Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedista,Traumatologia e Medicina Esportiva: Tendinite de Aquiles / Haglund

Tendinite de Aquiles / Haglund

O que é a tendinite de Aqulies?
Quais as Causa da tendinite de Aquiles
Quais os Sintomas da Tendinite de Aquiles
Exame médico
Testes especiais
Tratamento da tendinite de Aqulies


A tendinite de Aquiles é uma condição comum que causa dor ao longo da região posterior da perna perto do calcanhar. O tendão de Aquiles é o maior tendão do corpo. Ele se conecta os músculos da panturrilha e ao calcanhar. O tendão de Aquiles é usado durante o movimento de andar, correr e saltar.

Embora o tendão de Aquiles suporte grandes tensões de correr e saltar, também  está  propenso a sofrer tendinite, uma condição associada ao uso excessivo e degeneração tendinosa
Descrição
A tendinite é a inflamação de um tendão. Inflamação é a resposta natural do corpo a lesão ou doença,  muitas vezes causa dor, inchaço ou irritação na região. Existem dois tipos de tendinite de Aquiles, baseado em qual parte do tendão está inflamado.  
Tendinite insercional de Aquiles ( em geral associada ao Haglung)
Tendinite não insercional de Aquiles

Na tendinite não insercional de Aquiles, as fibras na porção média do tendão começam a sofrer pequenas rupturas (degeneração do tendão), inchar, e posteriormente o tendão engrossa.  A Tendinite da porção média do tendão afeta mais comumente os pacientes mais jovens e  pessoas mais ativas.

Tendinite Insercional de Aquiles
A tendinite Insercional de Aquiles envolve a parte inferior do calcanhar, onde o tendão se insere no osso do calcanhar. Em ambos as tendinite não insertional e insercional, as fibras do tendão danificado também podem calcificar (endurecer). Esporões ósseos (crescimento ósseo - osteófitos- picos de papagaio) muitas vezes aparecem com tendinite insercional próximo ao calcâneo. Essa formação óssea é chamado por alguns como Esporão de Galo pois cresce atrás do calcanhar como a espora de um galo de briga.

A Tendinite que afeta a inserção do tendão pode ocorrer a qualquer momento, mesmo em pacientes que não estão ativos.

Causas
A tendinite de Aquiles normalmente não é relacionado a uma lesão específica. O problema resulta do esforço repetitivo do tendão. Isso acontece quando andamos, corremos subimos escada etc. Outros fatores podem ajudam a desenvolver tendinite, incluindo:
*Um esporão ósseo que se desenvolveu onde o tendão se liga ao osso do calcanhar. ( Haglung )
*O aumento repentino na quantidade ou na intensidade do exercício da atividade física, por exemplo, aumentando da distância que você anda todos os dias por alguns quilômetros, sem dar ao corpo a chance de ajustar-se a nova distância.
* Inicio rápido de um programa de fortalecimento dos músculos da batata da perna (panturrilha) isso pode colocar um tensão extra no tendão de Aquiles e levar a tendinite.
* Uso de calçados apertados com pressão da borda posterior os da tira da sandália sobre a tendão de Aquiles.

Sintomas
Os sintomas mais comuns da tendinite de Aquiles incluem:
* Dor e rigidez ao longo do tendão de Aquiles de manhã
* Dor ao longo do tendão ou posterior ao calcanhar que piora com a atividade
* Dor severa do dia seguinte ao exercício
* Espessamento do tendão
* Esporão ósseo (tendinite insercional)
* Inchaço que está presente o tempo todo e piora ao longo do dia com a atividade
Ouvir um estalo tipo um "pop" com dor súbita na parte de trás da panturrilha ou no calcanhar, pode indicar uma  ruptura do tendão de Aquiles  (Sindrome da Pedrada). Consulte o seu médico ortopedista imediatamente nesse tipo de caso. A sindrome da pedrada pode ser uma ruptura do tendão de Aquiles ou do músculo da panturrilha.

Exame médico do tendão de Aquiles
O médico ortopedista irá procurar por estes sinais:
* Inchaço ao longo do tendão de Aquiles ou na parte traseira de seu calcanhar
* Espessamento ou alargamento do tendão de Aquiles
* Esporões ósseos na parte inferior do tendão na parte traseira de seu calcanhar (tendinite insercional)
* O ponto de máxima sensibilidade
* Dor no meio do tendão (tendinite não insercional)
* Dor na parte de trás do seu calcanhar na parte inferior do tendão (tendinite insercional)
* Diminuição dos movimentos do tornozelo, especificamente, uma diminuição da capacidade de flexionar o pé e ficar na ponta dos pés.

