Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: 2009

Carta da SBOT aos Ortopedistas Brasileiros

 Brasília, 13 de novembro de 2010.

Carta aos Ortopedistas
A SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia) apóia a iniciativa do Conselho Federal de Medicina (CFM) de discutir a escolha dos materiais implantáveis entre os médicos e empresas de medicina suplementar e sistema único de saúde, haja vista as dificuldades que atualmente  encontramos nas autorizações dos procedimentos e materiais.
Entretanto, diante da repercussão e da forma como a resolução está sendo interpretada por algumas empresas de medicina suplementar, a SBOT entende a necessidade de esclarecer sua interpretação sobre a resolução como um todo:
1.       O médico assistente é quem indica o tipo de material implantável que melhor atende as necessidades de seu paciente, devendo apenas justificar sua escolha de forma técnica.
2.       A qualidade do material utilizado para implantação também é importante na indicação do implante.
3.       Quando for disponibilizado ao médico material que considere inadequado, pode indicar até 3 fornecedores que atendam a sua necessidade. Quando não houver 3 fornecedores, pode justificar a inexistência, assim como justificar de forma técnica sua opção por um fornecedor.
4.       O artigo terceiro veda ao médico assistente requisitante a exigência de fornecedor ou marca comercial exclusiva, entretanto, quando houver apenas um fornecedor de um tipo de implante necessário, pode o médico assistente requisitante justificar clinicamente a sua indicação.
5.       O auditor deve se identificar quando da autorização e negativa para o médico assistente.
6.       Quando houver divergência entre o auditor médico e o médico assistente, um especialista da área deve ser indicado de comum acordo entre as partes para mediar, recebendo os honorários médicos a empresa de medicina suplementar por sua atuação.
7.       Nas situações de urgência não se aplicam os prazos estipulados na resolução, devendo a resposta do convênio ser imediata.

Ciente das dificuldades e pressões sofridas pela ação individual do ortopedista junto às operadoras, solicitamos que seja feito comunicado à SBOT de todas as situações enfrentadas, devendo para tanto serem informados: operadora de saúde e situação observada. A ANS já se colocou a disposição para interpor junto à operadora de saúde ação para solução dos problemas observados.


SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA
COMISSÃO DE CONTROLE DE MATERIAL ORTOPÉDICO

Esporão de Calcâneo - Fascite Plantar

O dor na região posterior do pé é denominada da calcaneodinia (algumas vezes essa dor é chamada de talalgia). Uma das causas mais frequentes dessa dor é a fascite plantar.
O que é o Fascia Plantar?
R. O fascia plantar é um ligamento que se origina no aspecto medial da face inferior do osso calcâneo e se insere na base das falanges proximais dos artelhos. A sua principal função e manter o arco plantar.
O que é fascite Plantar?
A fascite é uma inflamação no fáscia plantar, comumente na sua inserção junto ao osso calcâneo. Frequentemente surge na região um osteófito também chamado de esporão de calcâneo. Outros nomes são: bico de Galo, esporão de galo ( leia sobre esporão de galo nesse outro artigo) ou de Papagaio. Em inglês a fascite palntar é chamada de Plantar Heel Pain
O que é o esporão de calcâneo?
R. O esporão de calcâneo é uma calcificação que surge na região inferior da osso do calcâneo causada por microtraumas repetidos nessa região.
O esporão de calcâneo é a mesma coisa que esporão de Galo?
Não, o esporão de calcâneo surge abaixo da calcanhar, o Esporão de Galo surge atras do calcanhar.
O esporão de calcâneo espeta e causa a dor na fascite plantar?
R. Não. A dor é causada por uma inflamação na região. O esporão é uma calcificação na origem de tendões e ligamentos nessa região do calcâneo. Essa calcificação ocorre em outras partes do corpo como a coluna e o ombro ou mesmo na parte posterior do calcâneo ( inserção do tendão de Aquiles ).
Porque ocorre a calcificação no esporão de calcâneo?
R. A calcificação ocorre devido a microtraumas repetidos na região, ocorrem pequenas rupturas na inserção dos ligamentos e tendões e inicia-se o processo de cicatrização. Devido a fatores locais ( liberação de substâncias inflamatórias) ocorre uma metaplasia ( processo de cicatrização com células diferentes das células habituais da região) e surge um tecido calcificado na origem dos ligamentos e tendões. De modo simplificado é como se o osso crescesse para dentro dos ligamentos.
O esporão de calcâneo é muito frequente?
Sim, O esporão de calcâneo está presente numa parcela significativa da população. Lembrando não é o esporão de calcâneo que espeta e causa a dor, portanto observamos o esporão em pessoas sem dor na região.
Se o esporão não causa a dor porque meu ortopedista disse que eu estou com esporão de calcâneo?
R. O esporão de calcâneo é um signo (sinal) radiológico que está presente em todas as pessoas que sofreram ao longo dos meses (ou dos anos) um microtraumatismo na região. Ter esporão de calcâneo não é igual a ter dor e não é necessário operar o esporão para curar a dor. Muitas vezes o médico ( ortopedista, reumatologista, fisiatra, etc.) usa termos mais simples para que o paciente tenha uma idéia da sua patologia. Resumidamente pacientes com esporão de calcâneo tem uma grande incidência de calcaneodinia. A calcaneodinia (com dor na região inferior da calcâneo) é pouco frequente em pacientes sem o esporão e no futuro esses pacientes podem apresentar o esporão. O explicação para isso e simples: a dor é causada pela inflamação no local, a inflamação por sua vez é causada por microtrauma. Para aparecer a calcificação (o esporão) são necessários vários meses ou anos com microtrauma na região e deve ocorrer a metaplasia no local. Se faltar um desses fatores não aparecerá o esporão. " Em medicina pas toujours ou jamais " Em medicina nem sempre nem nunca.
Qual a incidência de Fascite Pantar?
Segundo Peter Toomey uma em cada dez pessoas irá apresentar fascite plantar ao longo da vida.
Quando surge a fascite plantar?
R A fascite plantar surge em geral após os 30 anos de idade e o pico de incidência ocorre entre os 40 e 60 anos. Pacientes com fascite plantar bilateral com menos de 30 anos de idade podem apresentar esponliloartropatias reumáticas.
Quais pessoas sofrem mais com a fascite plantar?
R. Pacientes obesos, Pacientes com qualquer peso e que fizeram longas caminhadas ou ficaram muito tempo em pé em superfícies duras, pacientes com diminuição da dorsiflexão do tornozelo e corredores.
Qual o tratamento da fascite plantar ( o esporão de calcâneo tem cura? ) ?
A fascite plantar é tratada habitualmente com antinflamatórios orais, tópicos, injetáveis, ou injeções locais (infiltrações). Tratamentos tópicos como agua morna com sal no final do dia também são úteis. Alguns casos também se beneficiam de alongamentos e fisioterapia analgésica. A cirurgia também é uma possibilidade, porém, somente para casos específicos. Converse com seu ortopedista. ele saberá orientar o melhor tratamento para o seu caso.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 24/11/2013

Lesões do Manguito Rotador do Ombro

O que é o manguito rotador ?
R. O manguito rotador é o nome dado ao conjunto de tendões que ficam ao redor da cabeça do úmero e rodam a cabeça umeral  para dentro (rotação interna), para fora (rotação externa) e para cima (abdução)

Quais tendões formam o manguito rotador?
Ele é composto por 4 tendões: subescapular, supra-espinal, infra-espinal e redondo menor.

Os tendões supraespinhoso e infraespinhoso são os mais lesados no manguito rotador?
R. A lesão mais frequente é do supra-espinal, seguida pelo infra-espinal, a nova Nomina Anatômica adota esses nomes em substituição a supra-espinhoso e infra-espinhoso.

