Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedista,Traumatologia e Medicina Esportiva: Fratura de tíbia - Diafisaria

Fratura de tíbia - Diafisaria

A tíbia, osso da canela ou osso da perna é um do osso longo frequentemente fraturado. Os ossos longos incluem o fêmur, úmero, tíbia e da fíbula. A fratura diafisária da tíbia ocorre ao longo do comprimento do osso, abaixo do joelho e acima do tornozelo.
Normalmente a fratura dos ossos longos é decorrente de uma grande força e outras lesões ocorrem frequentemente com estes tipos de fraturas.

AnatomiaA perna é formada por dois ossos: a tíbia e a fíbula. A tíbia é o maior dos dois ossos. Ele suporta a maioria do peso corporal e é uma parte importante da articulação do joelho e do tornozelo.

Tipos de fraturas diafisárias da tíbia A tíbia pode quebrar de diversas formas. A gravidade da fratura geralmente depende da quantidade de força que causou a fratura. A fíbula é muitas vezes quebrada também.

Os Tipos mais comuns de fraturas tibial incluem:
Fratura estável:
Este tipo de fratura apresenta pouco descocamento os ossos estão próximos e não tem a tendencia de sair do lugar. As extremidades dos ossos estão alinhados. Em uma fratura estável, os ossos costumam ficar no local durante a cicatrização.

Fratura deslocada ou desviada: Quando um osso quebra e é deslocado, as extremidades quebradas são separados e não se alinham. Estes tipos de fraturas geralmente exigem cirurgia para colocar os fragmentos ósseos de volta no lugar.

Fratura transversa: Este tipo de fratura tem uma linha de fratura horizontal. Essa fratura pode ser instável, especialmente se a fíbula também está quebrada.

Fratura oblíqua:
Este tipo de fratura tem um padrão angular e normalmente é instável. Se uma fratura oblíqua é inicialmente estável ​​ou minimamente deslocada, ao longo do tempo pode desviar. Isto é especialmente mais frequente se a fíbula não está quebrada.

Fratura espiral: Este tipo de fratura é causada por uma força de torção. O resultado é uma espiral em forma de linha de fratura sobre o osso, como uma escada em caracol. Fraturas em espiral podem ser deslocadas ou estáveis, dependendo da quantidade de força que provocou a fratura. 

Fratura cominutiva ou multifragmentar: Este tipo de fratura é muito instável. O osso quebra em três ou mais fragmentos.

Fratura exposta: Quando os ossos quebrados rompem a pele, eles são chamados de fraturas expostas ou abertas. Por exemplo, quando um pedestre é atingido pelo pára-choques de um carro em movimento, a tíbia quebrada pode se projetar através de um rasgo na pele e de outros tecidos moles.
Fraturas expostas muitas vezes envolvem muito mais danos para os músculos ao redor, além de tendões e ligamentos. Eles têm um maior risco de complicações como infecção e levam mais tempo para curar.

Fratura fechada: Com esta lesão, os ossos quebrados não romper a pele. Apesar da pele não está lesada, internamente os tecidos moles ainda podem ter sido seriamente danificados. Em casos extremos, inchaço excessivo pode cortar o fornecimento de sangue e levar a morte do músculo, e em casos raros amputação ( Síndrome compartimental).

Causas
Colisões, quedas de moto e acidentes de alta energia de alta energia, são causas comuns de fraturas da diáfise tibial. Em casos como estes, o osso pode ser quebrado em vários pedaços (fratura cominutiva) Raramente podem quebrar em esportes como no futebol, quando a fratura ocorre com traumas menores precisamos avaliar a possibilidade de fraturas patológicas, atletas que quebram a perna com traumas que habitualmente não produzem fratura podem ter uma história prévia de dor após os treinos e apresentarem um trinca  (fratura de estresse) por overtraining.

Lesões esportivas: Essas fraturas são normalmente causados ​​por uma força de torção e resultam em um tipo oblíquo ou espiral de fratura.

Quais os sintomas da fratura de tíbia?
Os sintomas mais comuns de uma fratura diafisária da tíbia são:
  • Dor
  • Incapacidade de caminhar ou suportar o peso sobre a perna
  • Deformidade ou instabilidade da perna
  • Osso saliente sob a pele 
  • Perda ocasional da sensibilidade no pé

Exame médico
É importante que o seu médico saiba as circunstâncias de como ocorreu a fratura. Por exemplo, se você caiu de uma árvore, até onde você caiu? É tão importante para o seu médico para saber se você sustenta qualquer outros ferimentos e se você tiver outros problemas médicos, tais como diabetes. O médico também precisa saber se você toma qualquer medicação. Depois de discutir os seus sintomas e história médico, o médico fará um exame cuidadoso, irá avaliar o seu estado geral, e em seguida se concentrar em sua perna. 

  • Deformidade óbvia, tais como angulação ou encurtamento (as pernas não têm o mesmo comprimento)
  • Fissuras na pele
  • Contusões (escoriações)
  • Inchaço
  • Proeminências ósseas sob a pele
  • Instabilidade (alguns pacientes podem reter um certo grau de estabilidade se a fíbula permanece intacta ou a fratura for incompleta, essa podem se completar com um trauma mais forte)
Após a inspeção visual, o ortopedista pode paupar ao longo da perna para ver se há anormalidades da tíbia. No paciente acordado e alerta, o médico pode testar a sensibilidade e força muscular, pedindo para mover os dedos dos pés e avaliando a sensibilidade nas diferentes áreas ao longo do pé e tornozelo.


