Bursas e Bursites do Joelho

Bursas ao redor das articulações do joelho

Sobre as Bursites de Joelho

A bursa é uma estrutura cheia de fluido que está presente entre a pele e tendões ou entre o tendão e o osso. A principal função de uma bursa é reduzir o atrito entre estruturas que se deslocam em intimo contato. Normalmente, bursas estão localizados em torno das grandes articulações, como o ombro, joelho, quadril e cotovelo. Bursas em torno do joelho podem ser classificados como aqueles em torno da patela e aqueles que ocorrem em outros lugares. 

Quais as causas Bursites de Joelho ?

Sintoma da bursite de Joelho
A inflamação da bursa que é uma estrutura cheia de fluido é chamado de bursite. Trauma, infecção, o uso excessivo ou mesmo uma hemorragia pós trauma são algumas das causas comuns de inflamação.
Outras causas incluem doenças sistêmicas como a doença vascular de colágeno e artropatia inflamatória; em alguns casos, a causa é desconhecida. 



Quais os Sintomas das Bursites de joelho?


Os sintomas mais comuns são : dor , inchaço, dificuldade de movimento e piora da dor com o movimento. Em alguns casos pode surgir um eritema / vermelhidão na região edemaciada.

Bursites com nomes próprios

Bursite da Padre.
Alguns casos de bursite estão associados com certas ocupações e são nomeado; por exemplo, bursite pré-patelar também é conhecido como joelho de empregada doméstica e bursite infrapatelar superficial é sinônimo de joelho do clérigo ou Bursite de quem reza fervorosamente ajoelhado

Bursas ao redor do joelho podem ser agrupadas como as que ocorrem em torno da patela e os que ocorrem em outros lugares.  Bursa em torno da patela incluem a bursa pré-patelar, o bursas infrapatelar superficial e profunda, e a Bursa suprapatelar. Bursas que não são anatomicamente próxima da patela incluem a bursa da pata de ganso, a bursa iliotibial, as bursas tibial e fibular ligamento colateral  e da bursa gastrocnêmio-semimembranoso. Em imagens de ressonância magnética, bursite aparece como uma coleção líquida oblongo na sua localização anatômica esperado.

Bursite pré-patelar

Ressonância da Bursite pre Patelar

Bursite Pré Patelar

A bursa pre-patellar está localizado entre a rótula e o tecido subcutâneo sobrejacente. Trauma crônico na região como o que ocorre ao ajoelhar prolongadamente ou de modo repetido levam a inflamação e eventualmente a uma bursite hemorrágica. Clinicamente, os pacientes podem apresentar dor e inchaço sobre a patela.
Na ressonância magnética, a bursite pré-patelar se trata de lesão fluido sinal de intensidade oval entre o tecido subcutâneo e da patela .

Bursite  Infrapatelar Superficial

Bursite Infrapatelar
Bursite infrapatelar superficial, também chamado de joelho do clérigo, é devido à inflamação e acúmulo de líquido resultante de estresse crônico. Clinicamente, há um inchaço palpável inferior à patela. Na MR, ele aparece como uma coleção loculada que projeta exofiticamente, anterior ao tendão patelar, formando um inchaço. Na imagem, ela deve ser diferenciada de edema subcutâneo: edema é visto como uma coleção líquida difusa visto em todo o aspecto anterior do joelho, enquanto a bursite aparece como uma coleção localizada com fronteiras bem definidas.
A Bursite infrapatellar pode ser superficial ou profunda. A bolsa infrapatelares superficial situa-se entre a tuberosidade da tíbia e dos tecidos envolventes, enquanto que a bolsa infrapatelares profunda está localizada entre a face posterior do tendão patelar e a tíbia

Bursite infrapatelar Profunda

Bursite Infrapatelar
Na ressonância magnética, bursite a infrapatelar profunda aparece como uma coleção posterior ao tendão patelar com o fluido em forma triangular . Quando encontrado em adolescentes, deve ser diferenciada da doença de Osgood-Schlatter. Nos casos de doença de Osgood-Schlatter o exame clínico apresenta dor e sensibilidade na inserção do tendão patelar.




Doença de Osgood-Schlatter. 

Osteocondrite de Osgood Schlatter
Um menino de 11 anos de idade apresentou-se com dor anterior do joelho:  RM mostra espessamento do tendão patelar na tuberosidade da tíbia. essa é uma doença do crescimento e se cura quando termina o crescimento da criança, ocorre em geral na fase de estirão puberal, fase onde o jovem cresce muito rapidamente. 
As dores na região anterior do joelho surgem em geral após brincar muito. jogar bola o pular muito tempo. Pode surgir edema no local e casos mais graves pode ocorrer arrancamento do fragmento ósseo pelo tendão patelar. A região deve ser protegida para evitar complicações. Uma faixa ou órtese infrapatelar em geral ajuda do tratamento e proteção.