Quais os sintomas de lesão do manguito rotador ?
R.Os principais sintomas do ruptura de tendões do manguito rotador são: dor, impotência funcional (incapacidade para levantar o braço ou sustentá-lo quando passivamente elevado), e mudança no ritmo escápulo torácico. O problema é que esses sintomas estão presentes em várias outras patologias do ombro.
Para o diagnóstico acurado é necessário procurar seu ortopedista para que ele possa realizar manobras especiais e testar a função dos músculos do manguito rotador.

Qual o tratamento para lesões do manguito rotador ?
R. O tratamento pode ser cirúrgico ou não operatório, não existe uma regra básica. Os casos devem ser avaliados individualmente. Algumas lesões específicas são melhor tratadas cirurgicamente. Isso evita a progressão da extensão das lesões com o passar dos meses. Lesões menores em pacientes assintomáticos podem ser tratadas conservadoramente.

Link: Médico Ortopedista Especialista em Ombro

Dr. Marcos Britto da Silva
Rio de Janeiro, RJ
Atualizado em 22/01/2013.

Lesões no Ombro



As lesões no ombro são muito comuns em atletas. Aproximadamente 1 em cada 10 lesões nos esportes acomete o ombro. Alguns esportes tem ainda uma incidência ainda maior. Na natação 1 em cada 2 nadadores tem lesão no ombro ao longo da carreira. A medida que envelhecemos também estamos sujeitos a dores no ombro. Essas lesões podem ser traumáticas agudas como por exemplo, contusão, luxações, entorses, etc. A luxação do ombro mais comum e a luxação anterior e o tratamento adequado no primeiro episódio é lundamental para evitar a luxação recidivante. Para um tratamento especializado procure um ortopedista especialista em ombro e cotovelo.
O ombro é a articulação no organismo com maior arco de movimento. Essa mobilidade é conseguida com uma cápsula articular elástica e redundante ( a cápsula articular é maior que a circunferencia da cabeça do úmero ), e pouco contato com o osso da escápula.
Por ter uma cápsula "frouxa" e pouca estabilidade óssea o ombro se mantem no lugar às custas de ligamentos e músculos. A prática esportiva ou treinamentos errados podem causar um imbalanço muscular ou um alongamento excessivo dos ligamentos. A soma desse dois fatores pode levar o ombro a realizar movimentos fora dos planos anatômicos e causar lesões nas estruturas articulares e periarticulares ( cartilagem, manguito rotador, lábio glenoidal, tendão da porção longa do bíceps ( SLAP ) além de lesões de impacto interno e contra o arco coracoacromial ).
Por outro lado a falta de atividades físicas também está relacionada a lesões no ombro. A origem e a mesma, imbalanço muscular, porém a causa é outra. dessa vez o ombro se lesiona porque alguns grupos musculares atrofiam devido a falta de atividade física.
Ou seja o ombro é uma articulação que tem no tratamento fisioterápico de reforço muscular, alongamento e reposicionamento na execução de movimentos durante a prática de esporte um trunfo para a recuperação do atleta. A fisioterapia no tratamento é muito importante porém ela é mais efetiva nos estágios iniciais das lesões. Nos estágios mais avançados muitas vezes necessitamos de tratamento cirúrgico. Por isso é fundamental não postergar a ida ao ortopedista e manter uma atividade física regular

Dr. Marcos Britto da Silva
atualizado em 12/06/2010
<

Medico do Esporte

Dr. Marcos Britto da Silva

O que é o médico do esporte?
R. O médico do esporte é um profissional médico que trata as patologias esportivas, seu diagnóstico, prevenção e tratamento.  No caso dos ortopedistas realizamos o traumatologia desportiva. Porém o medicina do Esporte é na verdade exercida por vários profissionais médicos em sua diversas especialidades.