Testes e Exames de Imagem
Outros exames que podem ajudar o médico a confirmar a sua fratura incluem:

Raios X
Raios-X pode mostrar se o osso está quebrado e se há deslocamento (a distância entre os ossos quebrados). Eles também podem mostrar quantos pedaços de osso existem. Os raios X são úteis para identificar o envolvimento do joelho ou tornozelo e a presença de uma fratura da fíbula.

A tomografia computadorizada (TC)
Depois de revisar o exames de raios-x, o ortopedista pode recomendar uma tomografia computadorizada da perna. Isto é feito frequentemente, se há uma fratura estendendo-se para a região do joelho ou tornozelo. A tomografia computadorizada mostra uma imagem de corte transversal do membro. Ele pode fornecer ao seu ortopedista informações valiosas sobre a gravidade da fratura.

Tratamento da Fratura de Tíbia
No planejamento de seu tratamento, o ortopedista irá considerar várias coisas, incluindo:

  • A causa da lesão ( trauma agudo, fratura de estresse que se completou, etc)
  • A saúde geral do Paciente
  • A gravidade da lesão
  • A extensão dos danos dos tecidos moles
Tratamento não cirúrgico pode ser recomendado para pacientes que:

  • Tem doenças sistêmicas que dificultam o tratamento operatório ( diabetes, doença vascular)
  • Pessoas sedentárias, que por isso são mais capazes de tolerar pequenos graus de angulação ou diferenças no comprimento da perna.
  • Têm fraturas fechadas com apenas dois fragmentos de ossos grandes e com deslocamento pequeno 
Tratamento inicial. A maioria das lesões causam algum inchaço durante as primeiras semanas. O médico ortopedista pode inicialmente aplicar uma tala para proporcionar conforto e apoio. Ao contrário de um gesso circular, uma tala pode ser apertada ou afrouxada e permite que o inchaço ocorra de forma segura. Depois que o inchaço diminui, o médico ortopedista irá considerar um leque de opções de tratamento.



Tratamento com aparelho Gessado. Um método de tratamento não cirúrgico é o gesso tipo PTB ( Patelar Tendon Bearing - gesso de contato total com apoio no tendão patelar descrito por Sarmiento) Inicialmente é usada uma calha, depois um gesso completo: cruro podálico e finalmente o PTB. Depois de semanas no gesso, ele pode ser substituído com um imobilizador ou brace funcional e iniciada fisioterapia.

Tratamento Cirúrgico
O médico ortopedista pode recomendar uma cirurgia para a fratura se:
  • Uma fratura aberta ou exposta, ou ainda que apresente feridas que necessitam de monitoramento 
  • Extremamente instável devido a fragmentos de ossos soltos e grandes deslocamentos 
  • Fratura que não curou com métodos não-cirúrgicos
Fixação Intramedular. A forma atual mais popular de tratamento cirúrgico para fraturas da tíbia é a haste intramedular. Durante este procedimento, uma haste de metal especialmente projetada é inserida a partir da frente do joelho para baixo no canal medular da tíbia. A haste passa através da fratura para mantê-lo na posição, o ideal é fixar a haste percutaneamente nas região proximal e distal a fratura.


Tipos de Haste Intramedular.
Hastes intramedulares vêm em vários comprimentos e diâmetros para caber na maioria dos ossos  da tíbia. A haste intramedular é parafusado ao osso em ambas as extremidades. Isso mantém as fragmentos ósseos na posição correta durante a cicatrização.

Vantagens da haste Intramedular de Tíbia.
A Haste Intramedular permite uma fixação estável e forte. O paciente pode em geral pisar com apoio sobre o membro fraturado e fixado com uma haste intramedular. A técnica também torna mais provável que a posição do osso obtido no momento da cirurgia seja mantido quando comparado com a placa ou a fixação externa.

Placas e parafusos. As fraturas da diáfise da tíbia eram rotineiramente tratados com placa e parafuso. Estas ferramentas são reservados para fraturas onde a fixação com hastes intramedulares não é  possível ou ideal, porém é opção também em certas fraturas que se estendem tanto para o joelho ou tornozelo.
Durante este tipo de procedimento, os fragmentos ósseos são primeiramente reposicionados (reduzidos) em seu alinhamento normal. Eles são mantidos juntos por parafusos especiais e placas de metal ligada à superfície externa do osso.

Fixação externa. Neste tipo de operação, pinos de metal ou parafusos são colocados dentro do osso acima e abaixo do local da fratura. Os pinos e parafusos são conectados a um barra fora da pele. Este dispositivo é um quadro de estabilização que mantém os ossos na posição adequada para que eles possam curar e a pele cicatrizar
A fixação externa produz resultados razoáveis e é um excelente método para tratamento das partes moles.

Recuperação pós fratura de Tíbia
O tempo para voltar às atividades diárias varia de acordo com diferentes tipos de fratura. Algumas fraturas da diáfise tibial curam dentro de quatro meses, mas muitos podem demorar 6 meses ou mais tempo para sarar. Isto é particularmente verdadeiro com fraturas expostas e nas fraturas em pacientes menos saudáveis com doenças sistêmicas e desnutridos.