Testes Especiais

Seu médico ortopedista pode pedir exames de imagem para se certificar de seus sintomas são causados ​​por tendinite de Aquiles.
Raios X
A radiografia fornece imagens claras de ossos e pode mostrar se a parte inferior do tendão de Aquiles foi calcificada. Esta calcificação indica tendinite insercional do Aquiles. Em casos graves da tendinite de Aquiles não insercional, pode haver calcificação na porção média do tendão.
Ressonância Magnética
Embora a ressonância magnética não seja necessária para diagnosticar a tendinite de Aquiles, é importante para o planejamento da cirurgia. Uma ressonância magnética pode mostrar o quão grave é o dano no tendão. Se a cirurgia for necessária, o médico irá selecionar o procedimento com base na quantidade de danos ao tendão.
Tratamento
O tratamento não cirúrgico
Na maioria dos casos, as opções de tratamento não cirúrgico irá proporcionar alívio da dor, embora possa demorar alguns meses para os sintomas desaparecerem completamente. Mesmo com o tratamento precoce, a dor pode durar mais de três meses. Se você já teve dor durante vários meses antes de procurar tratamento, pode levar seis meses ao mais antes dos métodos de tratamento terem efeito. Alguns casos crónicos se beneficiam de cirurgia.
Descanso. O primeiro passo na redução da dor é diminuir ou mesmo parar as atividades que pioram a dor. Se você regularmente faz exercícios de alto impacto (como correr), a mudança para atividades de baixo impacto vai colocar menos tensão sobre o tendão de Aquiles. Cross-training ( treinar com outras atividades diferentes da que o atleta pratica) como andar de bicicleta e natação são opções de baixo impacto e podem ajudar a manter os tendões ativos com menos impacto.
Gelo. Colocação de gelo na área mais dolorosa do tendão de Aquiles é útil e pode ser feito quando necessário ao longo do dia. Isto pode ser feito por até 20 minutos e deve ser interrompido antes, caso a pele se torna insensível.
Anti-inflamatórios Não-esteróides reduzem a dor e inchaço porém não reduzem o espessamento do tendão degenerado.
Exercícios. O exercício seguinte pode ajudar a fortalecer os músculos da panturrilha e reduzir o estresse no tendão de Aquiles.
Alongamento da panturrilha 
Inclinar para a frente contra uma parede com um joelho estendido e o calcanhar no chão. Coloque a outra perna na frente, com o joelho dobrado. Para esticar os músculos da panturrilha, empurre o quadril para a parede de uma forma controlada. Mantenha a posição por 10 segundos e relaxe. Repita este exercício 20 vezes para cada pé. O alongamento da panturrilha deve ser sentido durante o alongamento.

Fisioterapia. A fisioterapia é muito útil no tratamento de tendinite de Aquiles. Ele provou funcionar melhor para tendinite não insercional.

Protocolo de Fortalecimento excêntrico. Exercícios de fortalecimento excêntrico pode causar danos ao tendão de Aquiles, se não forem feitos corretamente. A princípio, eles devem ser realizados sob a supervisão de um fisioterapeuta. Uma vez dominado com um terapeuta, os exercícios podem ser feitos em casa. Estes exercícios podem causar algum desconforto, no entanto, não deve ser insuportável.
Queda de calcanhar Bilateral
Estou à beira de uma escada, ou uma plataforma elevada estável, com apenas metade da frente de seu pé apoiada no degrau da escada. Esta posição permitirá que o seu calcanhar para subir e descer sem bater na escada. Cuidados devem ser tomados para garantir que você está equilibrada corretamente para evitar quedas e lesões. Certifique-se de manter-se no corrimão para ajudar a equilibrar.

Levante os calcanhares do chão, em seguida, lentamente, abaixe os calcanhares ao ponto mais baixo possível. Repita este passo 20 vezes. Este exercício deve ser feito de uma forma lenta e controlada. Movimento rápido pode criar o risco de danos no tendão. Com a melhora da dor, você pode aumentar o nível de dificuldade do exercício, segurando um pequeno peso em cada mão.
* Queda de calcanhar uma perna
Este exercício é realizado de forma semelhante à queda do calcanhar bilateral, exceto que todo seu peso está focada em uma perna. Isto deve ser feito somente após a queda do calcanhar bilateral ter sido dominado.
Injeções de cortisona. Cortisona, um tipo de esteróide, é um medicamento anti-inflamatório poderoso. Injeções de cortisona no tendão de Aquiles raramente são recomendados e eu particularmente não indico.  Podem causar a ruptura do tendão.
Palmilhas e Elevadores calcanhar também são muito úteis para pacientes com tendinite insercional, porque eles podem mover o calcanhar para longe da parte traseira do calçado, onde a fricção pode ocorrer. Eles também diminuem a tensão sobre o tendão. A colocação de uma luva de silicone sobre o Tendão de Aquiles pode reduzir a irritação da parte de trás de um sapato.
Imobilização Com dores mais intensas o uso de uma bota Robocop pode ajudar  Isto dá ao tendão a chance de descansar. Uso prolongado de uma bota é desencorajado pois pode enfraquecer o músculo da panturrilha.
Terapia por ondas de choque não demonstrou resultados consistentes e, portanto, não é comumente realizada.

