Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: Estenose de Canal Lombar

Estenose de Canal Lombar

Estenose lombar da coluna vertebral
Anatomia da coluna vertebral
Descrição da estenose de canal lombar
Causas da Estenose de canal lombar
Sintomas da Estenose de Canal Lombar
Exame Médico na Estenose de Canal Lombar
Tratamento da Estenose de Canal Lombar
Novas opções cirúrgicas

Quase todo mundo vai sentir dor lombar em algum momento da vidas Uma causa comum de dor lombar é a estenose espinal lombar. À medida que envelhecemos, ocorrem mudanças nas vértebras. Ocorre um desgaste normal  como consequencia do envelhecimento. Esse desgaste pode levar ao estreitamento do canal vertebral. Esta condição é chamada de estenose espinal ou estenose de canal lombar pois comumente na região lombar.
 
Anatomia
Compreender a  coluna e como ela funciona pode ajudar  a entender melhor a estenose espinal. A coluna é composta de ossos pequenos, chamados vértebras, que são empilhados uma em cima da outra. Músculos, ligamentos, nervos, e os discos intervertebrais são peças complementares da coluna.
 
Vértebras
Estes ossos possuem um canal que protege a medula espinhal. A coluna vertebral é composta por três seções que criar três curvas naturais na sua volta: as curvas do pescoço (Coluna cervical - lordose), região do Tórax (coluna torácica - cifose), e parte inferior das costas (coluna lombar - lordose). A seção inferior da coluna (sacro e cóccix) é composta de vértebras que que estão fundidas.

Medula Espinhal e Nervos

A medula parece um "cabo elétrico" que transporta impulsos nervosos, esses impulsos viajam através do canal espinhal, levando mensagens entre o cérebro e os músculos. Os nervos se ramificam da medula espinhal através de aberturas nas vértebras.
 

Músculos e ligamentos
Estes fornecem suporte e estabilidade para a coluna e parte superior do corpo. ligamentos fortes conectam as vértebras e ajudam a manter a coluna vertebral na posição correta.
 

Articulações intervertebrais
Entre as vértebras estão pequenas articulações que ajudam a mover a sua coluna vertebral. As facetas são muito próximos aos nervos espinhais artrose nessa região provoca dor.
 

Discos intervertebrais
Quando caminhamos ou corremos, os discos funcionam como amortecedores e previnem que as vértebras se choquem umas contra os outras. Eles trabalham como articulações  amortecedoras para ajudar a mover , torcer e dobrar a coluna.
 
Discos intervertebrais tem a forma de um chiclete BumbleGum. Eles são constituídos de dois componentes.
- Anel fibroso. Este é um anel o fibroso rijo, e ao mesmo tempo flexível que forma a parte externa do disco. Ela ajuda a conectar as vértebras.
-Núcleo pulposo. Este é o centro macio e gelatinoso do anel fibroso 9 como se fosse o líquido que vem dentro do chiclete). Ele dá ao disco a capacidade de absorção de choque e retorno a forma prévia.
 

Descrição
A estenose do canal lombar ocorre quando o espaço em torno da medula espinhal se estreita. Isso coloca pressão sobre a medula espinhal e as raízes nervosas da coluna vertebral, e pode causar dor, dormência ou fraqueza nas pernas.
À medida que envelhecemos, o osso em nossa coluna pode endurecer e tornar-se cheio de picos de papagaio. Isso pode levar a um estreitamento do canal espinhal, chamado de estenose.
Quando a estenose ocorre na região lombar, é denominada estenose de canal lombar. Muitas vezes os resultados do processo de envelhecimento normal. Nas pessoas mais velhas, os tecidos moles da coluna vertebral podem endurecer. Essas mudanças degenerativas podem estreitar o espaço ao redor da medula espinhal e resultar em estenose espinal.
As alterações degenerativas da coluna vertebral são vistas em até 95% das pessoas com a idade de 50 anos. A estenose espinhal ocorre mais freqüentemente em adultos com mais de 60 anos. A pressão sobre a medula espinhal é igualmente comum em homens e mulheres, embora as mulheres sejam mais propensas a ter sintomas que requerem tratamento.

