MD no lugar DR para médicos

O que significa a sigla MD ? 

Porque os médicos estão usando o sigla MD em substituição ao Dr (Doutor) ?

Há alguns dias o Cremerj editou uma resolução 315/2020 autorizando os médicos do Rio de Janeiro a usarem o Sufixo MD ao final do nome do médico para facilitar a identificação dos Médicos Diplomados em substituição ou adição ao pronome Dr. abreviação da palavra doutor.

CREMERJ 315/2020 RESOLVE:
Art. 1o É FACULTADO o uso da sigla MD latim: Medicinae Doctor; português: Médico Diplomado, após o nome, separado por vírgula, sem pontos entre e após as letras M e D, para todos os médicos diplomados.
Parágrafo único. O médico que se graduou em país estrangeiro só poderá usar a sigla após revalidação do seu diploma e registro no Conselho Regional de Medicina.
Art. 2º Esta resolução entra em vigor na data de sua publicação.

NA EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS DA RESOLUÇÃO Nº 315/202 o CREMERJ citou  trechos escrito pelo colega Elcio Luiz Bonamigo, conselheiro federal suplente ( CFM ) , 29 de Novembro de 1999

O termo doutor é um título ou forma de tratamento cuja utilização desperta dúvidas tanto nos meios sociais como acadêmicos. A origem do termo encontra-se na palavra latina doctor, que significa mestre ou professor, pertencente à família do verbo docere, cuja tradução é ensinar. Um doutor, considerando-se do ponto de vista estritamente etimológico da palavra, é aquele que ensina. O uso e o tempo acrescentaram outros significados para doutor que se somaram àquele original. Segundo os nossos atuais dicionários Aurélio, Houaiss e Michaelis, doutor, em suma, significa:
  • 1º) aquele que cursou o doutorado; 
  • 2º) o médico; 
  • 3º) o advogado; 
  • 4º) o delegado de polícia; 
  • 5º) o juiz; 
  • 6º) uma pessoa considerada muito culta, importante; 
  • 7º) por cortesia, todo o indivíduo formado em curso superior; 
  • 8º) o portador do título “Doctor honoris causa”.
Aquele que cursou o grau acadêmico de doutorado é considerado doutor no sentido etimológico da palavra, ou seja, de um professor dedicado ao ensino. No entanto, já existem alguns destes doutores que preferem não compartilhar o título com outros, de menor grandeza, por lhes parecer um tanto desvirtuado. Isto é: preferem ser simplesmente mestres ou professores que doutores. Portugal, nosso país colonizador, resolveu parcialmente este problema denominando doutor, por extenso, àquele que possui o doutorado e dr., abreviado, aos demais mortais. Desta forma em Portugal, pelo tamanho do doutor que precede o nome pode deduzir-se a importância do seu portador.

Diz a léxica nacional, bem como a internacional, que o termo doutor aplica-se especialmente aos advogados e médicos. Esta significação tem origem, quiçá, nas antigas universidades de Bolonha e Montpellier que tinham a tradição de conferir tais títulos especialmente a estas duas categorias. Conta-se que aqui mesmo no Brasil teria havido uma legislação similar a corroborar com esta observação.

A prevenção, o diagnóstico e o tratamento de doenças, características tradicionais da Medicina, ajudaram a correlacionar este profissional com alguém que explica e, consequentemente, ensina, ou seja, com um doutor (doctor). Desta forma, o doutor médico passou a compartilhar do título atribuído tradicionalmente ao doutor professor.

Segundo os dicionários supracitados, juízes e delegados também são especificamente denominados doutores. No entanto, pessoas muito sábias ou importantes, mesmo não portadoras de título universitário ou doutorado, também são consideradas doutores perante a população, principalmente em países com maior desigualdade social como o Brasil.

Doutor também se aplica, por cortesia, a todos os demais formados em cursos superiores. Isto mesmo: a todos, por cortesia, segundo o dicionário Houaiss. Neste sentido, o título de doutor, afirma textualmente o gramático Celso Cunha, “Recebem-no não só os médicos e os que defenderam tese de doutoramento, mas, indiscriminadamente, todos os diplomados por escolas superiores”.

