sua aparência e localização. Lesões comuns incluem longitudinal, transversa,  Flap, alça de balde e lesões complexas.

As lesões de menisco são sempre lesões isoladas?
Não, muitas vezes a lesão meniscal está associada a lesão ligamentar (Lesão  do LCA-Ligamento Cruzado Anterior) e lesões condrais. 

Quais as causas da lesão do menisco?
Lesões repentinas de menisco geralmente acontecem durante a prática desportiva. As lesões em geral ocorrem com movimentos de agachamento e ao girar  o joelho. O contato direto como no futebol às vezes está envolvido.

Lesão meniscal em pacientes com mais de 55-60 anos
As pessoas mais velhas são mais propensas a ter lesão meniscal degenerativa.  Basta rodar um pouco mais o joelho ao levantar de uma cadeira. Pequenos  movimentos podem ser suficientes para provocar uma lesão se os meniscos estiverem enfraquecidos com a idade.

O que os pacientes sentem no momento da lesão meniscal?
Alguns pacientes relatam um  "pop" ( misto de barulho com sensação de estalo no joelho) quando lesa um menisco. A maioria das pessoas conseguem  andar sobre o joelho com lesão meniscal. Muitos atletas continuar jogando com uma lesão meniscal. Com a passar dos dias (2 a 3 dias), o joelho vai gradualmente se tornando mais duro e inchado.

Quais os sintomas mais comuns de lesão meniscal?
* Dor
* Rigidez, inchaço e derrame articular ( água no joelho)
* Sensação de bloqueio no joelho - dificuldade para dobrar e esticar a articulação
* Sensação que o joelho "está fora do lugar"
Sem tratamento, um pedaço do menisco  pode se soltar e flutuar dentro da articulação fazendo com o joelho trave (semelhante a uma cavilha colocada numa engrenagem que emperra o movimento)

Diagnóstico com Exame Físico 
Depois de discutir os sintomas e história médica, palpamos a interlinha articular, dor a palpação dessa região em geral provoca dor nas lesões meniscais.
Em casos de duvida podemos usar testes especiais como o teste de McMurray.

Exames de Raios-X.
As Radiografias simples não mostram as lesões meniscais porém podem apresentar outras causas de dor no joelho, como a artrose.

Qual exame de imagem é usado para diagnosticar a lesão de menisco?
O exame padrão ouro para diagnóstico da lesão de menisco é a ressonância magnética (RM).

Qual a classificação das lesões meniscais?
A lesão do menisco e classificada em 3 graus, Grau I: lesão intrasubstancial do menisco, não se estende a superfície , Grau II: lesão do menisco que se estende a uma das superfícies, Grau iii, lesão que se estende as duas superfícies ( superior e inferior)

Como é feito o tratamento da lesão de menisco?
O tratamento vai depender do tipo, tamanho e localização da lesão meniscal .
A parte externa do terço periférico do menisco tem um rico suprimento sanguíneo e é chamada de zona vermelha. Uma lesão na zona "vermelha" pode curar sem cirurgia, ou muitas vezes podem ser reparados com cirurgia. (meniscorrafia) Um corte longitudinal é um exemplo deste tipo de lesão.
Em contraste, os dois terços internos do menisco não tem um suprimento de sangue e se nutrem através do liquido sinovial, essa região é chamada de zona branca. Sem os nutrientes do sangue, as lesões nesta zona "branca" não cicatrizam. As lesões são muitas vezes complexas e apresentam afilamento na cartilagem da tíbia e do fémur que ficam apoiadas nessa região do menisco. As lesões nessa região são tratadas cirurgicamente com meniscectomia parcial.
As lesões em pacientes mais velhos em geral são lesões degenerativas e muitas vezes não são operadas.

O tratamento Conservador da lesão meniscal (não cirúrgico)
O protocolo RICE (arroz em inglês) é eficaz para a maioria das lesões esportivas. RICE significa descanso, gelo, compressão e elevação.(rest, ice, compression, elevation)
* Rest. Repouso e aliviar a carga, andar com um par de muletas
* Ice. Gelo por 20 minutos várias vezes ao dia. Não aplique gelo diretamente sobre a pele.
* Compression.  Bandagem elástica de compressão tipo joelheira
* Elevação. Para reduzir o inchaço, colocar o joelho num nível mais alto que o  coração.
Antinflamatórios podem ajudar a melhorar o quadro algico.

Tratamento Cirúrgico
A artroscopia do joelho é um dos procedimentos cirúrgicos mais realizados. Nele, uma microcâmera é introduzida através de uma pequena incisão. Isso proporciona uma visão clara do interior do joelho. Inserimos instrumentos cirúrgicos ortopédicos em miniatura através de outra pequena incisão para cortar ou reparar a lesão.

Fisioterapia pós operatória.
Recomendamos exercício físico regular para restaurar a mobilidade e força do joelho. O paciente precisa realizar exercícios para melhorar a amplitude de movimentos. Exercícios de fortalecimento são gradualmente adicionados ao  plano de reabilitação.
A maior parte da reabilitação pode ser feita em casa, porém muitos paciente requerem fisioterapia com auxílio de um fisioterapeuta.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 20/06/2014.

Leia Mais sobre Condropatia patelar

Google+ Followers