Dr. Marcos Britto da Silva - Ortopedista,Traumatologia e Medicina Esportiva: Ruptura do Tendão do Biceps Braquial

Ruptura do Tendão do Biceps Braquial

Lesão do Tendão do bíceps braquial no ombro ( Porção Longa do Bíceps PLB)
Anatomia
Descrição
Causas da ruptura da Porção longa do bíceps
Sintomas da Ruptura do tendão do bíceps
Exame ortopédico
Tratamento da ruptura da Porção Longa do Bíceps Braquial



Sinal do Popaie
Ruptura do Bíceps
O músculo bíceps está na frente do braço. Ele ajuda a dobrar o cotovelo e a girar o braço. Também ajuda a manter ombro estável. Tendões prendem os músculos aos ossos. O Tendão do bíceps anexa o músculo bíceps aos ossos no ombro e no cotovelo. Na ruptura o tendão do bíceps no ombro, o paciente perde um pouco da força no braço e pode ser incapaz de girar o antebraço com força e colocar a palma da mão para cima. Muitas pessoas podem conviver com tendão do bíceps rompido e apenas precisam de tratamentos simples para aliviar os sintomas. Outros necessitam de cirurgia para reparar o tendão rompido.
 
Anatomia
Existem dois tendões do bíceps na articulação do ombro uma porção curta ( cabeça curta do bíceps braquial) e porção longa ( cabeça longa do bíceps braquial).
A cabeça longa se insere no topo do soquete do ombro (glenóide). A cabeça curta se insere numa protuberancia óssea anterior da escápula chamado o processo coracóide.

Descrição
Lesões do tendão do bíceps podem ser parciais ou completas.

Em muitos casos, os tendões lesados começam por desgastar muito tempo antes e o paciente apresenta uma história prévia de dor no ombro, nos halterofilistas encontramos também o uso de anabolixantes. Como a progressão do dano, o tendão pode romper completamente, às vezes ao levantar um objeto pesado. A cabeça longa do tendão do bíceps é mais provável de ser lesado. Isso é porque ele é vulnerável à medida que viaja através da articulação do ombro ao seu ponto de fixação na glenoide. Felizmente, o bíceps tem dois pontos de fixação no ombro. A cabeça curta do bíceps raramente é lesada. Devido a esta segunda fixação, muitas pessoas ainda podem usar seus bíceps, mesmo depois de uma ruptura completa da cabeça longa. Quando o paciente rompe o tendão do bíceps,  também pode ocorrer lesão em outras partes do ombro, como os tendões do manguito rotador.

Causas da ruptura da Porção longa do bíceps
Quedas: Ao cair com um braço estendido ou levantar algo muito pesado, pode romper o  tendão do bíceps.
Uso excessivo: Muitas lesões são o resultado de um desgaste do tendão, essa degeneração ocorre lentamente ao longo do tempo. Isto, naturalmente, ocorre à medida que envelhecemos. Isso pode ser agravado pelo uso excessivo e movimentos repetitivos do ombro
O uso excessivo pode causar uma série de problemas no ombro, incluindo tendinite, síndrome do impacto e lesões do manguito rotador.

Fatores de Risco  
O risco de uma lesão do tendão aumenta com:  
Idade. Pessoas mais velhas têm mais anos de uso e desgaste em seus tendões que os jovens.
Atividades pesadas com os braços elevados. Excesso de carga durante musculação é um excelente exemplo deste risco. Alguns empregos exigem içamento pesado e podem provocar desgaste excessivo sobre os tendões.
 
Uso excessivo do ombro. Esportes com sobrecarga repetitiva - como a natação ou tênis - podem causar desgaste mais tendão e desgaste.
Fumar. Uso de nicotina pode afetar a nutrição no tendão.

Medicamentos corticosteróides. Uso crónico de Corticosteróides tem sido associada a fraqueza de
músculos e tendões.
 
Sintomas
Dor súbita e aguda no braço

Às vezes um pop audível 
Cólicas do músculo bíceps com o uso intenso do braço
Manchas negras ( equimoses) a partir do meio do braço em direção ao cotovelo
Dor ou sensibilidade no ombro e no cotovelo.
Fraqueza no ombro e no cotovelo
Dificuldades em virar a palma da mão para cima e para baixo
deformidade com um abaulamento anterior imediatamente acima do cotovelo (Sinal do Popeye)

Exame Ortopédico
História clínica e exame físico
Depois de discutir os sintomas e história médica, o ortopediststa irá examinar o ombro. O diagnóstico muitas vezes é óbvio para rupturas completas por causa da deformidade do músculo do braço (" Braço do Popeye").