Algumas categorias profissionais não costumam utilizar o título doutor como forma de tratamento mútuo, tais como os contadores, entre outras. Em situação diferente está a Odontologia, antiga especialidade da Medicina que foi declarada profissão independente há três séculos pelo médico Pierre Fauchard, cujos profissionais são usual e naturalmente denominados doutores pela população, mesmo que isto não seja por eles exigido, mas curiosamente não está previsto de forma explícita nos três principais dicionários nacionais, e deveria estar. Em outra posição encontram-se os enfermeiros e fisioterapeutas os quais estimulam, através de Resoluções dos seus Conselhos Profissionais, o uso do título de doutor entre os seus membros por ser uma forma de tratamento gramaticalmente possível aos diplomados universitários. Os italianos, que inventaram tantas coisas boas, menos o macarrão que foi façanha dos laboriosos chineses, utilizam dottore para aqueles que fizeram doutorado e também para médicos e advogados, segundo afirmam os dicionários Garzanti e Zingarelli. Esta língua, que foi a primeira flor do Lácio, nascida e desenvolvida em berço toscano para reinar em toda a Itália por ser culta e bela, qualifica os seus cidadãos com sua respectiva profissão precedendo o nome. Trata-se de uma forma especial de tratamento, considerada elegante e respeitosa para distinguir os seus vários profissionais. No entanto, o médico é especialmente denominado dottore.

Existe também o título acadêmico “Doctor honoris causa”, que é conferido por uma universidade a alguém com méritos, como forma de homenagem, independente de submissão a cursos ou exames. 

Com isso, conclui-se que a da sigla vem sendo cada vez mais assimilada por profissionais da área de saúde (enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, entre outros), deixando de ser uma diferenciação do médico para o não médico.

O que significa a sigla MSc ?

MSc denota os profissionais médicos que concluiram o curso de Mestrado e são portanto mestres em medicina. Existem diversos programas de mestrado, cada um com seu próprio nome atribuído pela universidade que o concedeu.  Abreviaçôes de Master of Science (MSc, M.Sc., MS, MS, M.Sci., Sc.M.

O que é RQE?

RQE significa registro de qualificação de especialista. Você o obtém ao registrar seu título de especialista no Conselho Federal de Medicina, é um número único para todo o Brasil.

O que o número do CRM ?

O número do CRM é obtido pelo médico quando faz o registro no Conselho Regional de Medicina do Estado da Federação onde irá trabalhar. |Portanto os diferentes Estados do Brasil emitem diferentes numeros junto aos CRMs de cada estado. 
Analisando o número 52.53862-0 os dois primeiros digitos "52" significam Rio de Janeiro e todos os médicos registrados no Estado do Rio de Janeiro possuem esse número. Os números após o 52, ( 53862) registram o número do CRM propriamente dito. Após esses numero há um - e um digito. No caso acima o Zero é um dígito verificador. Após o número 52 pode haver uma sequencia de zeros, exemplo 52 00053862-0, eles denotam o mesmo número de registro. Os zeros foram acrescentados nas modernas carterias emitidas pelo CFM já com identitidade digitar para normatizar os números de registro de médicos que hoje estão acima de 100.000 no Rio de Janeiro.

O que é o Número do TEOT ?

O TEOT significa tíluto de Especialista em Ortopedia e Traumatologia. O número do TEOT é o seu registro junto a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Tramatologia obtido com a aprovação na Prova para ingresso como Membro Titular da SBOT, o título é emitido pela AMB, Associação Médica Brasileira. 

Marcos Britto da Silva, MD, MSc
Médico Ortopedista e Traumatologia do Esporte
TEOT 5568
RQE-CFM 17345
CRM RJ 52.53862-0

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Fratura de tíbia - Diafisaria

Entorse do Tornozelo

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),