Movimentação precoce. Muitas vezes incentivamos o movimento das pernas no início do período de recuperação. Por exemplo, se lesão de tecidos moles está presente com uma fratura, o joelho, tornozelo, pé e dedos podem ser mobilizados no início, a fim de evitar a rigidez e evitar trombose.
Fisioterapia. Durante o uso de gesso circular ou tala, o paciente provavelmente vai perder a força muscular no local da lesão. Exercícios durante o processo de cura e após a remoção do gesso são importantes. Eles irão ajudar a restaurar a força muscular, mobilidade articular e flexibilidade.
Peso corporal. Quando o paciente começa a andar, provavelmente precisará usar muletas ou um andador.
É muito importante seguir as instruções do seu médico ortopedista em relação a colocação ou não de peso ( carga) sobre o perna quebrada para evitar problemas. Em alguns casos, os médicos irão permitir que os pacientes coloquem peso sobre a perna após a cirurgia e em outras situações colocar peso sobre a perna é terminantemente proibido. Você deve sempre seguir as instruções específicas dadas pelo seu cirurgião.

Dor A dor no local da fratura geralmente diminui muito antes mesmo do osso colar. Colocar peso sem autorização médica em fraturas com extensão metafisária e articular para o joelho ou tornozelo pode provocar afundamento ósseo e a necessidade de cirurgia para colocação de enxerto. 

Complicações A fratura diafisária da tíbia pode causar vários danos e complicações.
  • Fragmentos afiados podem cortar ou rasgar os músculos adjacentes, nervos ou vasos sanguíneos. 
  • Inchaço excessivo pode levar à síndrome de compartimental, uma condição na qual os compartimentos da perna edemaciam e a circulação sanguinea é interrompida levando a necrose dos tecidos Isso pode resultar em consequências graves e requer cirurgia de emergência uma vez diagnosticada. 
Fraturas expostas podem provocar infecção profunda óssea ou osteomielite, embora a prevenção de infecção tenha melhorado dramaticamente ao longo da última geração.As complicações cirúrgicas
  • Desalinhamento, ou a incapacidade de posicionar corretamente os fragmentos 
  • Infecção 
  • Lesão dos nervos 
  • Lesão vascular 
  • Coágulos sanguíneos - Trombose (estes também podem ocorrer sem cirurgia) 
  • Pseudartrose (ocorre quando osso não cura) 
  • Angulação 
  • Necessidade de outras cirurgias
Certos fatores estão frequentemente associados a dificuldades na consolidação de fraturas. Fraturas expostas, em que os fragmentos ósseos são deslocados o suficiente para sair da pele, geralmente sustentam uma maior lesão e estão em maior risco para a infecção. Isso pode frear ou impedir a cura. Essas fraturas são mais susceptíveis de exigir procedimentos cirúrgicos secundários. Pacientes Fumantes e com diabetes podem ter dificuldade de consolidação das fraturas em geral.
Além disso, a saúde geral pode ter um efeito sobre a cura. Fumo e uso de corticosteróides afetam ambos os ossos e também a cicatrização da pele, por isso é importante informar o seu médico se você for fumante.

Pesquisa
Proteínas morfogenéticas ósseas (BMPs) formam uma nova classe de proteínas que tem sido identificado com fatores que promovem a cicatrização óssea. Algumas dessas proteínas foram isolados e estão disponíveis para uso como coadjuvantes para cicatrização das fraturas.


Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 03/01/2014

103 comentários:

  1. Excelente matéria,parabéns,tira muitas dúvidas que existem em nossas fraturas de tíbia..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felipe Damschi29 de dezembro de 2013 04:45
      A Fratura na tíbia do lutador Anderson Silva no UFC 168.. ficou claro nas imagens que a região do golpe + a força exercida foi fundamental para a fratura diafisária, porem gostaria de saber se o Dr. Acredita que a desidratação feita antes da luta, para bater o peso, influencia na perda de cálcio e vitaminas precursoras que dariam mais resistência ao ossos? ou mesmo com a desidratação feita isso não influencia em nada?

      ResponderExcluir
      Respostas

      Marcos Britto da Silva3 de janeiro de 2014 16:10
      Uma boa alimentação é fundamental para a saúde musculo esquelética, e sendo o Anderson Silvia um atleta de alta performance com um grande time ao seu redor acredito que ele tenha esse suporte.
      Como hipótese de osso mais fraco não pensaria a princípio numa desitratação, talvez em carencia de vitamina D que é comum em pessoas com pele negra. Não sou médico dele porém tive oportunidade de tratar de casos semelhantes, em algumas situações o paciente apresenta uma pequena trinca previamente a luta e durante a luta o fratura simplesmente se completa. Isso é muito comum em atletas que fazem treinamentos muito intensos na preparação para lutar. Chutar repetidamente com a perna pode causar uma fratura de estresse que predispõe o osso a uma fratura completa durante um chute mais forte. Nessas situações é muito importante prestar a atenção nas dores pós treino e procurar sempre um ortopedista especialista em esportes que pode suspeitar de uma fratura de estresse pelo exame clínico e confirmá-la com um exame de imagem.

      Excluir
  2. gostei muito de sua materia... tirou minhas duvidas

    ResponderExcluir
  3. muito boa a sua explicacão parabens;;;;;;;;

    ResponderExcluir
  4. Doutor, fraturei a tíbia a duas semanas, tive que passar por cirurgia, pois foi inserida uma placa, desde que recebi alta a uma semana atrás não sinto dores nem no local da cirurgia nem no local da fratura porém sinto uma dor muito forte como se tivesse algo machucando meu calcanhar essa dor só passa se deito a perna de lado, não sei nem se posso fazer isso, o médico marcou meu retorno só para daqui a 30 dias, não sei se essa dor é normal ou se devo procura-lo antes .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Apoiar continuamente uma região do corpo no mesmo lugar pode levar a formação de escara ( ferida ). Converse com seu ortopedista orientá-lo sobre as posições da perna operada.

