DOR NAS COSTAS E DOR LOMBAR


Dor nas costas ou dor lombar

Hiperatividade como causa de dor lombar

Lesão de disco intervertebral

Estenose espinal ou Estenose de canal lombar

Escoliose Lombar degenerativa

Fratura por compressão - Fratura vertebral Osteoporótica

Outras causa de dor lombar 

Sintomas da dor lombar 

Testes e Diagnóstico da dor nas costas 

História Médica e Exame Físico nos pacientes 
com dor nas costas

Prevenção da dor nas costas

Exercício físico regular

Use técnica de levantamento adequado de objetos

Mantenha um peso corporal saudável

Não fume

Qual o melhor tratamento para dor nas costas ?

Tratamento Não Cirúrgico para dor nas costas

Tratamento cirúrgico da dor nas costas

Anatomia da região lombar

A coluna é composta de pequenos ossos, chamados vértebras, que ficam empilhados uns sobre os outros. Músculos, ligamentos, nervos e discos intervertebrais são partes adicionais da coluna.

Ilustração de uma hérnia de disco
Degeneração de disco intervertebral
Ilustração de um disco intervertebral colapsado
Espondilolistese Degenerativa
Ilustração de espondilolistese

Use postura adequada

Quase todas as pessoas sentirão dor nas costas em algum momento da vida. Essa dor pode variar em diversos aspectos: intensidade, duração e impacto sobre as atividades cotidianas de cada indivíduo. Independentemente da causa, a dor lombar pode dificultar a realização de muitas atividades cotidianas em casa ou no trabalho.

Os músculos e ligamentos estabilizam os ossos, enquanto os discos intervertebrais fornecem “amortecimento” à coluna para que ela possa tolerar alguns movimentos, além de amortecer o próprio peso corporal. Os nervos que permitem a comunicação entre o cérebro e o corpo estão localizados dentro da coluna na medula espinhal. Entre duas vértebras saem 2 pares de nervos sensitivos e motores.

Compreender a coluna vertebral  e como ela funciona pode ajudá-lo a entender melhor a dor lombar. Saiba mais sobre anatomia da coluna:

A dor nas costas difere de uma pessoa para outra. A dor pode ter início lento ou surgir repentinamente. A dor pode ser intermitente ou constante. Na maioria dos casos, a dor nas costas desaparece sozinha dentro de algumas semanas, qualquer dor lombar que permaneça por mais de 2 semanas, ou apresente outros sintomas associados, como febre, perda de peso, prostração devem ser avaliadas por um médico. 

Existem muitas causas de dor lombar. Às vezes ocorre após um movimento específico, como levantar ou dobrar a coluna, abaixar para pegar objetos no chão ou fazer atividades físicas mais vigorosas como movimentar móveis durante uma faxina ou ajudar a carregar objetos na reforma da casa. O simples fato de envelhecer também desempenha um papel em muitas doenças nas costas.

À medida que envelhecemos, nossa coluna envelhece conosco. O envelhecimento causa alterações degenerativas na coluna vertebral. Estas mudanças podem começar aos 30 anos – ou até mais cedo – e podem propiciar dores nas costas, especialmente se exagerarmos nas nossas atividades.

Estas mudanças relacionadas com o envelhecimento não impedem a maioria das pessoas de levar uma vida produtiva e geralmente sem dor. 

Uma das causas mais comuns de dor lombar é a dor muscular causada pelo excesso de atividade física. Músculos e fibras ligamentares podem ficar sobrecarregados e sofrerem lesão.

Isso geralmente é causado pelo primeiro jogo de futebol depois de muito tempo parado ou trabalho no quintal da casa removendo entulho. Todos estamos familiarizados com essa rigidez e dor na região lombar após esforço físico, que geralmente desaparece em poucos dias. Mais uma vez, qualquer dor lombar que permaneça por mais de 2 semanas deve ser avaliada por um médico.

