Fisioterapia após prótese de Ombro

Fases da fisioterapia e reabilitação após a artroplastia escápulo umeral - prótese de ombro ) 

Prótese parcial de ombro 
A substituição da cabeça do úmero por uma prótese metálica é uma cirurgia de grande porte e exigirá um esforço grande do paciente e do seu fisioterapeuta nas semanas seguintes a cirurgia para uma recuperação satisfatória. No início o paciente deve fazer repouso, porém nas semanas seguintes um programa intensa do fisioterapia por pelo menos 3 x por semana ajudará na recuperação do movimento. Fundamental a escolha de um fisioterapeuta com expertise nesse tipo de cirurgia pois para que a artroplastia tenha uma boa evolução é fundamental a consolidação das tuberosidades e a cicatrização dos tendões. Caso contrário o braço não irá funcionar. Nisso a papel do fisioterapeuta é fundamental pois a recuperação deve ser lenta e progressiva, o que exige um profissional experiente e bem orientado pelo ortopedista que realizou a cirurgia. O programa a seguir é o meu protocolo pessoal de reabilitação, seu ortopedista poderá seguir um padrão diferente.

Fase 0 - Reabilitação pós artroplastia de ombro entre a 1º e 2º semana após a cirurgia

‣ permitir a cicatrização dos tecidos manter a ferida seca por 15 dias
‣ objetivo: diminuir a dor e inflamação, crioterapia de 2/2 h
‣ braço permanece imobilizado em tipoia americana
‣ Iniciar mobilidade ativa da mão, dedos e cotovelo

Fase 1 - Reabilitação pós artroplastia de ombro entre a 3º e 6º semana após a cirurgia

‣ Manter mobilidade ativa da mão, dedos e cotovelo
‣ Na quarta semana realizamos um controle radiológico avaliar a consolidação das tuberosidades
‣ iniciar abdução passiva do braço a partir de 30º - 15 graus por semana para chegar na 6 semana com 90 graus.
‣ Retirar a tipoia somente para realizar a fisioterapia
‣ enquanto estiver deitado de costas, um pequeno travesseiro ou rolo de toalha deve ser colocado atrás do cotovelo para evitar a hiperextensão do ombro, o cotovelo não deve apoiar na cama. Isso pode dificultar a consolidação da pequena tuberosidade.
‣ Evitar o movimento ativo do ombro.
‣ Objetivos da recuperação:
-90º flexão
-70º abdução
-45º rotação externa no plano escapular
-50º rotação interna no plano escapular

Fase 2 - Reabilitação pós artroplastia de ombro entre a 7º e 12º semana após a cirurgia

‣ reabilitação ativa iniciada enfatizando elevação e rotação
‣ fisioterapeuta 3 vezes por semana - exercícios sozinho nos demais dias
‣ Somente após a consolidação das tuberosidades a mobilidade ativa será permitida em elevação e rotação interna
‣ começar a flexão ativa para elevação a frente do corpo, rotação interna, rotação externa e abdução sem provocar dor.
‣ exercícios de fortalecimento dos músculos da cintura escapular programa de alongamento progressivo
‣ desmame completo da tipoia iniciar isometria do manguito rotador e músculos periscapulares
‣ exerciçios de isometria da cintura escapular
‣ Objetivos de arco de movimento na fase 2
-130º Flexão no plano da escápula
- 70º Abdução
-30º rotação externa
-50º rotação interna no plano escapular (com abdução de 30 º)

Fase 3 - Reabilitação pós artroplastia de ombro entre a 13º e 16º semana após a cirurgia

‣ continuar fortalecimento conforme necessário, avance com o arco de movimento
‣ melhorar a biomecânica escapulo umeral
‣ fortalecimento muscular escapular (serratio e trapézio)
‣ alongamento mais agressivo se necessário
‣ theraband - concêntrico e excêntrico dentro de intervalos sem dor, todos os planos, pesos leves, aquaterapia conforme necessário
‣ fortalecimento progressivo supino da elevação ativa ( região anterior do deltóide ) com pesos leves (0,5-1,5 kg) em graus variáveis ​​de elevação
‣ Objetivos ROM:
-140º PROM flexão supina
-120º PROM abdução supina
-50º Rotação externa no plano escapular
-70º rotação interna no plano escapular (com abdução de 30º)
- Elevar ativamente o ombro contra a gravidade até pelo menos 120º
‣ maior recuperação de força
‣ restauração completa do arco de movimento

Fase 4 - Reabilitação pós artroplastia de ombro após a 17º semana de cirurgia

‣ manter arco de movimento não doloroso
‣ melhorar o uso funcional da extremidade superior
‣ Programa de exercícios caseiros 3 a 4 vezes por semana
‣ Manter um programa de fortalecimento progressivo
‣ Retorno gradual as atividades funcionais (moderadamente)
‣ Retorno aos passatempos / esportes recreativos: ou seja, jardinagem, golfe, duplas de tênis
Dr Marcos Britto da Silva
Ortopedista, Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 14/03/2018

Fratura 4 partes
desvio das tuberosidades
e angulação da cabeça
redução da tuberosidades













Comentários

Mais Lidos

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Consolidação das Fraturas

Vitamina D Pura DePURA

Lesão Meniscal no Joelho

Cirurgia para tratamento da Fratura de Tornozelo

Frio ou Calor

Postagens mais visitadas deste blog

Quanto Custa Uma Cirurgia?

Compressão do Nervo Ulnar no Cotovelo e Punho

Entorse do Tornozelo

Fratura do Antebraço

Fratura de tíbia - Diafisaria

Consolidação das Fraturas

Minha foto
MARCOS BRITTO DA SILVA
Brazil
- Médico Ortopedista Especialista em Traumatologia e Medicina Esportiva - Chefe do Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Hospital Pró-Cardíaco, - Professor Convidado da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, - Membro Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte | SBMEE, Médico do HUCFF-UFRJ, - International Affiliate Member of the AAOS - American Academy of Orthopaedic Surgeons - Membro da Câmara Técnica de Ortopedia e Traumatologia do CREMERJ, - Especialista em Cirurgia do Membro Superior pela Clinique Juvenet - Paris, - Professor da pós Graduação em Medicina do Instituto Carlos Chagas, - Professor Coordenador da Liga de Ortopedia e Medicina Esportiva dos alunos de Medicina da UFRJ, - Membro Titular da SBOT - ( Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), - Membro Titular da SBTO - ( Sociedade Brasileira de Trauma Ortopédico), - Mestre em Medicina pela Faculdade de Medicina da UFRJ - Internacional Member AO ALUMNI Association, - Internacional Member: The Fédération Internationale de Médecine du Sport,(FIMS)/International Federation of Sports Medicine (http://www.fims.org),

Arquivo

Mostrar mais