Dor na Perna


  O que é um compartimento?

Os compartimentos são agrupamentos de músculos, nervos e vasos sanguíneos em seus braços e pernas. Ao redor  desses tecidos há uma membrana resistente chamado fáscia. O papel dessa membrana fáscia é a de manter os tecidos no local, e, portanto, a fáscia não estica ou expande facilmente.A área entre o joelho e o tornozelo tem quatro compartimentos principais: anterior, lateral, posterior superficial, posterior profundo.

O que é a Síndrome Compartimental crônica ? 
A síndrome compartimental é uma condição dolorosa que ocorre quando a pressão dentro dos músculos se eleva a níveis perigosos. Esta pressão pode diminuir o fluxo sanguíneo, o que impede a nutrição e a oxigênação adequada do nervo e colocando as células musculares em isquemia.

Quais os tipos de Síndrome compartimental?
A síndrome do compartimental pode ser aguda ou crônica. A Síndrome Compartimental Aguda é uma emergência médica. Ela é geralmente causada por um ferimento grave. Sem tratamento, pode levar a lesões musculares permanentes devido a destruição muscular e neurológica.
Síndrome compartimental Crônica, também conhecida como síndrome do compartimento de esforço, em geral não é uma emergência médica. É mais freqüentemente causadas por esforço repetido em atletas.
 
 
Como surge a Sindrome Compartimental na perna? A síndrome do compartimento se desenvolve quando o inchaço ou o sangramento ocorre dentro de um compartimento. A fáscia não estica, isso pode levar a um aumento da pressão sobre os vasos capilares, nervos e músculos no compartimento. O fluxo sanguíneo para as células musculares e nervosas é interrompido. Sem um fornecimento constante de oxigênio e nutrientes, as células nervosas e musculares podem ser danificadas.Na síndrome compartimental aguda, a menos que a pressão seja aliviada rapidamente, invalidez permanente e morte dos tecidos podem ser o resultado.  Isso não costuma acontecer na síndrome compartimental crônica (esforço). O que é Síndrome de compartimental Crônica ? ( Sindrome Compartimental do Corredor)  A dor e o inchaço da síndrome compartimental crônica é causada pelo exercício ou mesmo caminhar. Os atletas que participam de atividades com movimentos repetitivos, tais como corrida, ciclismo ou natação, são mais propensos a desenvolver síndrome compartimental crônica. Isso geralmente é aliviada pela interrupção do exercício, pessoas com dor na região antero lateral da perna que surge sempre que anda ou corre deve procurar um ortopedista.
 
Quais os Sintomas da Síndrome do Compartimental Aguda? 
    
* Também pode haver formigamento ou sensação de ardor (parestesias) na pele.
    
* O músculo ficar dolorido e endurecido
    
* Torpor ou paralisia prolongados são sinais de síndrome compartimental. A permanencia desses sintomas pode indicar lesão tecidual permanente.
 
Quais os Sintomas da Síndrome de Compartimento Crônica?
 A Sindrome compartimento Crônica provoca dor ou cãibras durante o exercício ( em angumas situações basta caminhar 2 quarteirões). Esta dor desaparece quando paramos a atividade. Ela ocorre mais freqüentemente nas pernas. Os sintomas podem incluir:
    
* Dormência
    
* Dificuldade para mover o pé
    
* Músculo com
abaulamento visível (inchaço localizado) 
    * Músculo endurecido
 

Diagnóstico da Síndrome de compartimento Crônica (por exercícios) Para diagnosticar a síndrome compartimental crônica, o ortopedista /médico do esporte deve excluir outras condições que também podem causar dor na perna. Por exemplo, o médico pode pressionar seus tendões para se certificar de que você não tem tendinite.  
Radiografias, Doppler e Ressonancia podem sugerir outros diagnósticos

Como é tratamento da síndrome de compartimental Crônica? 
Tratamento não cirúrgico. A fisioterapia, palmilhas para calçados, e os medicamentos anti-inflamatórios são muitas vezes sugeridos. Eles tiveram resultados questionáveis ​​para aliviar os sintomas.A maioria dos sintomas podem desaparecer evitando a atividade que causou a doença. Treinamento com atividades de baixo impacto pode ser uma opção. Alguns atletas têm sintomas que são piores em determinadas superfícies (concreto vs pista de atletismo, ou grama artificial vs grama). Os sintomas podem ser aliviados por comutação das superfícies. 
O tratamento cirúrgico. Se as medidas conservadoras falham, a cirurgia pode ser uma opção. Semelhante à cirurgia para a síndrome compartimental aguda, a operação é projetado para abrir a fáscia dando mais espaço para os músculos e permitindo que eles inchem sem provocar um aumento permanente  da pressão intracompartimental. Geralmente, a incisão na pele para a síndrome compartimental crônica é menor do que a incisão para a síndrome compartimental aguda. Além disso, esta cirurgia é um procedimento eletivo - não uma emergência


Dr Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

06/01/2018

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Fratura de tíbia - Diafisaria

Cisto de Baker no Joelho

Entorse do Tornozelo

Bula do Addera D3

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),