O médico do esporte é um sempre um ortopedista?
R.  O ortopedista é um dos profissionais mais ligados a medicina esportiva, porém temos outras especialidades médicas ligadas a medicina do esporte. A cardiologia principalmente, na fisiologia do exercício e preparação cardiovascular. Temos também fisiatras, Ginecologistas e até mesmo outras sub-especialidades médicas. Porém, o profissional que cuida diretamente da prevenção e tratamento das lesões nos membros e da coluna vertebral é o ortopedista especialista em medicina esportiva.

Porque precisamos de um médico do esporte?
R. Um atleta com patologias ortopédicas, lesões esportivas, dúvidas em relação a preparação física pode procurar sempre um ortopedista e será bem atendido. Quando ele procura um ortopedista familiarizado com as patologias esportivas, ele está procurando um profissional habituado a ver essas lesões no dia a dia. O atleta apresenta com frequencia lesões por esforço devido a sobrecarga nos treinos, preparação sem orientação e lesões traumáticas durante a prática de esportes

Quais as principais lesões dos atletas?
Em condições de uso contínuo temos uma sobrecarda das articulações, músculos,  tendões e ossos. 
Tendões:O esforço repetido nos tendões leva à tendinites e com o passar do tempo, e principalmente com a falta de alongamento, à tendinose. Músculos fracos também favorecem a lesão nos tendões.
Músculos: Os músculos estão sujeitos a rupturas e estiramento, principalmente quando não estão aquecidos. A falta de alongamento, que leva a encurtamento muscular, também é uma causa frequente de lesão. O Músculo quando submetido a esforço maior ao qual ele foi preparado previamente se estira ou rompe.
Articulações: Nas articulações a principal estrutura em risco é a cartilagem, pois tem uma baixa capacidade de regeneração.  Frequentemente a cartilagem cicatriza com a formação de tecido não especializado (fibrocartilaginoso) com baixa propriedade de absorção de carga. Uma das regiões mais afetadas é a cartilagem da rótula que quando submetida a muita pressão desenvolve condromalácia.
Ossos: Os ossos quando submetidos a sobrecarga reagem com a formação de mais osso.  (Lei de Wolff 1870) O  atleta que pratica esportes com esforço maior num determinado membro apresenta uma maior massa óssea nesse membro em comparação ao membro contralateral. Exemplo o úmero do membro dominante de um jogador de handball apresenta uma maior espessura do osso cortical da diáfise. 
Os problemas no osso aparecem principalmente nos membros inferiores pois as pernas e pés sofrem um esforço muito grande durante a corrida e nos treinos. Em geral esses treinos não são acompanhados por preparadores físicos, isso aumenta a chance do atleta realizar treinos maiores que a sua capacidade. Quando o osso sofre um esforço repetido muito intenso não há tempo para que ele fique mais forte e na verdade ele falha. Essa falha estrutural é a fratura de Estresse (stress Fracture)

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Medico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 01/06/2010

Dor no Ombro em Atletas

O ortopedista é comumente procurado para avaliar lesões no ombro, abaixo algumas considerações sobre as origens das lesões no ombro de atletas. O ortopedista que cuida do ombro e algumas vezes conhecido como médico de ombro, porém o especialista em ombro em geral cuida também do cotovelo.
O ombro é uma articulação complexa, com um elevado grau de movimento em múltiplas direções. A compensação para essa mobilidade é uma relativa falta de estabilidade. Embora classificada como articulação em bola e soquete o ombro possui uma estabilidade óssea muito pequena.
Os estabilizadores estáticos do ombro fornecem pouco apoio já os estabilizadores dinâmicos, tais como músculos do manguito rotador e da cintura escapular são vitais para a manutenção da estabilidade do ombro.    
Esta combinação de mobilidade e estabilidade dinâmica permite a função normal do ombro nas atividades da vida diária, trabalho, recreação e esporte.

