Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: 07/01/2012 - 08/01/2012

Checkup Esportivo

Há um consenso geral na comunidade médica que todos com idade acima de 35 anos, que desejem participar em atividades desportivas,  deve proceder a um checkup . O objetivo dessa análise é:

• definir o estado geral de saúde,

• detectar eventuais defeitos que possa contra-indicar a prática desportiva,

• reconhecer e, portanto, evitar situações que possam causar complicações cardíacas e ortopédicas.

•avaliar sua condição nutricional atual e orientar a dieta durante a prática de exercícios.

A avaliação deve incluir uma história cardiovascular, ortopédica e nutricional detalhadas, um exame físico geral e avaliação cardiológica, ortopédica e nutricional ( distribuição de gordura).

Hoje em dia, um número crescente de pessoas de todas as idades conhecem os benefícios dos exercícios para o bem estar geral. No entanto, algumas atividades poderiam ser potencialmente prejudiciais para os indivíduos com doença cardíaca não detectada e problemas ortopédicos ocultos.
A incidência de morte súbita no desporto é variável. Valores entre 0,77 a 8.5/100,000/ano.
A grande maioria destas mortes é causada por doenças isquêmicas do coração. Hipoteticamente, algumas dessas mortes poderia ser evitada através de um programa adequado de avaliação médica, essa avaliação também pode evitar ou minimizar as lesões articulares comuns durante a prática de esportes.
As seguintes informações devem ser obtidas no checkup esportivo para indivíduos maiores que 35 anos:

1. Uma história pessoal e famíliar completa para detectar sintomas cardíacos suspeitos . A ênfase deve ser colocada na respiração, sensação de desmaio ao esforço e dor.  Antes do exame médico, é aconselhável que os participantes preenchessem um questionário,

2. Um cuidadoso exame físico,

3. Um eletrocardiograma de 12 derivações em repouso,

4. Um teste de esforço para determinar a adaptação ao esforço, a capacidade funcional e a incidência de hipertensão, arritmia ou alterações eletrocardiográficas, se possível associado a análise dos gases espirados ( ergoespirometria )

5. A radiografia de tórax  e dos membros envolvidos no esporte que será praticado

6. Exames Laboratoriais.

7. Consulta com um Cardiologista, Ortopedista e Nutricionista. para a análise dos exames e prescrição de eventuais adequações antes de iniciar a prática de esportes.

Se um murmúrio, hipertensão, ou uma anormalidade electrocardiógrafo é detectada, a avaliação ainda é obrigatória. Isso inclui um ecocardiograma para afastar um defeito estrutural do coração. Nos casos em que há um teste de esforço minimamente anormal numa pessoa assintomática, devemos ser cautelosos sobre a interpretação. Em tais assuntos, normalmente há uma baixa incidência de doença coronariana. Os fatores de risco devem ser considerados. Em caso de dúvida (valor preditivo positivo inferior a 90%), é pode ser necessário, para concluir o inquérito a cintilografia cardíaca (teste de perfusão nuclear) . Se subsistirem dúvidas, a angiografia coronariana deve ser realizada.

Em casos de lesões ortopédicas o exame de ressonância pode complementar o cheup up
Adaptado do 
FIMS Position Statement: Sport Preparticipation Assessment of Subjects Older Than 35 Years: Recommended Minimum Cardiological Evaluation.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 19/10/2013.

Dormir na Posição de Conchinha

Dormir em posição de conchinha pode causar algum problema?
Sim , Apesar de ser muito romântica a posição de conchinha pode provocar dores nos membros superiores e na coluna.

Porque a posição da conchinha pode provocar dor?
Porque pode colocar o membro superior em posição ruim. Essas dores são frequentes no ombro e na coluna cervical, porém, também pode surgir dormência na mão (lesão conhecida como braço do namorado) Em algumas situações a compressão do nervo pode ser intensa e o namorado perde a capacidade de elevar o punho por uma compressão temporária do nervo radial.

Porque a mão pode cair na Síndrome do Braço do namorado?
Devido a uma compressão do nervo radial que tem um trajeto muito próximo e ao redor do úmero. Ao apoiar a cabeça da namorada durante várias horas sobre o braço, o nervo radial pode parar de funcionar. Em alguns casos provoca somente dormência, porém quando a pressão sobre o nervo permanece por várias horas o nervo parar de funcionar completamente.. Essa lesão em geral e reversível e os movimentos da mão retornam em 2 semanas.

Quem tem mais dor na posição da conchinha: o homem ou a mulher?
As dores em geral são mais frequentes no homem. Em geral o Homem fica atrás da parceira e a parceira apóia a cabeça no braço do namorado.