      Excluir
  5. Olá Dr. Marcos!

    Muito interesante sua matéria. Fazem 41 dias hoje (21/09/12) que tive fratura exposta da tíbia na região do tornozelo com luxação do tâlus. Estou melhorando dia após dia. Estou usando o fixador externo e acredito que, segundo o médico, mais 10 dias e já estarei tirando ele. Minha dúvida é se no meu caso por não ser fumante, não ter problema de diabetes, ser jovem e saudável e com minha dedicação na fisioterapia poderá fazer com que me recupere antes dos 6 meses??? Também tive rompimento dos ligamentos porém não tive o rompimento dos tendões. Grande Abraço Rafael

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que esse prazo tenha sido dado pelo seu Ortopedista, acho o um tempo razoável, em teoria sim porém seu médico vai precisar monitorar o caso.

      Excluir
  6. Olá Doutor Marcos

    Meu nome é Bruno, tenho 15 anos e sofri um acidente de moto a 1 mes e duas semanas, quebrei o femur e a tibia(e fibula tambem) ambos expostos.
    ontem fez 1 mes da minha ultima cirurgia, eu só to conseguindo dobrar meu joelho 50%, to andando de moletas, na cirurgia do femur nos pontos tem 7 pontos 1 ao lado do outro que estao inchados que a pele se esticou um pouco, se eu apertar doi um pouco, e embaixo da cirurgia sinto a pele dormente, voce acha que é normal ?
    cirurgia da tibia ; tinha uma bolhinha com pus, mas cor de sangue, so saiu pus uma vez e sumiu a bolha.
    Voce acha que os sintomas das minhas cirurgias podem ser de infecção ? eu nao tenho febre, e nao exala qualquer tipo de odor.

    ResponderExcluir
  7. Bom Dia Dr.Mrcos...sofri um acidente de moto em fevereiro deste ano,tive uma fratura exposta (pelo que entendi fratura de tíbia diafisaria)o osso quebrou em tres partes...foi colocado uma haste e alguns parafusos,até o monento o osso ainda não colou, é normal? ainda não comecei fazer fisioterapia,meu médico disse que só farei depois que o osso colar,está correto?posso começar a fazer academia?e mancar é normal até quando?desde já eu te agradeço e as suas matérias são exelentes. Obrigado

    ResponderExcluir
  8. Leia nesse blog sobre consolidação de fraturas, as demais dúvidas você deve conversar com o seu ortopedista.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde DR.Marcos.. Sofri uma fratura na tibia Fratura oblíqua: apos choque no futebol. fiquei com gesso 60 dias e meu medico me passou que eu não preciso fazer fisioterapia que e para eu iniciar uma academia de leve, porem ainda estou sentido dores no local da fratura e não estou conseguindo caminhar ainda, caminho mancando .
    Dr.Marcos Devo fazer a fisioterapia? ou qual procedimento devo seguir. Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. converse com seu medico ortopedista sobre essas dores

      Excluir
  10. Dr. Há 9 anos sofri um acidente que no qual fui atropelada e tive uma fratura exposta na tíbia. Desde então tenho uma perna menor que a outra a canela lesionada colou, porém, ficou "torta" e com uma saliência, é como um "calombo" do próprio osso. Gostaria de saber se existe possibilidade de uma cirurgia reparadora, e quais são os danos que poderia me causar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim , existe a osteotomia que está indicada em alguns casos de consolidação viciosa.

      Excluir
    2. A 3 anos sofri um acidente quebrando tíbia e fíbula usei hastes para voltar ao lugar, e já esta fazendo 10 messes que tirei a haste da perna pois doía muito, o problema é que mesmo tirando a haste ainda sinto muita dor no tornozelo, pé e joelho, sinto uma perda de sensibilidade do pé ate o meio da canela e tenho de ficar repousando a perna todos os dias c não incha muito e não suporto nem andar e quando deito sinto uma forte dor no joelho como se ele fica-se latejando, isso é normal poderia voltar a melhorar pois já tem 3 anos que isso vem me afetando??

      Excluir
    3. SIM, com fisioterapia e caminhadas diarias.

      Excluir
  11. Dr. eu fraturei a tibia em um acidente de moto x caminhonete, na qual houve uma espécie de esmagamento da minha canela (preensou na batida). Durante o tratamento eu coloquei fixador externo e depois uma haste de platina além de 7 pinos, a haste de platina vai próximo do tornozelo até bem próximo ao joelho e possui 4 pinos em baixo e 3 acima.. Este acidente ocorreu em maio de 2010, e atualmente eu sinto algo perturbador na parte inferior (sendo que a parte grave do acidente foi do meio pra cima), é algo como umas pontadas ao andar ou será que é rejeição da platina??
    Dr. gostaria de perguntar ainda se é possível que eu faça Muay Thai (esporte de luta onde o principal ataque são chutes com a canela), pois eu tenho muito medo de dar caneladas no saco de pancada aqui em casa, mas tenho grande vontade de praticar este esporte, será que corro o risco de quebrar novamente a perna ou algo relacionado..

    PARABÉNS PELA MATÉRIA..