Estenose de canal lombar congénita

Um pequeno número de pessoas nascem com problemas nas costas que se desenvolvem em estenose de canal lombar. Isso é conhecido como estenose congénita. Ela ocorre mais frequentemente nos homens. Nesses casos os sintomas são mais precoces e os pacientes costumam notar os primeiros sintomas entre as idades de 30 e 50.

Causas
A artrose é a causa mais comum de estenose espinal. A artrose é a degeneração de qualquer articulação do corpo. Na coluna, a artrose pode aparecer como um disco que se degenera e perde o teor de água. Em crianças e adultos jovens, os discos têm alto teor de água. À medida que envelhecemos, nossos discos começam a secar e a enfraquecer. Esse problema causa colapso do disco intervertebral e diminuição do espaço entre os discos. Os Discos Intervetebrais perdem altura quando vistos na radiografia.
Quando somos jovens, os discos têm um alto conteúdo de água. Como a idade o disco seca, eles podem perder altura ou colapsar. Isso coloca pressão sobre as articulações e pode resultar em artrite, artrose e instabilidade
Com a desidratação dos discos intervertebrais, ocorrem duas coisas. Primeiro, o peso é transferido para as articulações por trás da medula espinhal. Em segundo lugar, o canal medular fica estreito e comprime os nervos e a medula espinhal.
 

Como surgem os osteófitos?
Com o aumento da pressão as articulações começam a se degenerar e desenvolver artrose semelhante à do quadril ou joelho. A cartilagem que recobre e protege as articulações se desgasta. Se a cartilagem se desgasta totalmente, isso pode resultar em atrito de osso sobre osso. Para compensar a cartilagem perdida, o seu corpo pode responder pelo crescimento ósseo na região articular para ajudar a suportar as vértebras.  Esse o o mecanismo de surgimento dos osteófito. Ao longo do tempo, este crescimento excessivo do osso chamado esporas, podem estreitar o espaço para os nervos para passar.
 

Osteófitos e  estreitamento de canal vertebral .
Outra resposta para a artrose na parte inferior das costas é que os ligamentos das articulações em torno aumentam de tamanho. Isso também provoca estreitamento do canal vertebral e diminui a área livre para os nervos. Uma vez que o espaço se tornou pequeno o suficiente para irritar os nervos espinhais, surgem os sintomas dolorosos.


Sintomas
A dor nas costas.
Pessoas com estenose de canal vertebral podem ou não ter dor nas costas, dependendo do grau de artrose na região.
Ciatalgia

A pressão sobre os nervos pode causar dor nas áreas sensitivas  desses nervos. Dor nas nádegas que se irradia para a perna é causada por essa pressão.
A dor em queimação nas nádegas ou nas pernas caracteriza a dor ciática. A dor pode ser descrita como dor ou sensação de queimação, pinicação, formigamento, várias agulhas espetando ao mesmo tempo, etc. A dor normalmente começa na área das nádegas e se irradia para a perna. A dor no pé é frequentemente.

Dormência ou formigamento nas nádegas e pernas. Com a pressão sobre o nervo aumenta a dormência e formigamento acompanhados frequentemente de dor ardente. Embora nem todos os pacientes tenham a dor ardente, dormência e formigamento.

Fraqueza nas pernas ou "pé caído". Uma vez que a pressão atinge um nível crítico, a fraqueza pode ocorrer em uma ou ambas as pernas. Alguns pacientes terão uma queda do pé, ou a sensação de uma batida de pé no chão durante a caminhada.

Menos dor com inclinado para a frente ou sentado.

Estudos sobre a coluna lombar demonstram que inclinar-se para a frente pode realmente aumentar o espaço disponível para os nervos. Muitos pacientes podem notar alívio quando inclinam para a frente. A dor geralmente é agravada por andar a pé em posição ereta Alguns pacientes dizem que podem montar uma bicicleta estacionária ou caminhar apoiado em um carrinho de compras. Andar mais de 1 ou 2 quarteirões, no entanto, pode trazer dor ciática severa ou fraqueza.


Exames que podem ajudar o médico a confirmar o diagnóstico incluem:

Radiografias

Apesar de só visualizar os ossos, a radiografia pode ajudar a determinar a estenose espinal. A radiografia mostra mudanças do envelhecimento, como perda de altura do disco ou osteófitos ( artrose ). Exames radiográficos tirados quando com inclinaçao para frente e para trás podem mostrar "instabilidade" nas articulações. Os raios X também pode mostrar muita mobilidade. Isto é chamado de espondilolistese.