Algumas pessoas desenvolvem dor lombar que não desaparecem em poucos dias. Isso pode significar que há uma lesão no disco intervertebral.


Lesões do disco intervertebral

Ruptura ou fissura do disco intervertebral.

Às vezes, pequenas rupturas na parte externa do disco intervertebral ocorrem com o envelhecimento. Algumas pessoas com rupturas de disco sente somente pequenas dores ou desconforto lombar. Outros podem sentir dores fortes que duram semanas, meses ou até mais. Um pequeno número de pessoas pode desenvolver dores constantes que duram anos e são bastante incapacitantes. Por que algumas pessoas sentem dor e outras não é bem compreendido, porém pessoas mais ativas 

em geral sentem menos dor ao passo que pessoas mais sedentárias ou que não saem de casa tem uma maior tendência a dores permanentes.

Hérnia de disco.

Outro tipo comum de lesão de disco é um disco “extruso” ou herniado.

imagem de uma Hérnia de disco.

Uma hérnia de disco ocorre quando seu centro gelatinoso (núcleo pulposo) empurra a parede para fora. Se o disco estiver desgastado ou lesado, o núcleo pode extruir e comprimir  a raiz nervosa no forame intervertebral. Quando a hérnia de disco se projeta em direção ao canal espinhal, ela pressiona os nervos espinhais sensíveis, causando dor.

Como uma hérnia de disco na região lombar muitas vezes exerce pressão sobre a raiz nervosa que leva à perna e ao pé, a dor geralmente ocorre nas nádegas e na perna. Isso é chamado de dor ciática ( colocar link )

Degeneração de disco.

Com a idade, os discos intervertebrais começam a desgastar e a encolher. Em alguns casos, eles podem entrar em colapso completamente e fazer com que as articulações interfacetárias – pequenas articulações localizadas entre cada vértebra na parte posterior da coluna – se esfreguem umas nas outras provocando dor e rigidez matinal. 

Descobriu-se também que Fumar acelera a degeneração do disco.

Esse desgaste nas articulações é conhecido como espondiloartrose, artrose ou osteoartrite da coluna. com o passar dos anos pode ocorrer a formação de picos de papagaio que progressivamente levam ao fechamento do canal da medula espinhal causando a estenose de canal lombar 

Espondilolistese.  (vértebra que escorregou)

As alterações decorrentes do envelhecimento e do desgaste tornam difícil para as articulações e ligamentos manter a coluna na posição adequada. As vértebras podem se mover mais do que deveriam e uma vértebra pode deslizar para frente sobre a outra. Se ocorrer muito deslizamento, os ossos podem começar a pressionar os nervos espinhais.

A estenose de canal lombar

Ocorre quando o espaço ao redor da medula espinhal se estreita e pressiona a medula e os nervos espinhais.

Quando os discos intervertebrais entram em colapso e a osteoartrite se desenvolve, o corpo pode responder com o crescimento de novo osso (osteofitose ou bico de papagaio) nas articulações para ajudar a apoiar as vértebras. Com o tempo, esse crescimento ósseo excessivo (chamado esporão) pode levar ao estreitamento do canal espinhal. A osteoartrite também pode causar espessamento dos ligamentos que conectam as vértebras, o que pode estreitar ainda  o canal espinhal.

A escoliose

É uma curva anormal da coluna vertebral que pode se desenvolver em crianças, mais frequentemente durante a adolescência. Também pode se desenvolver em pacientes idosos com artrite. Essa deformidade da coluna vertebral pode causar dor nas costas e eventualmente  dor, fraqueza ou dormência nas pernas se houver pressão nos nervos.

As fraturas por compressão vertebral ou fratura osteopóticas

são uma causa comum de dor nas costas em idosos. À medida que envelhecemos, nossos ossos ficam mais fracos e mais propensos a quebrar, uma condição chamada osteoporose. Em pessoas com osteoporose, pequenos traumas – como sentar-se com força em uma cadeira dura ou vaso sanitário, ou uma queda no nível do solo – podem quebrar os ossos da coluna, resultando em extrema dor nas costas ao se movimentar.