    Gustavo Mota

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para responder a sua pergunta precisaria examiná-lo

      Excluir
  12. Boa Tarde, Drº fui atropelada e parti a TIBIA e o PERONEO, fui operada e colocaram-me cavilha na tibia, isso foi a 2 meses e 12 dias, meu medico diz q está havendo um entardamento do ligamento do osso e eu vejo nos raios x q ha uma diferença nos ossos, estou tentando levar uma vida mais ou menos normal ja q ando ainda com uma canadiana e em casa tento andar firmando a perna, me doi bastante,ha uma irregularidade tipo um alto no local onde o osso partiu é normal? será q está dentro da epoca certa pra o osso se juntar? ja q tenho receio de ficar com uma perna maior q a outra. sera q eu vou ficar boa?
    Gostei imenso da sua materia...
    Agradeço se me respondesse..
    Cumprimentos...
    Izabela

    ResponderExcluir
  13. LEIA SOBRE CONSOLIDAÇÃO DE FRATURAS NESSE BLOG

    ResponderExcluir
  14. Boa Tarde sofri um acidente de moto e tive fratura na tibia bem no meio do osso, mas nao foi exposta. Minha cirurgia foi colocado a HASTE mas detalhe q coloco só uma parafuso perto do joelho. O médico falo q minha recuperacao é de 6 a 9 meses. Minha duvida é o seguinte ja tem quase dois meses da cirurgia e o osso ta começando a calcifica agora, ainda nao grudo. Eu fazendo conforme as instrucoes do medico pra mim comecar a andar sem utilizacao de muleta é de quanto tempo aparti da cirurgia? desde já agradeço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É fundamental no pós operatório seguir estritamente as recomendações do seu ortopedista, não aceite opinião de outras pessoas pois isso pode prejudicar a resultado final.

      Excluir
  15. ola sou o nuno tenho uma fractura exposta no osso da tibia e uma fractura no osso do calcaneo! que me vai acontecer? estas fracturas foram provocadas num acidente de aviaçao onde um carro me bateu onde a minha viatura era uma motorizada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente seu tratamento irá necessitar de tratamentos cirúrgicos

      Excluir
  16. Olá Dr.
    Recentemente levei um tiro na perna, ao reagir a um assalto.
    A bala entrou na coxa direita, tambem do lado direito e saiu a 20 centímetros abaixo, do lado esquerdo.
    Fui atendido e os médicos costuraram e fizeram o curativo.
    Gostaria saber se é preciso tomar alguma atenção especial, contra hemorragia, e tambem se há diferença entre eu fazer os curativos em casa ou no hospital.
    É que minha maior preocupação ´mesmo a questão da infecção.

    Obs: Não houve fratura. O projétil pegou apenas na carne. rs

    Obrigado pela atenção!
    Tenha um bom dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é uma lesão séria e merece atenção especial médica, melhor tratar num local com atenção médica.

      Excluir
  17. Olá Dr Marcos.
    Meu nome é Daniele, meu esposo sofreu um acidente de moto e ele perdeu 8 cm da tibia, ele irá fazer uma cirurgia para colocar o Ilizarov, o sr com sua experiência , acha que ele irá voltar a andar normalmente? E o pé dele está muito ichado, volta ao normal?
    Desde de já agradeço a atenção dispensada.
    Att
    Daniele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O fixador extermo pode realizar o alongamento ósseo, a função está relacionada as partes moles, com nervos e músculos funcionando o retorno das funções é possível.

      Excluir
  18. Olá Dr. fui atropelada há 2 anos e coloquei placa e parafusos no tornozelo e tíbia, mas continuo com dores, para andar, movimentos de impacto, é normal?vou fazer cirurgia para a retirada da placa e dos parafusos, será que a dor vai sumir? Obrigada!

    ResponderExcluir
  19. Dr quero parabeniza-lo por esta materia, que tira muitas duvidas, estas que as vezes nem lembramos de falar com o medico em consultorio, parabens por sua etica profissional, mesmo quando as pessoas ficam querendo se consultar por aqui.Sucesso, feliz 2013.

    ResponderExcluir
  20. Olá Dr. sofri uma lesão a 35 dias atrás durante uma partida de Futebol , operei no outro dia , minha recuperação esta indo bem , coloquei uma haste de titânio interna , mais uma coisa esta me preocupando, não tenho muito ficado com o pé pra cima , e ele esta ficando branco, é normal doutor ? tem risco de necrose?

    ResponderExcluir
  21. Uma manobra simples para avaliar a perfusão distal é pressionar e soltar a unha. Observamos a unha ficar branca e o sangue retornar, avaliamos a velocidade de retorno no sangue e comparamos com o lado contralateral, se a perfusão distal esta lentificada, as extremidades estão frias e com alteração de cor devemos procuram um médico ou um serviço de urgência.

    ResponderExcluir
  22. Olá Dr. Marcos, primeiramente parabéns pelo artigo ele foi muito útil para o meu caso.
    Dr. eu tive uma fratura na tíbia e fíbula a 1 ano atrás. 1 fratura na fíbula e 2 na tíbia particionando-a em 3 e deixando alguns fragmentos. No momento da fratura minha canela dobrou em forma de L, na verdade quase um U por causa de ter fraturado em mais de 1 lugar, eu vi o osso apontando na pele mas não chegou a sair. Fiz uma cirurgia onde coloquei uma haste na tíbia, a fíbula não precisou de nada. Segundo meu médico minha recuperação ossea foi exelente e até rápida minha perna ficou perfeitamente alinhada, porém eu ainda sinto muita dor na região do joelho ao fazer movimentos como o de cruzar as pernas colocando o pé em cima do outro joelho, além disso eu até hoje não consegui parar de mancar, e sinto dores musculares constamente na batata. Meu médico disse que o mais provavel seria a ponta da haste estar pegando, mesmo que de leve, numa gordurinha acima da tíbia e abaixo do joelho "onde sinto a dor". O que acho estranho é que não sinto dor ao caminhar e mesmo assim não consigo parar de mancar e isso me leva a pensar que talvez minha tíbia tenha crescido poucos milimetros e que talvez este seja o motivo de eu estar mancando. Você acha que isto é possível?

