Contusão Muscular

Contusão Muscular

Atletas de todos os esportes de contato têm muitas oportunidades para sofrer uma contusão muscular. Contusões são a segunda causa, atras somente dos estiramentos como a principal causa de lesões esportivas. A maioria das contusões são menores e curam rapidamente, sem levar o atleta a necessidade de ser removido do jogo. Mas, contusões graves podem causar dano tecidual profunda e podem levar a complicações e afastar o atleta de esportes durante meses.

Causas da Contusão Muscular ?

As Contusões ocorrem quando um trauma direto ou repetido pequenos traumas um objeto contundente colide contra o corpo, esmagando fibras musculares subjacentes e tecido conjuntivo sem romper a pele. A contusão pode resultar de uma queda ou um trauma contra o corpo de outro atleta com por exemplo o chuteira de um jogador de futebol colidindo contra a parte posterior da coxa ( Paulistinha).

Sinais e Sintomas da Contusão Muscular

Em geral ocorre a formação de uma contratura muscular localizada e formação de um elevação inicial no local, com o passar dos dias surge um hematoma e uma equimose e tardiamente pode ocorrer uma depressão no local devido a substituição do tecido muscular por tecido fibroso.
Em casos graves como nas síndromes de esmagamento, inchaço e sangramento sob a pele podem causar choque. Nos casos mais graves as lesões podem estar associadas a fraturas, luxações rupturas musculares e feridas abertas.
Contusões no abdômen pode danificar órgãos internos.

Diagnóstico da Contusão Muscular

Exames de imagem como ultra-som, ressonância magnética (MRI) ou tomografia computadorizada (TC) permitem quantificar a extensão das lesões.

Tratamento da Contusão Muscular

Contusões provocam edema e dor diminuição da amplitude de movimentos articulares perto da lesão. Vasos sanguíneos lesados podem causar coloração equimoses. O músculo lesado se torna fraco e enrijecido .
Para controlar a dor, o sangramento e a inflamação, manter o músculo em uma posição de alongamento suave e usar a fórmula RICE: 
Descanso: Proteger a área lesada contra danos adicionais . Usar um dispositivo de proteção e descarga isto é, muletas e tipóia.
Gelo: Aplique gelo envolto em um pano limpo. (Remover o gelo depois de 20 minutos.)
Compressão: Levemente envolver a área lesada em um curativo macio ou uma bandagem elástica.
Elevação: elevar a um nível acima do coração.
A maioria dos atletas com contusões melhorar rapidamente, sem cirurgia. Não massageie a área lesada. Os antinflamatórios ajudam no controle da dor e podem acelerar o retorno aos treinos
Durante as primeiras 24 a 48 horas após a lesão (fase aguda), continuar utilizando repouso, gelo, faixas de compressão e elevação da área lesada para controlar o sangramento, o inchaço e dor. Enquanto a parte ferida cicatriza manter a troficidade do restante do organismo.
Se houver um grande hematoma que não desaparece dentro de alguns dias, em alguns casos, pode ser necessário drená-lo cirurgicamente para acelerar a cicatrização.

Reabilitação da Contusão Muscular

Depois de alguns dias, a dor e a inflamação diminuem a iniciamos o processo de reabilitação. As atividades devem ser retomadas gradualmente.
O retorno precoce as atividades físicas pode provocar a formação de um maior quantidade de tecido cicatricial e levar a dores crônicas no local.

Na primeira fase de reabilitação, prescrever exercícios de alongamento suaves que começam a restaurar a amplitude de movimento para a área lesada.
Mais tarde, após a melhora da amplitude de movimento iniciar o fortalecimento muscular.
O retorno ao esporte está condicionado a ausência de dor, a recuperação plena do arco de movimento
O uso de orteses ou tensores pode ser prescritos durante um período

Complicações da Contusão Muscular

Duas complicações incluem síndrome compartimental e miosite ossificante.
Síndrome do Compartimento
Em certos casos, a hemorragia rápida pode causar edema extremamente dolorosa dentro do grupo de músculos do braço, da perna, do pé ou da nádega. O acúmulo de pressão de fluidos várias horas após uma lesão contusa pode interromper o fluxo de sangue e interromper a oxigenação adequada de um grupo muscular. Síndrome compartimental pode exigir cirurgia de urgência para drenar o excesso de líquidos e realizar uma fasciotomia que permite a descompressão muscular.
Miosite ossificante
Jovens atletas que tentam reabilitar uma contusão grave muito rapidamente, por vezes, desenvolver miosite ossificante. Esta é uma condição em que o ocorre calcificação do tecido neoformado Os sintomas dor e enrijecimento no local. Formações ósseas anormais também podem reduzir a sua flexibilidade. Exercícios de alongamento vigorosos podem piorar a condição.
Repouso, gelo, compressão e elevação para reduzir a inflamação geralmente irá ajudar. Exercícios leves de alongamento podem melhorar a flexibilidade. A cirurgia é raramente necessária.

Dr. Marcos Brito da Silva

Ortopedia, Traumatologia e Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ

Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Postagens mais visitadas deste blog

Quanto Custa Uma Cirurgia?

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Entorse do Tornozelo

Fratura do Antebraço

Fratura de tíbia - Diafisaria

Consolidação das Fraturas

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),

Arquivo

Mostrar mais