A ressonância magnética . 

Este estudo pode criar as melhores imagens dos tecidos moles, como músculos, discos, nervos e da medula espinhal.

Tomografia computadorizada (TC) 

Pode criar imagens de seção transversal da coluna. O ortopedista também pode solicitar um mielograma. Neste procedimento, o contraste é injetada na espinha para tornar os nervos mais visíveis e dessa maneira identificar os pontos de maior compressão. 
 

Tratamento

O tratamento não cirúrgico
Opções de tratamento não cirúrgico estão focados em restaurar a função e aliviar a dor. Embora os métodos não-cirúrgicos não melhorem o estreitamento do canal vertebral, muitas pessoas relatam que estes tratamentos ajudam a aliviar os sintomas.

Fisioterapia

Exercícios de alongamento, massagem e fortalecimento abdominal, lombar muitas vezes ajudam a controlar os sintomas.

Tração lombar. 

Embora possa ser útil em alguns pacientes, a tração tem resultados muito limitados. Não há nenhuma evidência científica de sua eficácia.

Medicamentos anti-inflamatórios. 

A dor na estenose do canal lobar é causada pela pressão sobre um nervo espinhal, reduzindo a inflamação (inchaço) em torno do nervo pode aliviar a dor. Anti Inflamatórios Não Esteróides   (AINE), proporcionam alívio da dor. Quando usados ao longo de 5-10 dias, também podem ter um efeito anti-inflamatório. Esses medicamentos devem ser usados ​​com cuidado. Elas podem levar a úlceras e gastrites do estômago. .

As injeções de esteróides. 

A cortisona é um poderoso anti-inflamatório. Injeções de cortisona em torno dos nervos ou no "espaço epidural" pode diminuir o inchaço, assim como a dor. Não é recomendado, no entanto, mais de 3 vezes por ano. Estas injecções são mais propensas a diminuir a dor e dormência, mas não a fraqueza das pernas.

Acupuntura. 

A acupuntura pode ser útil no tratamento de algumas das dores, para os casos menos graves de estenose lombar. Embora possa ser muito seguro, o sucesso a longo prazo com este tratamento não foi comprovada cientificamente.

Quando está indicado tratamento cirúrgico na estenose de canal lombar?

A cirurgia de estenose espinal lombar é geralmente reservado para pacientes que têm má qualidade de vida devido à dor e fraqueza. Os pacientes podem queixar-se da incapacidade de caminhar por um longo período de tempo sem sentar. Isso é muitas vezes a razão que os pacientes considerar a cirurgia.

Tratamento cirúrgico

Existem duas principais opções cirúrgicas para tratar a estenose de canal lombar: Laminectomia e Artrodese. Ambas as opções podem resultar em excelente alívio da dor. .

Laminectomia

Este procedimento envolve a remoção de osso, osteófitos e  ligamentos que estão comprimindo os nervos. Este procedimento também pode ser chamado de "descompressão". A Laminectomia pode ser feita a cirurgia aberta, onde o médico usa uma incisão única e maior para aceder à sua coluna vertebral. O procedimento também pode ser feito usando um método minimamente invasivo comuma incisão menor.

Artrodese  (Fusão)

Quando a artrose progride para instabilidade na coluna vertebral, uma combinação de descompressão e estabilização / artrodese espinhal pode ser recomendada. Uma artrodese  é a fusão espinhal de duas ou mais vértebras que ficam permanentemente fundidas. Um enxerto ósseo retirado do osso da bacia junto com enxerto sintético é utilizado para fundir as vértebras.
A fusão elimina o movimento entre as vértebras e impede o deslizamento ou piora após a cirurgia. O ortopedista utiliza hastes e parafusos para segurar a  coluna no lugar enquanto o organismo promove a fusão entre as vertebras. O uso de hastes e parafusos faz a fusão dos ossos acontecer mais rápido e acelera a recuperação.

Alta e Reabilitação. 

Após a cirurgia, o paciente poderá permanecer no hospital por um curto período de tempo, dependendo de sua saúde e do procedimento realizado. Pacientes saudáveis ​​que se submetem apenas a descompressão podem ir para casa  no dia seguinte a cirurgia ou no próximo, e pode retornar às atividades normais depois de apenas algumas semanas. Fusões e artrodeses lombares geralmente adicionamos 2 a 3 dias na internação.