    ResponderExcluir
  23. doutor, estou com 107 dias de uma fratura na tibia, bem no meio, onde dizem que é mais demorado o processo de cicatrização, não foi feito cirugia,pois ficou alinhada e não tinha fragmentos,mas esta com retardo de consolidação.
    qual é o prazo máximo para esta consolidação ocorrer e não ficar uma pseudoartroze?
    ouvi falar sobre o tratamento de ondas de choque, pode resolver? e é mesmo caro meu médico falou em torno de R$1500,00 duas sessões.
    caso não consolide dentro do prazo, a cirurgia para por pinos pode resolver?
    att. marcelo 40anos

    ResponderExcluir
  24. Olá Dr Marcos, sou praticante de corrida de rua há um tempo e em dezembro de 2012 sofri uma lesão. Após passar por 6 ortopesdistas diferentes e vários diagnósticos como condromalácia, canelite, tendinite patelar, inflamação da pata de ganso... fiz uma RM e descobri que tenho uma fratura de estresse transversal na região proximal da tíbia. Estou usando um imobilizador daqueles com velcro, muleta e fazendo fisioterapia. O imobilizador parace aumentar minha dor, então eu tiro. Estou um tanto descrente sobre os atendimentos que tenho recebido então gostaria de saber qual o tratamento mais adequado para meu caso. Está correto? Desde já, obrigada
    Thaise Senez

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para prescrever o tratamento para um caso específico precisamos examinar o paciente, não podemos prescrever sem examinar pois cada caso é um caso. O que é correto para um paciente pode não ser o melhor para o outro.

      Excluir
  25. Ola Dr.meu nome e Alberto Domingos, escrevo de mocambique, Dr. por favor me ajude. sofri um acidente de viacao onde parti a tibia, apois ocidente colocaram gesso, nao fizeram cirugia e disseram para ficar 4 meses com o gesso, Dr. ja tenho 3 meses. ainda sinto muitas dores e sinto o osso a abanar.
    por favor Dr. me ajude por tudo o que e mais sagrado. um abraco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve retornar ao ortopedista, sempre mantenha acompanhamento de perto.

      Excluir
  26. Dr. a 7 meses atras eu fraturei a tibia, e a fibula tambem, ja estava andando, sem moleta, faltava pouco p mim andar normal, meu fisioterapeuto disse que no maximo daria um mes... mais hoje eu levei uma pancada forte na perna, e estou com muita dor, quando piso, sinto uma dor.. mais qndo deito eu aperto e nao doi nada.. tou com muito medo de ter quebrado novamente... o que vc acha?? pode ter sido tbm uma fratura incompleta? Me responda.. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nesse caso acho prudente retornar ao ortopedista

      Excluir
  27. Olá Dr. a seis meses quebrei a tibia da perna direita fiquei 5 meses com gesso e 1 mes com bota imobilizadora, o medico disse que nao preciso fazer fisioterapia que era pra eu somente começar a andar, mas ja faz 15 dias que nao uso a bota e ainda sinto muita dor no meu pé quando piso no chao e esta muito inchado é normal?? desde ja agradeço

    ResponderExcluir
  28. boa noite Dr MARCOS tenho lido todos comentarios em seu blog e vou tentar expor o meu..no dia 24/03/013 sofri acidente de moto levado ao hospital ficou constatado fraturas de 1/3 distal da tibia e fibula dia 1/04/013 operei foi colocada placa e paraf. na tibia na fibula nada fiquei com tala ate 26/06 apos isso o medico tirou e liberou fisioterapia a qual estou ate hoje porem meu tornozelo incha muito mostrei os rx a outro medico e ele me falou que so melhora se retirar os 03 paraf.que estao na ponta da tibia pate do tornozelo pois como eu t/bem pude ver 02 estao atravessando e tocando na fibula eo terceiro tocando num desses outros dois e me falou tambem que o cirurgiao nao alinhou a fratura totalmente tanto que meu pe nao esta alinhado com o joelho retornei ao hospital e o medico que me atende disse que esta tudo normal para um pos operatorio mais nao consigo colocar o minimo peso na perna parece que a placa vai rasgar o tornozelo nao sei se realmente o medico que me atende no hospital esta certo pois nao quer me mandar para reavaliaçao cirurgica no entanto o outro dr falou que seria uma simples incisao no tornozelo para trocar os parafusos.. nao sei como fazer para sair desta situaçao visto que no momento nao disponho de muitos recursos estou louco para voltar ao meu trabalho e nao ao inss ajuda que lhe peço aoSr como medico. e como devo fazer ou agir para buscar minha melhora pois infelismente o Sr sabe como e saude no rio de janeiro.. me desculpe se nao me expressei direito mas estou disesperado....ja ia me esquecendo a fibula ja esta boa a tibia ainda nao se uniu totalmente ja sao 08 meses nao sei se tudo que tentei falar e normal desde ja abraços e muito obrigado

    ResponderExcluir
  29. Fumar atrapalha a consolidação, na sua foto você esta com um cigarro na mão!!