Existem outras causas de dor nas costas,

algumas das quais podem ser graves. Se você tem doença vascular ou arterial, histórico de câncer ou dor sempre presente, independentemente do seu nível de atividade ou posição, consulte seu médico 

A dor nas costas pode variar de pessoa para pessoa. Pode ser pontiagudo ou penetrante. Pode ser incômoda, dolorida ou semelhante a uma cãibra intensa. O tipo de dor que se sente dependerá da causa subjacente que provocou a dor nas costas.

A maioria das pessoas encontra alivio ao reclinar-se ou deitar independentemente da causa da dor..

Pessoas com dor lombar geralmente percebem que a dor piora quando:

  • Inclinam o corpo para frente ou para o lado

  • Sentar piora alguns tipo de dor em outras melhora 

  • Ficar em pé e andar pode também piorar ou em alguns casos aliviar a dor

Comportamento da dor nas costas

  • Dor nas costas pode ser intermitente ou seja  vai e vem, e muitas vezes segue um curso com aumento e diminuição da intensidade, com dias bons e dias ruins.

  • A dor pode irradiar das costas até as nádegas ou a área externa do quadril 

  • Pode estar acompanhada de uma dor Ciática. dor que desde pelas perna e pode chegar até o pé. Alguns pacientes relatam dormência, formigamento ou fraqueza. Embora a ciática esteja comumente associada a uma hérnia de disco, é possível ter ciática sem dor nas costas. leia mais sobre dor ciática. 

Independentemente da sua idade ou dos sintomas, se a dor nas costas não melhorar dentro de algumas semanas ou estiver associada a febre, calafrios ou perda inesperada de peso, você deve ligar para o seu médico. Outros sintomas de alerta incluem fraqueza nas pernas e perda de controle da bexiga e do intestino.

Depois de discutir seus sintomas e histórico médico, seu médico examinará suas costas. Isso incluirá olhar para suas costas e palpar diferentes áreas para ver se dói. Seu médico pode pedir que você se incline para frente para procurar limitações ou dor.

O seu médico em alguns casos  pode medir a função nervosa das pernas. Isso inclui verificar os reflexos nos joelhos e tornozelos e pés, bem como testes de força e de sensação. Isso pode informar o seu médico se os nervos estiverem com algum grau de acometimento..

Outros testes que podem ajudar seu médico a confirmar seu diagnóstico incluem:

Raios X na avaliação da dor lombar

Embora visualizem apenas ossos, radiografias simples podem ajudar a determinar se  as causas mais óbvias de dor nas costas. Eles mostrarão ossos quebrados, alterações de envelhecimento, curvas ou deformidades. As radiografias não mostram discos, músculos ou nervos. Em algumas situações o ortopedista pode solicitar radiografias dinâmicas.

Ressonância magnética (MRI) na avaliação da dor lombar .

As varreduras de ressonância magnética podem criar imagens melhores do que as radiografias de tecidos moles, como músculos, nervos e discos espinhais. Condições como hérnia de disco ou infecção são mais visíveis em uma ressonância magnética.

Tomografia axial computadorizada (TAC) na avalição da dor lombar .

Se o seu médico suspeitar de um problema ósseo, ele poderá sugerir uma tomografia computadorizada. Este estudo é como um raio X tridimensional e concentra-se nos ossos.

Cintilografia óssea na avalição da dor lombar.

  O seu médico pode sugerir uma cintilografia óssea se precisar de mais informações para avaliar sua dor e para ter certeza de que a dor não é causada por um problema raro, como câncer ou uma infecção. Uma cintilografia óssea também pode ajudar a detectar uma fratura.

Teste de densidade óssea na avalição da dor lombar .

Se a osteoporose for uma preocupação, seu médico poderá solicitar um teste de densitometria óssea. A osteoporose enfraquece os ossos e aumenta a probabilidade de fissuras e fraturas. A osteoporose por si também pode causar dor devido a microfraturas nas vértebras, mas as fraturas da coluna vertebral devido à osteoporose podem ocorrer de forma espontânea.