Existem outras posições ruins?
Sim, nem sempre o braço do namorado fica apoiando a cabeça da namorada, o homem também pode colocar o braço para cima ou para trás, nessas situações em geral o ombro fica numa posição desconfortável e podem surgir dores do ombro e no pescoço. Alias outra região que doí freqüentemente na posição de conchinha e a coluna cervical. Nessa posição muitas vezes a coluna cervical permanece durante horas numa posição forçada e a torcicolo também e frequente.

Então é proibido dormir na posição de conchinha?
Não, porém devemos ter muito cuidado. não devemos dormir nessa posição caso tenhamos ingerido bebidas alcoólicas ou medicamentos indutores do sono, pois o desconforto que pode surgir na madrugada e é um aviso de que a posição está desconfortável pode ser mascarado por essas substâncias e surgirem problemas mais sérios quando você acordar.

Existe algum colchão que permite que os casais durmam em posição de conchinha?
Sim, o Colchão se chama Love Mattress. Ele é feito com várias tiras de espuma e permite a abertura entre elas ou seja o braço fica entre as tiras e não sofre compressão pela cabeça e nem pelo tronco do parceiro. esse colchão foi desenvolvido por Mehdi Mojtabvi.






Qual a posição correta para dormir na posição de conchinha?
Essa é a posição correta para dormir na posição de conchinha. o tórax deve ficar discretamente afastado e permitir que o casal durma confortavelmente porém uma boa idéia é usar um colchão como o sugerido acima.








Quais as posições ruins para dormir de conchinha e que podem provocam dor?
Vou tentar exemplificar com imagens.

nessa posição a moça pode ficar com dor no punho D
devido a hiperflexão

Nessa posição o nervo radial parece entar protegido pelo travesseiro porém essa posição em geral provoca dor no ombro esquerdo do rapaz. A hiperflexão do cotovelo da moça pode levar a dores no cotovelo.
Essa posição pode provocar dormência na Mão









As fotos publicadas nesse artigo foram copiadas da internet.
Esse artigo foi a base da report'agem apresentada no Programa da Ana Maria Braga da Rede Globo

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 06/07/2013

Colágeno Hidrolisado - Mobility Bula

O que é o Mobility?
O mobility é uma substância ( suplemento Alimentar - Nutraceutico) disponível no mercado Brasileira com colágeno hidrolisado em pó.

Qual a indicação do Mobility?
O Mobility é um suplemento alimentar usado em pacientes com dor articular.

Qual a formula do Mobility?
A bula em português não é muito detalhada, A fórmula do Fortigel nos USA contem:

  • 10 g de Colágeno Hidrolisado, 
  • 0.4 g frutose, 
  • Estrato de malte.
  • Acido Cítrico
  • Xanthan, 
  • Sorbato de Potássio ,
  • Acesulfame-K, 
  • Sucralose
  • Aromatizantes naturais e artificiais. 

Acredito que a formula no Brasil seja a mesma.
Como o Mobility deve ser usado?

um sache de 10 gramas ao dia, dissolvido em água, o efeito esperado deve surgir em até três meses de uso. 

Quem fabrica o Mobility?
A Trivance Mobility é fabricado pela GELITA AG (Alemanha) é distribuído no Brasil pela Sanofi,

Suplementos de cartilagem para tratamento da artrose do joelho e quadril.
Não temos estudos com bom desenho metodológico que mostrem a efetividade desses suplementos alimentares em toda população. Eles parecem ser mais efetivos em pacientes vegetarianos. Pois tem menor acesso aos aminoácidos
Marcos Britto da Silva
Ortopedia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ
Atualizado 19/02/2014

Luxação Acromio Clavicular do Ombro


Luxação Acrômio Clavicular a Direita

A articulação acrômio clavicular é conhecida com articulação AC. A luxação é a perda permanente das relações articulares de uma junta. A luxação AC é uma separação completa, com ruptura dos ligamentos ao redor da articulação acrômio clavicular. 
A articulação AC é onde a clavícula encontra o ponto mais alto da escápula (omoplata ou osso da Pá) chamado de acrômio.


Qual o Mecanismo de lesão na luxação acrômio-clavicular?
A causa mais comum para uma luxação AC é de uma queda diretamente sobre o ombro, frequente durante um jogo de futebol ou uma queda de bicicleta. A queda machuca os ligamentos que rodeiam e estabilizam a articulação AC. Se a força for suficientemente grande, os ligamentos peri articulares rompem ao redor e de baixo da clavícula. Isso provoca usa separação da clavícula da escápula. O Omoplata se move para baixo a partir do peso do braço. Isso cria uma saliência ou protuberância na parte superior do ombro. Veja vídeo de uma cirurgia para corrigir esse problema abaixo, nesse blog.
A seta vermelha aponta para 
a articulação acrômio 
clavicular no ombro direito. 