Uma lesão tendão do bíceps se torna mais evidente através da contração do músculo ("Muscle Popeye").
Rupturas parciais são menos óbvias. Para diagnosticar uma ruptura parcial, o médico pode pedir-lhe para dobrar o braço e apertar o músculo bíceps. O bíceps também pode rasgar próximo ao cotovelo, embora isso seja menos comum. Uma lesão próxima ao cotovelo irá causar um "gap" na frente do cotovelo.

Exames de imagem

Radiografias. Embora as radiografias não consigam mostrar tecidos moles como o tendão do bíceps, eles podem ser úteis para descartar outros problemas que podem causar dor no ombro e cotovelo.


A ressonância magnética (RM). Esses exames criam melhores imagens dos tecidos moles e podem mostrar rupturas parciais e completas. 
 

Tratamento da Ruptura da Porção Longa do Bíceps
   
Tratamento não cirúrgico
Para muitas pessoas, a dor da ruptura do tendão da cabeça longa do bíceps resolve com o tempo. A fraqueza do braço é leve e a deformidade braço pode não incomodar alguns pacientes, principalmente os mais idosos e menos ativos.
Além disso, nos casos onde não há ruptura do manguito rotador o tratamento não cirúrgico é uma opção razoável. 
O tratamento inclui:
Gelo. Aplicar compressas frias por 20 minutos, várias vezes ao dia para diminuir o inchaço. Não aplique gelo diretamente sobre a pele.
 
Antiinflamatórios. Drogas antinflamatórias reduzem a dor e o inchaço ( edema) 
Descanso. Evitar atividades pesadas de elevação e sobrecarga para aliviar a dor e limitar o inchaço. muitas vezes recomendamos algum tipo de tipoia.  
Fisioterapia. Exercícios de flexibilidade e fortalecimento irão restaurar o movimento e fortalecer o ombro.

Pos op do paciente acima
Tratamento Cirúrgico
O Tratamento cirúrgico para uma ruptura do tendão da cabeça longa do bíceps é indicado somente em alguns casos. Entretanto, alguns pacientes que necessitam de recuperação completa da força, como atletas ou trabalhadores braçais, podem exigir cirurgia. A cirurgia também pode ser a opção ideal para aqueles com rupturas parciais cujos sintomas não são aliviados com tratamento não cirúrgico.


Procedimento. Vários novos procedimentos têm sido desenvolvidos que o reparo do tendão com incisões mínimas. O objetivo da cirurgia é a re-ancoragem do tendão lesado de volta para o osso. O ortopedista irá discutir com você as opções que são melhores para seu caso específico.


Complicações. Complicações com esta cirurgia são raras. Re-ruptura do tendão reparado é incomum.


Reabilitação. Após a cirurgia, o ombro pode ser imobilizada temporariamente com uma tipoia.

Certifique-se de seguir o plano de tratamento do seu ortopedista. Embora seja um processo lento, o seu compromisso com a terapia física é o fator mais importante no retorno a todas as atividades que você gosta.
Resultado cirúrgico. A Cirurgia bem sucedida pode corrigir a deformidade do músculo, retornar a força e a função do braço. 
Dr. Marcos Britto da Silva
Ortopedia, Traumatologia, Medicina do Esporte
Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
atualizado em 20/07/2013

24 comentários:

  1. BOA TARDE DR. MARCOS,

    SOU FISIOTERAPEUTA, MORO EM SALVADOR -BA. ESTAREI REALIZANDO UMA APRESENTAÇÃO NO RÓXIMO MÊS A RESPEITO DA TENODESE BICIPTAL. SE FOR POSSÍVEL, GOSTARIA QUE ME ENVIASSE ALGUM MATERIAL A RESPEITO DO ASSUNTO E PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO QUE TALVEZ ADOTE EM SEU SERVIÇO.

