Protese de Metal no Quadril

Resumo do Simpósio da AAOS 2012 sobre próteses metal/metal do Quadril.

Quando os jornais falam de próteses de Metal no Quadril em geral eles estão se referindo a Próteses Metal/Metal ( Metal On Metal ou MOM en inglês). elas recebem ele nome pois a superfície de contato e portanto de atrito é realizada entre duas superfícies metálicas. As Prótese de Quadril Metal-Metal em geral são usadas nas cirurgia de recapeamento ( resurfacing) em pacientes jovens pois permitem uma maior estabilidade e retorno a prática de esportes. 

Porque as próteses de Quadril Metal Metal estão sendo discutidas na mídia?
Porque duas agências reguladoras deram instruções para os cirurgiões e seus pacientes com quadris MoM. A primeira agência a fazer recomendações sobre a vigilância de próteses de quadril MoM foi o MHRA do Reino Unido em 22 de abril de 2010. Essas recomendações ocorreram pois como a superfície de atrito ocorre entre duas superfícies metálicas e isso pode liberar ions. Os ions liberados dependem da composição  e do design usados na confecção da Prótese de Quadril.

Quais as recomendações dessa agencia para pacientes com Próteses de Quadril Metal on Metal?
• acompanhamento de pacientes, pelo menos, anualmente, por cinco anos no pós-operatório e mais frequentemente na presença de sintomas. Além de cinco anos, o acompanhamento de acordo com protocolos acordados localmente.
• Investigar pacientes com prótese de substituição do quadril Metal/metal dolorosas. Testes específicos devem incluir a avaliação dos níveis de íons de cobalto e cromo no sangue do paciente e  exames de imagem seccional incluindo ressonância magnética ou ultra-sonografia.
• Considerar a medição dos níveis de íons de cobalto e cromo no sangue e / ou imagem transversal para os seguintes grupos de doentes:
-Pacientes com características radiológicas associados a efeitos adversos incluindo a posição do componente
- Pacientes próteses com tamanho pequeno (artroplastia tipo resurfacing do quadril apenas)
- Casos em que o paciente ou o cirurgião estejam preocupados com o prótese
- Coortes de pacientes onde há preocupação com taxas superiores a esperadas de falha na prótese.
• Se os níveis de íons de cobalto ou de cromo são elevados acima de sete partes por bilião (ppb), então um segundo teste deve ser realizado três meses após o primeiro, a fim de identificar os pacientes que necessitam de vigilância mais próxima, que podem incluir exames de imagem.
• Considerar cirurgia de revisão se as imagens revelam reações dos tecidos moles, coleções ou massas (pseudotumor).

Qual a posição atual do FDA?
Os Estados Unidos tem um site para quadris com próteses MoM. Ele recomenda o ortopedista considerar a realização de exames de imagem especiais, punção articular e exames de sangue, incluindo níveis de íons em todos os pacientes sintomáticos.

Qual a conduta para pacientes assintomáticos segundo o FDA?
Para os pacientes assintomáticos a FDA declarou "No momento atual, não há nenhuma evidência para apoiar a necessidade de verificação dos níveis de íons metálicos no sangue ou exames especiais de imagem se os pacientes com implantes de quadril não tem nenhum dos sinais ou sintomas de alerta e se o cirurgião ortopédico sente o quadril está funcionando corretamente. 
O FDA está recomendando que os pacientes assintomáticos com implantes de quadril MoM continuem o follow-up com seu cirurgião ortopédico como prescrito. "

Quais as perguntas que o paciente assintomático com prótese de quadril deve se fazer? 
O histórico do paciente deve incluir perguntas específicas sobre dor na virilha, inchaço, ruído ao movimentar o quadril e se perceber seu quadril em uma base diária. Uma resposta positiva pode identificar um paciente que necessita de uma avaliação mais aprofundada. 

Todos os implantes Metal/Metal do Quadril são iguais?
Não, o implante do paciente deve ser identificado, uma vez que nem todos os implantes tem o mesmo sucesso, algumas marcas estão mais relacionadas a falhas enquanto outros parecem ter menor incidência. A avaliação radiográfica deve incluir a determinação da inclinação acetabular, presença de osteólise assintomática que pode ocorre nas primeiras 10 anos e podem ser consideradas como uma reação de partículas liberadas pelo atrito da Prótese.

Exames de Imagem para avaliar as próteses metal metal do quadril.
Tendo completado uma avaliação inicial, o cirurgião freqüentemente tem que decidir sobre testes adicionais para os pacientes assintomáticos ou porque estão em risco ou porque insistem em ter avaliações adicionais. 

Pacientes Assintomáticos.
Baixos níveis de íons e estudos de imagem normais são tranquilizadores. Imagens tridimensionais mostrando grande coleção líquida ou uma de massa e com altos níveis de ions no sangue devem ser avaliados criteriosamente. 

Marcos Britto da Silva
Artigo baseado no Simpósio METAL ON METAL HIP REPLACEMENT: CURRENT STATUS AND RECOMMENDATIONS FOR PATIENT MANAGEMENT encontro anual da AAOS 7-11 de Fevereiro 2012 em San Francisco, California
Atualizado em 28/02/2013

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Fratura de tíbia - Diafisaria

Cisto de Baker no Joelho

Entorse do Tornozelo

Bula do Addera D3

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),