Classificação da luxação AC acrômio clavicular.
A lesão pode variar de uma pequena mudança na configuração com dor leve, até uma deformidade mais grave incapacitante. Usamos a classificação de Rockwood que divide as luxações acrômio claviculares em seis graus. O grau I é o mais leve e o grau VI é o mais grave. Nos graus I a V a clavicula fica mais lata que o ombro, no grau VI a clavícula vai para baixo do acrômio.  

Quais ligamentos são rompidos na luxação acromio clavicular?
Os ligamentos rompidos são os lig. acromio-claviculares e coraco-claviculares. A medida que os ligamentos se rompem a gravidade da luxação piora. Os graus menores tem menor lesão ligamentar e os graus maiores tem maior lesão dos ligamentos. 

Diagnóstico.
Quando há menor deformidade, a localização da dor e raios-X ajudam o ortopedista a fazer o diagnóstico da luxação. As vezes, colocar peso na mão do paciente pode aumentar a deformidade, o que torna a lesão mais evidente em exames de raios-X.

Tratamento
Tratamento não-cirúrgico
O Tratamentos não cirúrgicos, com uma tipóia, compressas frias e medicamentos muitas vezes pode ajudar a controlar a dor. Às vezes, o médico pode utilizar suportes mais firmes para ajudar a diminuir o movimento na articulação AC e diminuir a dor.
A maioria das pessoas podem retornar ao pleno funcionamento do membro superior, mesmo se houver uma deformidade persistente significativa. Algumas pessoas porém apresentam dor continuada na área da articulação AC, mesmo com uma ligeira deformidade. As deformidades maiores são mais incapacidades e podem requerer tratamento cirúrgico. A perda da relação articular pode levar também a artrose precoce nessa junta. 

Tratamento Cirúrgico
A cirurgia pode ser considerada se há dor persistir ou a deformidade for grave. Os graus I e II de Rockwood em geral são de tratamento não operatório, os graus IV, V e VI em geral são de tratamento cirúrgico, o grau III pode ser tratado em algumas situações de modo não operatório, porém pacientes com grande esforço no membro superior podem se beneficiar da cirurgia. Como tudo em medicina não há uma receita de bolo, somente o ortopedista diante do paciente e após uma anamnese e exame clínico criterioso pode decidir o melhor tratamento para o caso específico.

Onde houver deformidade significativa, a reconstrução dos ligamentos que ligam a clavícula ao acrômio é útil. Este tipo de cirurgia funciona bem mesmo se for feito muito tempo depois que o problema ocorreu.
Se tratada de forma conservadora (não operatória) ou com a cirurgia, o ombro vai exigir reabilitação  e fisioterapia para restaurar o movimento, força e flexibilidade.

Dr Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 08/04/2013

Tríade da Mulher Atleta

Atletas:
Problemas de saúde provocados pelo exercício físico e dieta extrema
Tríade da mulher Atleta
Exame Médico e Tratamento

Esportes e exercícios são atividades saudáveis ​​para as meninas e mulheres de todas as idades. Ocasionalmente, uma atleta que se concentra em ser magra pode comer muito pouco ou realizar muito exercício. Fazer isso pode causar danos a longo prazo para a saúde, ou mesmo a morte. Isso também pode prejudicar o desempenho atlético ou tornar necessário limitar ou interromper o exercício. Três doenças inter-relacionadas podem se desenvolver quando uma mulher ou uma menina jovem vai a extremos para fazer dieta e exercícios. Juntas, essas condições são conhecidas como a "Tríade da Mulher Atleta."

As três condições são:
* Distúrbios alimentares: hábitos alimentares anormais (ie, dietas erradas, compulsão alimentar) ou exercícios excessivos com uma alimentação com menos calorias que a necessária para esse nível de atividade.
* Disfunção menstrual: A má nutrição, baixa ingestão de calorias, as altas demandas energia, estresse físico e emocional, baixa porcentagem de gordura corporal podem levar a alterações hormonais que interrompem ou prolongam o período menstruail (amenorréia).
* Osteoporose precoce (baixa densidade óssea para a idade): A falta de períodos de descalço associada a desnutrição interrompe os processos normais de ossificação e reabsorção óssea e enfraquece o esqueleto, tornando os ossos mais propensos a quebrar. Fraturas ocultas, fraturas de estresse nos membros inferiores e região da bacia.