    DESDE JÁ AGRADEÇO SUA ATENÇÃO.
    JAMILYSILVA@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  2. BOA TARDE DR. MARCOS,

    SOU FISIOTERAPEUTA, MORO EM SALVADOR -BA. ESTAREI REALIZANDO UMA APRESENTAÇÃO NO PRÓXIMO MÊS A RESPEITO DA TENODESE BICIPTAL. SE FOR POSSÍVEL, GOSTARIA QUE ME ENVIASSE ALGUM MATERIAL A RESPEITO DO ASSUNTO E PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO QUE TALVEZ ADOTE EM SEU SERVIÇO.

    DESDE JÁ AGRADEÇO SUA ATENÇÃO.
    JAMILYSILVA@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  3. Não existe um protocolo fixo, depende do tipo de lesão, tempo decorrido até a tenodese, intensidade da retração pré op, idade do paciente, técnica e material utilizados para sutura e grau da tendinopatia no coto restante. Oriento individualmente todos os meus casos com uma abordagem personalizada caso a caso. Caso você leia inglês e tenha acesso a bibliotecas virtuais sugiro uma pesquisa no PUBMED sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  4. OBRIGADA DR. MARCOS BRITTO,

    JÁ HAVIA FEITO ESSA PESQUISA,DE QUALQUER MODO, AGRADEÇO A SUGESTÃO.

    ATT JAMILY

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde! Tive uma lesão que acredito ser da cabeça longa do bíceps.
    Tenho um histórico com o ombro. Fui atleta de ciclismo e tive um tombo onde tive sub luxação (faz uns 9 anos)
    De lá para cá, sempre tive uma diferença entre os ombros com relação à força, mas não me incomodava.
    Sou professora de musculação e massagista. Esses dias estava fazendo rosca direta com rotação lateral e de repente, senti como se tivesse soltando e rasgando o biceps e imediatamente perdi a força.
    Estou com o braço de popeye.Acredito que não tive comprometimento do manguito pois não tenho dor no ombro. Somente , em determinados movimentos sinto que o úmero raspa no acromio.
    No meu caso, acredito que o melhor é a cirurgia pois sou uma pessoa muito ativa .
    Neste caso, quanto tempo deverei ficar parada ???
    Agradeço se puder me ajudar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para determinar se seu caso precisa de cirurgia precisaria examiná-la

      Excluir
  6. Olá, estou com uma lesão na porção longa do biceps. Apesar de eu ser fisiculturista não machuquei fazendo malhação e sim fazendo jiu - jitsu. Meu maior medo é ter que fazer cirurgia, pois tenho tendência a queloide. Outro problema é que sempre machuco meu ombro dormindo de lado. Simplesmente não sei o que faço já tomei muito medicamento, anti-inflamatórios, corticosteroides etc. O Sr. pode me ajudar???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim , acredito que sim, quando tiver um tempo venha ao consultório.

      Excluir
  7. Dr. Boa tarde

    Inicialmente, parabéns pelo site e pelos claros artigos redigidos.

    Fui submetido a uma cirurgia, em 12/09/2012, de recolocação do tendão do biceps distal com duas âncoras na tuberosidade radial. Fiquei 5 semanas imobilizado e, após, iniciei o trabalho de fisioterapia.
    Após muita fisioterapia e com um trabalho de ganho de força (musculação gradativa - hoje estou pegando halter 5kg e de 15 em 15 dias aumento 1 kg), atualmente, consigo realizar a maioria das tarefas com um pouco de força e sem qualquer dor.
    Ainda sinto um pouco de insegurança para voltar a prática esportiva, como por ex: boxe e surf.
    A dúvida é a seguinte:
    Como a literatura médica prevê, na maioria dos casos, o prognóstico para esse tipo de lesão (ruptura do biceps distal)...supondo que ocorreu td bem na recuperação, o tendão teria mesma segurança/força que o tendão não lesionado ? O paciente teria que se afastar temporariamente ou definitivamente dos esportes que requeiram uma agilidade maior no bíceps, por ex: boxe, volei..., musculação. ?

    Abraços e fico grato desde já pela atenção.

    Rodrigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo a melhor pessoa para responder essa pergunta é o seu cirurgião, ele sabe a qualidade do tendão que foi reinserido.