Uso de orteses

O ortopedista  pode prescrever uma cinta ou espartilho isso melhora o conforto. O paciente  é encorajado a começar a andar o mais depressa possível. .

Necessidade de fisioterapia

O fisioterapeuta irá ensinar exercícios para ajudar a melhorar e manter a força, resistência e flexibilidade da coluna vertebral. Alguns destes exercícios vão ajudar a fortalecer os músculos abdominais, que ajudam a apoiar as costas. O fisioterapeuta irá criar um programa individualizado, levando em consideração sua saúde e história e as orientações do ortopedista..

Como é o retorno ao Trabalho?

A maioria das pessoas pode voltar para o trabalho de escritório dentro de alguns dias ou algumas semanas após a cirurgia. Eles podem voltar às atividades normais após 2-3 meses. Idosos que precisam de mais cuidados e de assistência pode ser transferido do hospital para uma clínica de reabilitação antes de voltar para casa.

Quais os riscos cirúrgicos ?

Há riscos menores associadas a cada procedimento cirúrgico. Estes incluem sangramento, infecção, coágulos de sangue e reação à anestesia. Estes riscos são geralmente muito baixas.

Quais pacientes tem mais complicações com cirurgias ortopédicas?

O paciente idoso tem maior taxa de complicações de uma cirurgia. Assim, os pacientes com excesso de peso, diabéticos, fumantes e pacientes com problemas médicos múltiplos. Resumidamente pacientes com Risco Cirurgico Alto.

Quais as complicações específicas da cirurgia para estenose espinal ?

* lesão do saco dural que cobre os nervos
* Falha da fusão das vertebras
* falencia e quebra dos parafusos ou hastes usados para fixar a coluna
* Lesão nervosa
* Necessidade de uma nova cirurgia
* Alívio parcial dos sintomas
* Retorno dos sintomas por conpressões em outros níveis ou outros problemas na coluna

Os resultados cirúrgicos. 
Globalmente, os resultados da laminectomia, com ou sem fusão espinhal para estenose lombar é bom ou excelente em aproximadamente 80% dos pacientes. Os pacientes sentem melhora importante da dor na perna porém a dor nas costas sempre permanece em algum grau. A maioria dos pacientes são capazes de retomar a uma vida normal após um período de recuperação da cirurgia.
 
Novas opções cirúrgicas
Dispositivos Interespinhosos
Um espaçador se encaixa entre os processos espinhosos na parte de trás da coluna vertebral. Sua função é manter o espaço aberto para os nervos, separando as vértebras que estão espremidas. Em alguns estudos, as taxas de sucesso são maiores do que 80 por cento. A chave para o sucesso com este procedimento é a seleção adequada dos pacientes. O candidato deve ter alívio da dor na perna e nádega quando sentado ou inclinada para frente. A dor retorna ao permanecer em pé.

Tratamento com cirurgia minimamente invasiva
A descompressão pode ser realizada com incisões menores. A recuperação é muitas vezes mais rápido com técnicas minimamente invasivas. Isso ocorre porque há menos danos aos tecidos moles circundantes.
Com as técnicas minimamente invasivas, os cirurgiões ortopedistas usam o  microscópio para ver a área da cirurgia. Um procedimento aberto tradicional exige uma visualização mais direta da anatomia do paciente e, portanto, requer uma incisão maior.
A limitação da cirurgia minimamente invasiva é o grau de visualização disponível. Se a estenose espinhal se estende sobre uma grande área da coluna, uma técnica aberta é o único método que pode resolver o problema.
As vantagens dos procedimentos minimamente invasivos incluem a redução do tempo de internações e do período de recuperação. No entanto, ambas as técnicas abertas e minimamente invasivas aliviam os sintomas de estenose igualmente. O ortopedista irá discutir as opções que melhor atendam às necessidades do paciente.


Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 02/11/2016.

2 comentários:

  1. Tenho estenose lombar, e esta matéria me tirou dúvidas.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo artigo com pontuações bem esclarecedoras .
    Grata

    ResponderExcluir

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG

http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html

Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Postagens mais lidas na última semana