Mulheres em Risco
As mulheres em qualquer esporte podem desenvolver uma ou mais partes da tríade. De maior risco são aquelas em esportes em que ser magra recompensa para o esporte (como patinação artística e ginástica) ou um melhor desempenho (tais como corrida de longa distância ou remo).
As tendências da moda e a publicidade, muitas vezes incentivam as mulheres a tentar alcançar os níveis de peso não saudável. Alguns atletas do sexo feminino sofrem de baixa auto-estima ou depressão, e podem se concentrar na perda de peso porque se acham mais pesadas ​​do que realmente são. Outras sentem a pressão para perder peso dos treinadores de atletismo ou dos pais.

As atletas devem considerar as seguintes perguntas:
* Você está insatisfeita com seu corpo?
* Você se esforça para ser magra?
* Você mantém continuamente o foco no seu peso?

Se as respostas forem sim, você pode estar em risco para o desenvolvimento de padrões anormais para comer (transtorno alimentar), esse transtorno pode levar à disfunção menstrual e a osteoporose precoce.

Transtorno alimentar
Embora geralmente não percebam ou não admitam que estão doentes, pessoas com transtornos alimentares têm distúrbios graves e complexos nos seus comportamentos alimentares. Eles estão preocupados com a forma corporal e peso e têm maus hábitos alimentares.
As mulheres são de cinco a 10 vezes mais propensas a ter distúrbios alimentares em comparação com os homens e o problema é especialmente comum em mulheres que são atletas. 

A doença tem várias formas.
Algumas pessoas passam fome (anorexia nervosa) ou participam em ciclos de alimentação e purgação (bulimia).Outras restringem severamente a quantidade de comida que comem, usam pílulas de dieta, diuréticos ou laxantes. Pessoas com distúrbios alimentares também podem exercitar-se excessivamente para manter seu peso baixo. 

Consequência dos distúrbios Alimentares
Distúrbios alimentares podem causar muitos problemas, incluindo desidratação, fadiga muscular, fraqueza, batimentos cardíacos irregulares, danos aos rins e outras doenças graves. Não tomar bastante cálcio pode levar à perda óssea. Isso é especialmente ruim para o esqueleto e levar o osteoporose. Quando o paciente é uma criança ou adolescente, o esqueleto está em formação e essa deficiência e ainda mais prejudicial. Desequilíbrios hormonais também podem levar a uma maior perda óssea através de disfunção menstrual.

Disfunção Menstrual
Faltando períodos de três ou mais menstruações em sequencia é motivo de preocupação. Com a menstruação normal, o corpo produz estrogênio, um hormônio que ajuda a manter os ossos fortes. Sem um ciclo menstrual (amenorréia), o nível de estrogênio pode estar reduzido, causando uma perda de densidade óssea e da força (osteoporose precoce).
Se isso acontecer durante a juventude isso pode se tornar um problema sério mais tarde na vida quando o processo natural de perda mineral óssea começa após a menopausa. Amenorréia pode também causar fraturas de estresse. O tecido ósseo perde cálcio, fazendo com que o esqueleto fique frágil. Baixa massa óssea coloca o paciente em maior risco de fraturas.

Exame Médico
Reconhecer a tríade da mulher atleta é o primeiro passo para tratá-la. A mulher deve procurar o seu médico imediatamente se perder vários períodos menstruais, sofrer uma fratura por estresse no esporte, ou pensa que pode ter distúrbios alimentares.

O paciente deve informar ao médico seu histórico completo, incluindo:
* O que faz como atividade física e o que come diariamente.
* Quantos anos tinha quando começou a menstruar e se costuma ter ciclos regulares.
* Se usa ou não contraceptivo oral ou já esteve grávida.
* Se já teve fraturas por estresse.
* Todas as mudanças (para cima ou para baixo) no seu peso.
* Todos os medicamentos que está tomando ou sintomas de outros problemas médicos que está sentindo.
* A história familiar de doenças (doenças da tireóide, osteoporose).
* Fatores que causam estresse em sua vida.
Em alguns casos, solicitamos uma densidade mineral óssea. .

Tratamento
O tratamento para a tríade da mulher atleta requer a ajuda de uma equipe de multi profissional: médicos, incluindo pediatra, ortopedista, traumatologista, ginecologista, médico de família, médico do esporte, preparador físico, nutricionista e também um psicológico.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 26/05/2013.

Google+ Followers