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Dr. Marcos... A 17 dias fiz uma cirurgia de tíbia com colocação de placa e pinos já tirei a tala continua doendo, inchado e o lado interno inferior esta com a pele enrugada e escura, até onde isto é normal? Obrigado desde já e espero resposta

    ResponderExcluir
  31. Doutor tenho 28 anos, sofri um acidente aos 14, fraturei o colo de femur, foi fixado parafusos e minha perna ficou menor uns 3 ou 4 centimetros, tem alguma tecnica cirurgica para o alongamento? Sofro tanto, e posso ter complicacoes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim existem técnicas para alongamento ósseo, para saber se estão indicadas no seu caso você precisaria de uma avaliação por um colega ortopedista.

      Excluir
  32. Dr, gostei da materia do sr......... so me tira uma duvida........

    Eu fraturei a tibia e fibula...coloquei fixador externo e cai denovo....na segunda cirurgia foi retirado o fixador externo e colocado uma placa...... a placa que foi colocada deu duas bolhas que saiam sangue e pus........ fui no ortopedista ele disse que precisa remover a placa e colocar gaiola............... minha duvida é....... ja estou quase 1 mes com a placa .........com a gaiola eu perco o tempo. De colagem do osso ? Vou ter q comecar tudo denovo ??


    Obrigado pea atencao... abraco.... bom dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sucesso da cirurgia também depende da aderência ao tratamento, novas quedas provocam a perda da cirurgia. o tratamento da infeção 'é uma prioridade no momento, siga as orientações médicas.

      Excluir
  33. Ola doutor faz 30 diad q fraturei a fibula e rachou a tibia estou engessado mad continua a for no local da fratura é normsl isso.

    ResponderExcluir
  34. Olá doutor . eu tive um acidente de carro em um ano atrás, e teve que colocar placa de metal na minha perna. eu jogava futebol profissionalmente, não terá mais como eu voltar a jogar? ou com fisioterapia voltaria ao normal?

    ResponderExcluir
  35. O objetivo da cirurgia ortopédica e o retorno ao Status Quo.

    ResponderExcluir
  36. ola eu chamo-me guilherme e tenho 13 anos e tive uma fratura distal da Tibia SH Tipo II e tive um mes e 10 dias com gesso no dia 10 de dezembro foi tirar o gesso e fiz Raio X e o osso esta recuperado e o medico ortopedista disse para eu utilizar uma meia elasticas por uns dias para nao inchar e utilizei e tambem disse para eu começando a andar e fiz isso tudo mas quando começo a andar normalmente doi-me ao pé do tornozelo e nao sei o que se passa.
    Quando tivesse tempo podia-me responder. Obrigado por criar este blog tao bom. Espero pela sua resposta se faz o favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O organismo tem seu próprio tempo. Continue seguindo as orientações do seu ortopedista.

      Excluir
  37. Marcos,

    O lesionado que foi tratado com haste intramedular para fixação da tíbia terá que ficar com a haste pra sempre ou em algum momento a haste pode ser retirada?

    ResponderExcluir
  38. Olá Doutor, fraturei a tíbia em um acidente de moto e passei por cirurgia para colocação de haste e parafusos, sinto que correu tudo bem até o momento mas agora depois de três meses e meio sinto dores na fratura quando ando sem muletas, é normal, será que estou adiantando o processo?

    ResponderExcluir
  39. Olá Doutor, fraturei a tíbia e a fíbula das 2 pernas, hoje depois de 5 meses estou com inchaço que apareceu no lugar da fratura exposta, bem abaixo da cicatriz, o que pode ser, osso que soltou ou alguma inflamação?

    ResponderExcluir
  40. Dr. Marcos Britto, eu gostaria de saber mais sobre a cirurgia de alongamento ósseo estético (eficácia, vida esportiva pós cirurgia, tempo de recuperação, contraindicações, etc.). É uma dúvida pessoal, tenho 32 anos e tenho complexo com minha altura (1.59 m) e gostaria de ganhar alguns centímetros. É possível?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não realizo esse tido de cirurgia, não realizo cirurgias estéticas, somente cirurgias de reparação. Podemos fazer alongamento osseos em casos de perda óssea de muitos centímetros.

      Excluir
  41. Dr. boa noite, eu sofri um pancada na região da tíbia e da fíbula, mas não houve fratura (aparentemente), porém de vez em quando sinto um leve dor na região atingida, será que houve alguma fratura interna?

    Parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
  42. bom dia ! sofri um acidente a um ano e seis meses aonde fraturei a tibia , radio e ulna tenho fixação de placas e parafusos em ambos
    CID 10 - S52.5 Fratura da extremidade distal do rádio

    CID 10 - S82.2 Fratura da diáfise da tíbia
    ,sinto muitas dores e normal isso ??? obrigada !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nessa situação você deveria procurar um ortopedista

      Excluir
  43. Dr. Parabéns pelo seu trabalho e tenha certeza que seu blog está ajudando mts pessoas!! Gostaria de saber se após a colocação da haste intramedular na Fibia, o paciente seguir todas as orientações médicas existe a possibilidade de uma cura total do membro lesionado. Este paciente pode voltar a correr e caminhar normalmente? Já houve casos em que isso aconteceu?