Em geral, o tratamento para dor lombar se enquadra em uma de três categorias: medicamentos, medicina física e cirurgia.

Medicamentos para tratamento da dor nas costas

. Vários medicamentos podem ser usados ​​para ajudar a aliviar sua dor.

  • O paracetamol e a dipirona podem aliviar a dor com poucos efeitos colaterais

  • Antiinflamatórios não esteróides (AINEs), como aspirina, ibuprofeno e naproxeno, reduzem a dor e o inchaço

  • Esteróides , tomados por via oral ou injetados na coluna ( infiltração), fornecem uma alta dose de medicamento antiinflamatório no local da dor

  • Relaxantes musculares  como metocarbamol, carisoprodol e ciclobenzaprina são outros tipo de medicamento oral que podem ajudar. No entanto, eles podem deixá-lo sonolento. Portanto, se você estiver tomando relaxantes musculares, não dirija ou execute tarefas que exijam estar alerta.

  • existem também medicações especiais com o pregabalina e a gabapentina que podem ser efetivos principalmente em casos com compressão nervosa.

Medicina física, Reabilitação e Fisioterapia.

A dor lombar pode ser incapacitante. Medicamentos e tratamentos terapêuticos combinados geralmente proporcionam alívio suficiente da dor para permitir que você faça todas as coisas que deseja.

  • A fisioterapia pode incluir modalidades passivas como calor, gelo, massagem, ultrassom e estimulação elétrica. A terapia ativa consiste em alongamento, levantamento de baixo peso e exercícios cardiovasculares. Praticar exercícios para restaurar o movimento e a força da região lombar pode ser muito útil no alívio da dor.

  • Aparelhos são frequentemente usados. O mais comum é uma cinta elástica tipo espartilho que pode ser enrolada nas costas e na barriga. Os aparelhos nem sempre são úteis, mas algumas pessoas relatam que se sentem mais confortáveis ​​e estáveis ​​ao usá-los.

  • A terapia quiroprática ou de manipulação está disponível em muitas formas diferentes porém deve ser usada com muito cuidado e somente com orientação médica. Em hipótese nenhuma devem ser feitos movimentos de manipulação pois podem provocam uma hérnia de disco aguda.. Alguns pacientes conseguem alívio da dor lombar com esses tratamentos com profissionais experientes porém com a restrição acima.

  • A tração é frequentemente usada, mas sem evidências científicas de eficácia.

  • Outros programas baseados em exercícios, como Pilates ou ioga, são úteis para alguns pacientes.

Cirurgia para tratamento da dor nas costas

A cirurgia para dor lombar deve ser considerada apenas quando opções de tratamento não cirúrgico foram tentadas e falharam. É melhor tentar opções não cirúrgicas por 12 ou 18 meses antes de considerar a cirurgia. excessão para os casos de compressão aguda das raízes nervosas com perda aguda ou progressiva da função em membros inferiores, nesse caso a cirurgia será de urgência.

Além disso, a cirurgia só deve ser considerada se o seu médico puder identificar a origem da sua dor.

A cirurgia não é uma opção de tratamento de último recurso. Alguns pacientes não são candidatos à cirurgia, embora apresentem dores significativas e outros tratamentos não tenham funcionado. Alguns tipos de dor lombar crônica simplesmente não podem e não devem ser tratados com cirurgia.


Estas são algumas técnicas cirúrgicas utilizadas:

  • Fusão espinhal - artrodese lombar . A fusão espinhal é essencialmente um processo de soldagem. A ideia básica é fundir as vértebras doloridas para que elas se curem em um osso único e sólido.

A fusão espinhal elimina o movimento entre os segmentos vertebrais. É uma opção quando o movimento é a fonte da dor. Por exemplo, seu médico pode recomendar a fusão espinhal se você tiver instabilidade espinhal, curvatura (escoliose) ou degeneração grave de um ou mais discos. A teoria é que, se os segmentos dolorosos da coluna não se moverem, eles não deveriam doer.

