Como Prevenir Lesões Tendinosas e Musculares na Ténis de Quadra

Quais as lesões mais frequentes no ténis de quadra?
As lesões mais frequentes são as lesões tendinosas e musculares e podemos destacar a epicondilite lateral ( tennis Elbow), tendinites e tendinopatias no ombro, e lesões musculares nos membros inferiores, principalmente na panturrilha.

Epicondilite Lateral do Cotovelo
A epicondilite lateral (tennis elbow) é provavelmente a mais conhecida lesão entre os tenistas, alguns estudos relatam uma incidência de 50% entre os jogadores regulares.  Apesar da alta incidencia existem meiospara prevenir  essa tendinopatia.  No ténis de quadra muitas vezes a epiconlite lateral do cotovelo está associada a uma técnica errada  na rebatida principalmente no movimento de backhand. Leia artigo sobre epicondilite
O quadro de inflamação inicial em geral e bem tolerado e esse é o problema, o tenista não procura o ortopedista e permanece sentindo dor por várias semanas. Isso é um erro. Com o passar dos dias e semanas a lesão se agrava e pode surgir degeneração tendinosa e as dores tendem a cronificar.
Com o tempo, a degeneração e o desgaste aumentam, e podem levar a rupturas tendinosas. Esta geralmente é a hora em que o tenista vai ao médico, e aí pode ser tarde demais para um tratamento menos invasivo. O tratamento vai desde o uso de antiinflamatórios até a cirurgia, no caso de lesões crónicas com ruptura do tendão.

Dicas de prevenção da Epicondilite Lateral do Cotovelo
1. Melhore seu condicionamento físico para evitar pegar as bolas atrasado – procure fazer sempre o contato da bola à frente da região correspondente à posição do cotovelo;
2. Use sempre bolas novas – bolas velhas podem aumentar  a vibração da raquete
3. Quem bate muito forte deve evitar raquetes muito leves
4. Use raquetes que absorvem o impacto e diminuem a vibração causada pela impacto da bola;
5. Compre raquetes com uma maior área de sweet spot ( em geral essas raquetes tem uma cabeça maior);
6. Treine sempre e aprimore continuamente a técnica com um bom professor  – a técnica adequada é a melhor prevenção para a epicondilite;
7. Evite tencionar muito o encordoamento (< 58  libras)
8. Procure um ortopedista se a dor persistir por mais de 10 dias dores crónicas são mais difíceis de tratar e dores crónicas impedem o retorno ao esporte no nível máximo.;
9. Para praticar um esporte regularmente precisamos estar preparados fisicamente portanto faça musculação para membros superiores e inferiores e não esqueça de aquecer e alongar antes do jogo e alongar novamente no final.

Sindrome da Pedrada - Lesão Muscular na Panturrilha( Batata da perna )
As lesões musculares na panturrilha são lesões muito frequentes em jogadores de ténis de quadra. Ocorrem em geral durante uma corrida com desaceleração brusta  ( correr para pegar uma bola difícil). A lesão ocorre mais frequentemente na massa muscular porém em alguns casos a lesão é mais baixa e compromente a transição musculo tendinosa ou em alguns casos no tendão de aquiles, esses casos em geral o paciente relata uma história de dor crónica prévia no local. Essa lesão ocorre em geral em tendões de Aquiles previamente doentes e muitos casos são encaminhados para tratamento cirúrgico.

Como evitar lesões musculares na panturrilha?
1- Alongue antes e depois do jogo.
2- Faço reforço muscular nas panturrilhas.
3- procure um médico se surgir dor
4- Na dúvida não force
5- Se estiver jogando em quadra de cimento considere a possibilidade de trocar para quadra de saibro

O que fazer se você sentir uma dor aguda atrás da perna como se tivesse levado uma pedrada ( alguns pacientes relatam ouvir um barulho tipo um estalo)
1. Pare de jogar imediatamente;
2. Coloque gelo no local da dor por 20 minutos com a pele protegida
3. Eleve e enfaixe o membro com uma bandagem elástica
4. Repita gelo de 2/2 horas, mantenha o membro enfaixado e elevado
5. Procure um ortopedista.
Lesões mais graves podem ser cirúrgicas, lesões menores podem ser tratadas não operatoriamente com repouso. O tempo de repouso será determinado pelo seu ortopedista de acordo com a gravidade da lesão.

Tendinopatia, tendinites, tendinoses e lesões tendinosas no ombro
As tendinites, tendinopatia e tendinoses vão se tornando mais frequentes a medida que envelhecemos. Após os 40 anos de idade são ainda mais  frequentes, principalmente em atletas com atividade das mãos acima do nível dos ombros. O  tenista realiza vários movimentos com a mão acima da cabeça e está sujeita as tendinites principalmente após os 40 anos de idade. Quando surge a dor no ombro o tenista deve procurar o ortopedista, as lesões parciais podem ser tratadas com alongamento e reforço muscular, porém as lesões completas podem necessitar de cirurgia.

Como prevenir as tendinites, tendinopatias, tendinoses e rupturas do manguito rotador?
1. O movimento de rotação do ombro deve ser feito no plano da escapula e para gerar mais força o tenista deve girar o tronco para trás no momento de preparação do saque, girando o tronco para frente a medida que gira o ombro no plano da escápula, isso aumenta a velocidade angular e consequentemente a potencia do saque, sem sobrecarregar os tendões do ombro.
2. O alongamento e o fortalecimento muscular dos músculos da cintura escapular são fundamentais nessa prevenção;

Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Traumatologista e Médico do Esporte
Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Atualizado em 28/01/2013

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Postagens mais visitadas deste blog

Quanto Custa Uma Cirurgia?

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Entorse do Tornozelo

Fratura do Antebraço

Fratura de tíbia - Diafisaria

Consolidação das Fraturas

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),