    ResponderExcluir
  44. Ola doutor , há 1 ano tive fratura do tipo joelho flutuante, quebrei o femur a tibia e a fibula, não cinto mais dores mas agora quando forço um pouco a perna cinto a Placa da tibia encomodar, dói muito e a perna ja esta consolidada. Quero voltar a praticar esportes mas com essa placa em minha perna não da ! como faço pra remover ela?obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A retirada de material de síntese quando indicado é realizada pelo ortopedista

      Excluir
  45. Ola doutor meu irmao sofreu um acidente de moto um carro se jogou na perna direita e teve uma fratura exposta no femur e outras duas na tibia e acima do tornozelo foi feita uma cirurgia de urgencia e apos 20 dias outras onde colocaram parafusos internos ele fica o tempo todo com a perna estirada,mas sente muita dor o tempo todo e normal,faz parte do processo de cicatrisaçao ,obrigado pela atençao.

    ResponderExcluir
  46. A principio o movimento articular é benéfico, porém deve ser feito com orientação médica e quando possível supervisionado por um fisioterapeuta.

    ResponderExcluir
  47. eu fraturei a Tibia e a fibula em um acidente de moto no dia 25/01/14 e depois de duas semanas no dia 10/02/14 fiz a cirurgia onde foi colocada 4 hastes no osso.
    Porem hoje dia 14/02/14 eu já estou conseguindo dobrar quase toda a perna e ja estou me equilibrando em moletas e ate consigo suspender um pouco a perna sozinha, sinto um pouco de dor sim, as vezes da umas figadas mas nada tão intenso... isso com apenas 4 dias de cirurgia.
    A pergunta é: Isso é normal ? estou fazendo certo em já forçar um pouco em moletas? Será que minha recuperação esta sendo mais rápida? isso é normal ?
    preciso muito saber, eagradeço desde já ;]

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somente o ortopedista que te operou pode lhe orientar a pisar, se ele não orientou nesse sentido você está errada

      Excluir
  48. tive uma pseudo artrose no maleolo fibular e faz meses que nao cola, meu medico receitou ondas de choque, tem cura sem operaçao?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muitos casos de pseudartrose requerem tratamento cirurgico

      Excluir
  49. Dr eu sofri uma fratura tibia e fibola diafisaria forao duas em cada oso aplicarao uma aste intra medular na patela do joelho ate a canela ja fas um ano e ainda sinto muita dor no joelho e fraquesa do mesm e difculdade ao dobralo e normal ???? terei q comviver com iso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas lesões causadas pelo acidente podem causar danos e sequelas permanentes, para determinar se esse é o seu caso você deve conversar com um ortopedista, a parcela significativa dos problemas melhora com fisioterapia

      Excluir
  50. Doutor Meu nome é Ana Carolina A 6 meses sofri um acidente de moto onde fraturei a tibia e tive deslocamento de quadril ja estou sem nenhuma proteçao na perna ja posso começar a fazer academia levemente ??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Ana, libero para atividades físicas somente os pacientes que tenho oportunidade de examinar pessoalmente.

      Excluir
  51. Doutor primeiramente gostaria de parabenizar a sua publicação pois foi muito util para esclarecer algumas duvidas que eu ja tinha, vai fazer 1 mês que minha namorada foi atropelada por uma moto, e ela sofreu uma fratura fechada na tibia e fibula, ela fez a cirurgia e esta se recuperando em casa, e esta usando uma tala que parece uma calha, gostaria de saber em quanto tempo ela pode remover os pontos e a tala

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A calha será retirada com a orientação do ortopedista. Na próxima consulta com a ferida fechada o médico provavelmente irá retirar os pontos

      Excluir
  52. olá me chamo Jefferson tenho 19 anos sofri uma fratura na tíbia e foi colocados uma placa e sete parafusos já faz um mês que foi feita a cirurgia, as vezes eu ando com a ajuda de uma bengala apoiando um pouco o pé no chão não sinto dor nenhuma na tíbia só algumas dores no pé, corro algum risco?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, sempre que você não segue as orientações médicas você corre riscos

      Excluir
  53. Dr Marcos Boa tarde!
    Meu filho de 4 anos sofreu uma fratura de tibia há um ano,fazemos acompanhamento regular e a fratura se consolidou muito bem.No entanto,o asso fraturado cresceu uns milimetros a mais que o outro. O ortopedista de meu filho disse que isto pode acontecer e que os dois ossos se igualariam normalmente,sem nenhuma intervenção. Tenho razões pra me preocupar ou não?Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O sobrecreacimento é praticamente regra nas fraturas de femur e tibia nas crianças, basta acompanhamento regular nós próximos anos

      Excluir
  54. Dr, Marcos fraturei a tíbia faz 5 dias, estou com a perna engessada mais estou sentindo muitas dores, não consigo levantar, e normal essas dores mesmo estando a perna imobilizada. Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A imobilização em geral melhora as dores, dores intensas devem ser avaliadas por um ortopedista

      Excluir
  55. Dr. Fraturei a tibia em 2004 e coloquei uma haste e hoje venho sentido um pequeno desconforto eu queria saber se algum problema em retirar essa haste

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um material de síntese a principio pode ser retirado, porém você deve consultar um ortopedista para valiar seu caso.

      Excluir

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG
http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html
Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Últimas Artigos Revisados ou Publicados

Vídeos com Aulas e entrevistas com Dr. Marcos Britto da Silva

Loading...

Video Artroscopia de Joelho - Meniscectomia

Video Luxação Acromio Clavicular no Ombro

Video de Reconstrução do LCA

Localize Artigos por data