A fusão das vértebras da região lombar é realizada há décadas. Uma variedade de técnicas cirúrgicas evoluiu. Na maioria dos casos, um enxerto ósseo é usado para fundir as vértebras. Parafusos, hastes ou uma gaiola são usados ​​para manter a coluna estável enquanto o enxerto ósseo cicatriza.

A cirurgia pode ser realizada no abdômen, na lateral, nas costas ou uma combinação dessas abordagens. Existe até um procedimento que é realizado através de uma pequena abertura próxima ao cóccix

Os resultados da fusão espinhal para dor lombar variam. Pode ser muito eficaz na eliminação da dor nas pernas, porém alguma dor nas costas pode permanecer.  A recuperação total pode levar mais de um ano.

  • Substituição de disco - prótese de disco intervertebral Este procedimento envolve a remoção do disco e sua substituição por um disco artificial. É realizado através do abdômen, geralmente nos dois discos inferiores da coluna.

O objetivo da substituição do disco é permitir que o segmento espinhal mantenha alguma flexibilidade e mantenha um movimento mais normal.

Embora não seja mais considerada uma nova tecnologia, os resultados da substituição artificial do disco em comparação com a fusão são pobres.

  • Discectomia. A discectomia envolve a remoção da porção danificada de uma hérnia de disco. Isso alivia a pressão sobre o nervo, permitindo a resolução da dor ciática.

  • Laminectomia. A laminectomia envolve a remoção dos ligamentos espessados ​​e dos esporões ósseos que comprimem os nervos. Isso alivia a pressão no canal espinhal, resultando em menos dor nos nervos e diminuição e alívio da dor ciática, não interfere na dor nas costas.

  • Cifoplastia/Vertebroplastia. Este procedimento envolve a injeção de cimento no osso quebrado para estabilizar uma fratura por compressão osteoporótica. Isso ajuda a eliminar a dor aguda nas costas associada à fratura. As dores de origem degenerativa como artrose permanecem.

Pode não ser possível prevenir a dor lombar. Não podemos evitar o desgaste normal da coluna que acompanha o envelhecimento. Mas há coisas que podemos fazer para diminuir o impacto dos problemas lombares. Ter um estilo de vida saudável é um bom começo.

Combine exercícios aeróbicos, como caminhar ou nadar, com exercícios específicos para manter os músculos das costas e do abdômen fortes e flexíveis.

Certifique-se de levantar itens pesados ​​usando o quadríceps e não a musculatura das costas. Não se incline para pegar algo. Mantenha as costas retas e dobre os joelhos.

Estar acima do peso aumenta o estresse na parte inferior das costas, principalmente com o aumento do abdome. 

Tanto a fumaça quanto a nicotina fazem com que sua coluna envelheça mais rápido que o normal. Se você fuma, melhor pensar em parar de fumar.

Uma boa postura é importante para evitar problemas futuros. Um fisioterapeuta pode ensiná-lo a ficar de pé, sentar e levantar com segurança.


Leia mais:


Porque acordo com dor nas costas?

Postura e dor nas costas

Dor nas costas e uso de mochias pesadas


Dr Marcos Britto da Silva 
Ortopedista, Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Atualizado em 17/01/2024

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Fratura de tíbia - Diafisaria

Postagens mais visitadas deste blog

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Exercícios para Ombro e Manguito Rotador

Fratura de tíbia - Diafisaria

Entorse do Tornozelo

Ténis de Quadra: Técnica e Fundamentos

Frio ou Calor

Minha foto
Dr MARCOS BRITTO DA SILVA - Médico Ortopedista
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco - ex Presidente da SBOT RJ - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte - Médico do HUCFF-UFRJ, - International Member American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS) - Membro do Comitê de ètica em Pesquisa HUCFF-UFRJ.