Qual o melhor tratamento para o Ombro?
A maioria das lesões de ombro são tratados, inicialmente, de modo não operatorio e com fisioterapia. Os protocolos de reabilitação são bem sucedidos na maioria dos pacientes. No pós-operatório a reabilitação é fundamental para o êxito dos pacientes que necessitam tratamento operatório. 

Qual a relação entre o tipo de esporte e a dor no Ombro? 
Nos esportes com raquete ou no vólei, na maioria das vezes, os atletas têm lesões nos músculo e tendões relacionadas a sobrecarga e a sindrome de uso excessivo. Treino e jogos com posição inadequada, técnica inadequada para bater na bola e impacto externo. Raramente, esses atletas têm rupturas do manguito rotador. 
  • Atletas de natação são sujeitos a impacto e lesões de uso excessivo, secundária à instabilidade subjacente e fatores biomecânicos relacionados a grande amplitude de movimentos do ombro. 
  • Os atletas envolvidos em esportes de contato ( futebol, basquete, etc) estão sujeitas a lesões traumáticas, como lesões musculares, fraturas, lesões tendinosas, rupturas do manguito rotador, luxação do ombro e instabilidade ( subluxação do ombro) com sindrome de impacto interno secundária a instabilidade.
Qual o melhor tratamento para patologias do ombro?Algumas patologias requerem tratamento cirúrgico imediato, converse com um especialista em cirurgia de ombro que ele saberá orientá-lo.

Outros artigos sobre ombro: Click no título que você será redirecionado.
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 13/06/2013

INFORMAÇÕES SOBRE ALIMENTAÇÃO E ARTROSE


A osteoartrite ( ou simplesmente artrite) é uma doença degenerativa causada pelo uso e desgaste da articulação. Tal desgaste pode ser natural pelo uso, idade e sobrepeso ( ARTROSE PRIMÁRIA ) ou ainda por traumas e lesões ( ARTROSE SECUNDÁRIA ). O seu tratamento pode ser medicamentoso, cirurgico ou ainda não-medicamentoso ( fisioterapia e exercícios físicos, hidroginastica, etc).
A nutrição é uma alternativa na prevenção de inúmeras doenças crônicas, incluindo a osteoartrite. Os componentes dos alimentos podem ser úteis para alvos específicos e, se consumidos por um longo período, auxiliam o tratamento medicamentoso de inúmeras doenças crônicas.
Vale destacar que o mecanismo de destruição da cartilagem na osteoartite é multifatorial e que paralelamente alguns alimentos contêm múltiplos compostos ativos que atuam por várias vias.
Consequentemente, o cuidado com a alimentação pode ser uma opção interessante no manejo da doença ao aumentar a ingestão de certos nutrientes durante o tratamento supervisionado por um médico.

Quais nutrientes são recomentados para uma pessoa com osteoartrite ?

Ômega 3: encontrado no óleo de canola, soja e peixe fresco, o ômega-3 mostrou importante papel na diminuição da inflamação, fator constante na osteoartrite. ( O ômega-3 é transformado em um produto anti-inflamatório no organismo)

Vitamina E: a ingestão diária de vitamina E parece diminuir a dor em pacientes com osteoartite. Encontramos a vitamina E nas nozes, semente de girassol, kiwi, germe de trigo, grãos integrais, peixe, leite de cabra e vegetais verdes folhosos.

Vitamina C: a vitamina C ( ácido ascórbico) . Boas fontes de vitamina C são as frutas citricas como, laranja, limão e tangerina além da framboesa e morango
Manter uma alimentação saudável também auxilia na redução e manutenção do peso corporal, importantíssimo para a melhora da superfície articular comprometida.

Bibliografia: Ameye, LG and Chen WS. Osteoarthritis and Nutricion. Arthritis Research therapy 8 (4):127, 2006.
Esse artigo não substitui em nenhuma hipótese as informações do seu médico ortopedista.


Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Rio de Janeiro, Botafogo RJ, Brasil
atualizado em 18/08/2013

Leia mais sobre artrose

Google+ Followers