Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedia, Traumatologia e Medicina Esportiva: Fraturas Expostas

Fraturas Expostas

O que é uma fratura exposta?
E toda fratura onde ocorre comunicação dos fragmentos do ossos quebrado com a meio externo. No caso das fraturas de bacia a perfuração do Reto, da Vagina e do intestino também são consideradas fraturas expostas.  Não ha a necessidade do osso ficar aparecendo , basta que o fragmento ósseo tenha perfurado a pele já é uma fratura exposta.

 Um fratura do um tiro é uma fratura exposta?
Sim , todas as fratura s por Projetil de Arma de Fogo ( PAF) são consideradas fraturas expostas.

Qual o Grande problema das fraturas expostas?
Podemos dizer que os maiores problemas são dois. Primeiro o risco de infecção e também muito importante é a lesão de partes moles.

O que são as partes moles?
São todos os tecidos não ósseos: pele, tecido celular subcutâneo , gordura, fáscia , músculo, tendão ,cápsula, Ligamentos, nervos , vasos sanguíneos, Vasos linfáticos, etc.

O que provoca uma fratura exposta?
Uma fratura exposta em geral ocorre devido a um trauma de alta energia, isso provoca além da fratura uma intensa lesão nas partes moles, em alguns caos as lesões de partes moles é tão grave que mesmo com a cura do osso o membro não volta ao seu status quo, ou seja não volta exatamente o que era antes e o paciente fica com uma sequela.

Quais os cuidados inciais numa fratura exposta?
Cobrir o ferimento com tecido estéril ou na ausência desse o tecidos limpos e passadas a ferro quente e imobilizar o membro. Transportar o paciente o mais rápido possível para uma hospital.

Qual o tempo de consolidação de uma fratura exposta?
As fraturas expostas freqüentemente envolvem mais danos aos músculos, tendões e ligamentos que as fraturas fechadas, eles têm um maior risco de complicações e levam mais tempo para curar. Este tipo de fractura é particularmente grave, porque uma vez que a pele é lesada, uma infecção da ferida ou osso podem ocorrer. As fraturas expostas são causadas por trauma de alta energia, geralmente a partir de um trauma direto, como a de uma colisão de automóveis ou queda de uma moto ao mesmo uma acidente no esporte.

Descrição
Na fratura exposta, a extremidade quebrada do osso rasga os tecidos moles e sai através da pele. Por causa da energia necessária para causar esses tipos de fraturas, os pacientes muitas vezes têm lesões adicionais - alguns com potencial risco de vida - e que necessitam de tratamento. Há uma taxa de 40% a 70% de trauma associado em outras partes do corpo, quando existe uma fratura exposta.

As fraturas expostas podem variar significativamente em termos de gravidade. Por exemplo, uma fratura exposta pode ser uma ferida pequena, um pontinho apenas alguns milímetros de diâmetro. O osso pode ou não se visível na ferida. Outras fraturas expostas pode expor ossos e músculos e pode danificar seriamente os nervos e os vasos sanguíneos circundantes.

As fraturas expostas representam um espectro de lesões: Em primeiro lugar, o problema subjacente básica de uma fratura; em segundo lugar, a exposição do osso quebrado e exposto no ambiente e, por conseguinte, a contaminação do local da fractura.


Fraturas e lesões
Vários fatores podem influenciar a gravidade da fratura exposta. Por exemplo, os ossos podem ser quebrados transversalmente, longitudinalmente, e em vários pedaços (Fratura cominutiva). Quando maior a energia cinêtica mais o quantidade de fragmentos e maior a lesão de partes moles associada.
Um trauma direto pode rasgar e esmagar pele e os tecidos moles, bem como osso. Se o osso quebra, pode haver um grande número de fragmentos que podem penetrar nos tecidos neurovasculares e tecidos moles circundantes causando uma lesão ainda mais grave e propagando a contaminação.

Grau de Gravidade e Contaminação da Fratura Exposta.
O ambiente onde ocorre a fratura é exposta afetará o grau de contaminação - sujeira, cacos de vidro ou tecido pode ser conduzido para dentro da ferida. Saber onde ocorreu a lesão - um curral, local industrial, rua da cidade, campo de batalha - dá ao seu médico uma visão sobre quais os tipos de contaminantes a fratura pode ter sido exposto.

Infecção
Embora fraturas abertas estejam associados com um aumento da taxa de infecção, este depende de muitas variáveis​​. Em geral, quanto maior o dano ao osso, tecidos moles, nervos e vasos sanguíneos, maior o risco de infecção.
Uma infecção óssea pode ser difícil de eliminar. Ele pode requerer tratamento com antibióticos a longo prazo, bem como várias cirurgias. Em alguns casos graves, amputar o membro infectado é a única maneira de parar a infecção. A prevenção da infecção é o foco do tratamento precoce para as fraturas expostas.

Tratamento Inicial
Na sala de emergência, um médico irá avaliar e estabilizar todos os sinais vitais e verificar se há lesões adicionais. O médico irá perguntar como ocorreu o acidente e como era o local, além de questionar sobre outros problemas médicos, tais como diabetes. O seu médico também necessita saber se o paciente toma qualquer medicação.