Bursite suprapatelar. 

A bolsa suprapatelar está localizado entre o tendão do quadríceps e do fêmur. Falha de regressão do septo transversal formado na vida embrionária entre plica suprapatelares e o fluido da articulação do joelho, conduz à formação dessa bolsa.
 A acumulação de fluido na bolsa leva a bursite. Pode ser encontrado incidentalmente ou, quando grande e septado, pode apresentar-se como uma massa acima da articulação do joelho.

Bursite da Pata de Ganso

A bursite da pata de ganso separa os tendões da pata de ganso. 

Apata de ganso é composta pelos tendões sartório, grácil e semitendinoso. 

Na ressonância magnética, a bursite anserina aparece como uma coleção líquida multiloculada oblonga visto ao longo dos tendões no aspecto póstero-medial do joelho. Isto é melhor apreciado em imagens axiais em T2. É comumente confundido com um cisto poplíteo; a bursa do pés anserina está localizado posteriormente e medialmente ao longo do semitendinoso, enquanto que o cisto poplíteo está localizado mais frequentemente na linha média posterior. Além disso, as bursas são de tamanho pequeno. Eles não se estendem para a coxa e nunca aparecem comunicação com a articulação do joelho, enquanto que um quisto poplítea pode estender-se na coxa e pode ou não pode comunicar com a articulação do joelho.

Bursite do Ligamento colateral medial

A bursa medial do ligamento colateral está localizado entre as camadas superficial e profunda do ligamento colateral medial. Clinicamente, líquido neste região imita uma ruptura do menisco medial e / do ligamento colateral medial.

Na ressonância magnética, a bursite do ligamento colateral medial aparece como uma hiperintensidade T2 entre as fibras superficiais e profundas do ligamento colateral medial. Deve ser diferenciado de rutura do ligamento coronário e subluxação do menisco medial. 

Bursite iliotibial

Bursite Ileotibial
A bursa iliotibial está localizado entre a parte distal da faixa iliotibial perto da sua inserção no tubérculo Gerdy e a superfície tibial adjacente. Bursite e tendinite iliotibial ocorrem geralmente devido ao uso excessivo e estresse em varo do joelho. 
Na Ressonância a bursite iliotibial aparece como uma coleção de fluido perto da inserção do trato iliotibial, na sua parte distal, junto à face lateral da tíbia. Deve ser diferenciada da tendinite iliotibial. Na ressonância magnética, a tendinite iliotibial aparece como uma coleção de líquido que rodeia o tendão, enquanto na bursite aparece como uma coleção líquida oblongo localizada ao lado do tendão. 

Cisto de Baker

Cisto de Baker visto na
imagem axial do joelho 
Isso também é chamado de cisto poplíteo e tipicamente envolve a bursa do músculo semimembranoso ou gastrocnêmio e está localizado entre o côndilo femoral medial, tendão semimembranoso e a cabeça medial do gastrocnêmio. Ele pode ou não se comunicar com a articulação do joelho. Ele pode romper-se e estender inferiormente ao longo do músculo gastrocnêmio na panturrilha ou migrar superiormente na coxa ao longo do semimembranoso. A Ressonância   Mostra lesões hiperintensas, cheias de líquido, bem definidas nas imagens em T2 e encapsuladas. As imagens axiais são os melhores para demonstrar a comunicação com a articulação do joelho e também a localização característica entre o tendão semimembranoso e cabeça medial do gastrocnêmio. Leia mais sobre cisto de baker

Conclusão:

Muitos tipos diferentes de bursas são vistos ao redor da articulação do joelho. O conhecimento profundo da anatomia da região é de extrema importância para se chegar a um diagnóstico correto. A ressonância nuclear magnética ajuda na exclusão de outras condições e desarranjos internos. A maioria dos casos de bursite podem ser tratados de forma conservadora, mas alguns podem exigir tratamento cirúrgico. A consciência dos diferentes tipos de lesões ajuda a chegar ao diagnóstico correto, o que, por sua vez, ajuda na condução adequada.

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do EsporteRio de Janeiro, RJ, Brasilatualizado em 09/07/2019

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Postagens mais visitadas deste blog

Quanto Custa Uma Cirurgia?

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Entorse do Tornozelo

Fratura do Antebraço

Fratura de tíbia - Diafisaria

Consolidação das Fraturas

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),

Arquivo

Mostrar mais