Tratamento Cirúrgico

A cirurgia deve ser considerada para aliviar a tendinite de Aquiles somente se a dor não melhorar após 6 meses de tratamento não cirúrgico. O tipo específico de cirurgia depende da localização da tendinite ea quantidade de danos no tendão.

Desbridamento e reparação (tendão tem dano menos de 50%). O objetivo desta operação é eliminar a parte danificada do tendão de Aquiles. Uma vez que a parte saudável do tendão tenha sido removido, o tendão restante é reparados com suturas, ou pontos para completar o reparo.
Na tendinite insercional, o esporão ósseo pode ser removido, eu particularmente não retiro a calcificação intraóssea somente a parte do calcâneo que impacta contra o tendão (Haglung)  sem a desinserção do tendão, isso melhora muito a dor no pós operatório e minimiza muito as complicações de pele comuns nessa região. Por nao fazer reinserção do Aquiles evitamos a colocação de ancoras e endobottons no local.
Após desbridamento e reparação, a maioria dos pacientes têm permissão para andar em uma bota removível e um par de mulletas no pós operatório em 2 semanas, embora esse período dependa da quantidade de danos no tendão.
Desbridamento, com transferência do tendão (tendão tem dano superior a 50%). Nos casos em que mais de 50% do tendão de Aquiles não é saudável e exige a remoção, a parte restante do tendão não é forte o suficiente para funcionar sozinho. Para evitar que o tendão remanescente rompa com a atividade, uma transferência do tendão pode ser executada.
Dependendo da extensão dos danos ao tendão, alguns pacientes podem não ser capazes de retornar ao esporte competitivo de alto nível.

Recuperação. A maioria dos pacientes têm bons resultados da cirurgia. O principal fator na recuperação cirúrgica é a quantidade de dano ao tendão. Quanto maior a quantidade de tendões envolvidos, maior o período de recuperação, e menor a probabilidade de um paciente  retornar à atividade esportiva de alto nível. Nos atletas de alta performance algumas vezes indicamos cirurgia mais precocemente.

A fisioterapia é uma parte importante da recuperação. Muitos pacientes necessitam de 12 meses de reabilitação antes de retornarem a esporte de velocidade.

Complicações. Dor moderada é a complicação mais comum no pos operatório nas primeiras semanas. Além disso, uma infecção da ferida pode ocorrer, a infecção é muito difícil de tratar neste local principalmente nas cirurgias mais invasivas. (estatística de pacientes operados nos Estados Unidos) Prefiro as cirurgias menos invasivas com osteotomia do Haglund e sem desinserção do tendão de Aquiles esse procedimento apresenta menores taxas de complicações.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte

Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 07/09/2013

2 comentários:

  1. Dr Marcos, boa noite
    Venho tendo dores fortes no tornozelo e o ortopedista pediu uma ressonância, pois ja tenho problemas no outro pé, e agora o esquerdo está ruim também. O resultado desse exame diz o seguinte:

    "Extensa tendinopatia de Aquiles, sem evidências de roturas. Fasciíte plantar crônica sem evidências de alterações inflamatórias agudas. Sinais de estiramento prévio dos ligamentos talofibular anterior, calcaneofibular, tibiofibular anterior e porção profunda do complexo ligamentar do deltóide. Discreta tenossinovite da bainha comum dos fibulares. Líquido na bainha tendínea do tibial posterior, não sendo possível descartar algum grau de tenossinovite associada, devendo-se correlacionar clinicamente."

    O que o senhor pode me dizer a respeito disso?
    Agradeço muito sua ajuda e fico aguardando um parecer. Obrigada!

    ResponderExcluir
  2. Sua ressonância tem várias alterações nesse caso é fundamental fazer uma correlação com o exame físico e história.

    ResponderExcluir

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG
http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html
Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Últimas Artigos Revisados ou Publicados

Vídeos com Aulas e entrevistas com Dr. Marcos Britto da Silva

Loading...

Video Artroscopia de Joelho - Meniscectomia

Video Luxação Acromio Clavicular no Ombro

Video de Reconstrução do LCA

Localize Artigos por data