Exames
A maioria das fraturas abertas são óbvias porque o osso é visível - ou saliente através da pele ou dentro de uma ferida. Algumas fraturas expostas são mais sutis. Portanto, quando há qualquer ferida na mesma área do que uma fratura, presume-se ser uma fratura exposta, a saída de sangue com gotículas de gordura confirma o diagnóstico.
Uma fratura exposta deve ser tratada o mais breve possível. O objetivo de seu médico é evitar a infecção, pois a infecção pode impedir ou atrasar a cicatrização da fratura

Antibióticos e Tétano
Os antibióticos são iniciados o mais cedo possível na sala de emergência. A gravidade da lesão determina quais os antibióticos são dadas. A vacinação contra o tétano também deverá ser checada.

Testes
Raios-X vai mostrar o seu médico o quão complexo é a fratura. Estas imagens mostram quantos pedaços de osso existem, assim como a extensão do deslocamento (lacunas entre as peças quebradas).

Tratamento
Os objetivos do tratamento para fraturas expostas são para prevenir a infecção, colar os ossos quebrados e restaurar a função.

Desbridamento e irrigação
Os primeiros passos para controlar o risco de infecção são desbridamento e irrigação.
Desbridamento. Durante este procedimento, o cirurgião irá remover toda a sujeira, bem como toda a pele contaminada e morta, músculos e outros tecidos moles também. O osso também é limpo de toda a sujeira e outros materiais estranhos. Quaisquer peças soltas de osso são removidos. Fragmentos ósseos severamente contaminados também são descartados. Esta perda de massa óssea pode ser corrigido mais tarde com cirurgias adicionais.
Irrigação. Após desbridamento, a ferida é lavada e irrigados com vários litros de solução salina.

Tratamento da Fratura
É importante estabilizar os ossos quebrados, logo que possível para evitar mais danos nos tecidos moles. Os ossos quebrados em uma fratura exposta normalmente são mantidos no lugar através de métodos de fixação externa ou interna. Estes métodos necessitam de cirurgia.

A fixação interna. Durante a operação, os fragmentos do osso são reposicionados primeiro (reduzida) para o seu alinhamento normal, e, em seguida, realizada uma osteossintese com os parafusos especiais ligando placas de metal com superfície externa do osso. Os fragmentos também podem ser mantidas juntos através da inserção de hastes da medula do osso, no centro do osso. Estes métodos de tratamento pode reposicionar os fragmentos da fratura.
Fraturas expostas podem incluir danos nos tecidos e ser acompanhada de lesões adicionais, pode demorar algum tempo antes que possamos realizar a cirurgia de fixação interna com segurança.

A fixação externa. 
Dependendo da lesão, o ortopedista pode usar a fixação externa para prender o osso em
um alinhamento geral. Na fixação externa, pinos ou parafusos são colocados no osso partido acima e abaixo do local da fractura. Em seguida, o cirurgião ortopédico reposiciona os fragmentos ósseos. Os pinos ou parafusos estão ligados a uma barra de metal ou barras de fora da pele. Este dispositivo é um quadro de estabilização que mantém os ossos na posição adequada.

Fraturas expostas menores. Para lesões menos graves com contaminação mínima, a fratura pode ser estabilizada com fixação interna uma vez que a ferida foi completamente debridado.

Fraturas expostas graves. Fraturas expostas mais graves são normalmente primeiro estabilizadas usando fixação externa. Este tratamento vai manter os ossos no lugar até que a ferida possa tolerar um procedimento de fixação interna.

Feridas complexas. Em alguns casos de fraturas abertas, uma grande quantidade de tecidos moles é lesada e a ferida é demasiada grande para ser fechado. Esta fratura exposta não pode ser fechada com pontos.
Dependendo da quantidade de partes moles perdidas, estas feridas complexas podem ser cobertas por meio enxertos locais e de locais distantes:

Complicações
As fraturas expostas são lesões graves e, portanto, complicações graves estão associados com elas.
A infecção é a complicação mais comum de fraturas expostas. A infecção pode ocorrer mais cedo, durante a fase de cicatrização da fratura, ou mesmo mais tarde. Em geral, quanto maior a extensão dos danos no tecido mole, maior é o risco de infecção. Se uma infecção se torna crônica (osteomielite), pode levar a novas cirurgias e amputações.
As fraturas expostas podem ter dificuldade de cicatrização. Se a sua fratura não cicatriza, uma nova cirurgia pode ser necessária. Cirurgia para promover a cura normalmente inclui a colocação de um enxerto de osso ao longo da fractura, bem como novos componentes de fixação interna.
Síndrome compartimental aguda pode se desenvolver. Esta é uma condição dolorosa que ocorre quando a pressão no interior dos músculos constrói a níveis perigosos. A não ser que a pressão é aliviada mais rapidamente, invalidez e morte do tecido pode ocorrer.

O sucesso do tratamento de uma fratura também depende muito da cooperação do paciente. Exercícios durante o processo de cura e, após a cura de ossos são essenciais para ajudar a restaurar a força muscular normal, mobilidade articular e flexibilidade. O seu médico irá fornecer-lhe um plano de exercícios de reabilitação, ou recomendar visitas de fisioterapia, não aceite sugestões de leigos e de pessoas que não lhe estão acompanhando O seu médico irá conversar com você sobre as suas preocupações e expectativas razoáveis e também poderá discutir o impacto que sua lesão pode ter sobre as atividades da vida diária, trabalho, responsabilidades familiares,e realidades recreativas.

Dr. Marcos Britto da Silva 
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 08/08/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG

http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html

Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Postagens mais lidas na última semana