      Excluir
  8. Olá Dr. Marcos, sou fisioterapeuta do trabalho, primeiramente parabéns pelo blog, creio que este ajuda muitas pessoas e principalmete profissionais da área da saúde.
    Gostaria de saber do senhor se na cirurgia para ruptura do tendão do bíceps braquial (porção longa), o tendão é fixado novamente no tubérculo supra-glenoidal e se caso não for feita a cirurgia há perda de movimentos?
    Desde já agradecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normalmente não, a reinserção é feita na região entre o subscapular o o supraespinal no úmero ( goteira bicipital) normalmente não ha perda de movimento

      Excluir
  9. Dr. Marcos, houve uma ruptura do meu tendão do bíceps complexo braquial.
    Eu perdi o movimento do braço. Gostaria de saber se com uma cirurgia eu conseguirei movimentar meu braço de novo?
    Desde já agradeço pela resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As lesões do Plexo Braquial causam perda de movimento, as lesões do tendão do bíceps provocam perda de força. Existem cirurgias de reinervação para lesões do plexo braquial que podem ajudar na recuperação dos movimentos, porém tem melhores resultados quando realizados nos primeiros 8 meses após a lesão.

      Excluir
  10. Dr Marcos!

    Recentemente sofri um acidente de carro onde a pressão exercida pelo cinto de segurança no meu ombro e Bicepis deixou um grande ematoma sendo que a região do bicepis na parte superior proximo ao ombro ficou funda fui ao medico e ele me orientou a fazer compressas de gelo, ja faz uma semana, eu percebi melhoras, pois o ematoma roxo sumiu, retornando a cor normal da minha pele, porem q região que havia ficado funda não retornou ao normal totalmente, e em determinados movimentos como esticar o braço para tras sinto uma pequena fisgada na região do bicepis, minha duvida é, qual o tempo de recuperação nesses casos tendo em vista que eu ja percebi alguma melhora e se eu devo procurar novamente o médico?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você deve verificar se ocorreu uma lesão muscular ou tendinosa

      Excluir
  11. Dr.marcos.a priori muito boa noite, estive navegando por curiosidade, ou, ate mesmo pelos esclarecimentos dispostos por Vossa Senhoria, o quão substancial e edificante foram. Pois bem,aproveitando a oportunidade,e,seu eminente conhecimento,e,o fato de eu labutar também na área como enfermeiro,gostaria de expor minha situação: hoje faz quatro semanas de submissão de uma; acromioplastia seguido de rompimento de supra-espinhoso com comprometimento de 70%, com bursectomia. Dr. infelizmente
    na alta hospitalar não pude contar com ajuda de terceiros,e, resolvi fazer minha volta para casa de ônibus, acontece que no trajeto, houveram momentos compactação provocando muita algia , sofri ate a outra manha pois os analgésicos não bastaram; contudo logo com repouso e os dias necessários com anti-inflamatórios tudo se restabeleceu. Contudo, ficaria muito grato se respaldado fosse sobre a possibilidade de uma possível falta de vascularização do trocanter umeral,e, quais métodos aconselhados quando do inicio fisioterapico , para colaborar com fortalecimento do conjunto, evitando e mitigando uma 2º recidiva dos tendões e necrose acromial,uma vez que tenho 54 anos.

    Cordialmente.
    Daniel Silas. com meus sinceros votos de felicidades para todos de seu convívio neste ano que se finda mas como também no que é breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O excesso de movimentos no pós operatório pode ser prejudicial a cirurgia, para evitar uma recidiva siga as orientações médicas.

      Excluir
  12. Recentemente sofri um acidente cai em cima do braço direito houve uma ruptura do meu tendãoe do suprecapular se nao fizer a cirurgia pode trazer alguns trauma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O subscapular ajuda na estabilidade do ombro e realiza a rotação interna, essas funções ficam prejudicadas quando o tendão se rompe.

      Excluir
  13. Boa noite Dr. Marcos Britto,

    Primeiramente, parabéns pelo site e pelos claros artigos redigidos.
    Sou de MANAUS-AM, tou com uma duvida, tou com uma rotura do cabo longo do bíceps, minha cirurgia ta marcado pra final de fevereiro ainda. NAO DOI. Gostaria de saber se posso malhar braço com esse problema? fico no aguardo URGENTE Dotor. anderson.kauany@hotmail.com, esse e meu email.
    Obrigado
    Anderson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adiar a cirurgia e movimentar ativamente o músculo aumenta o encurtamento do tendão e pode dificultar a cirurgia.

      Excluir
  14. boa noite eu ropeu o tendao do bicips dos dois braço e eu gostaria de saber a perca da força dos braço voltarom por que eu nao consigo lentar aprocimadamente 10kg nao foi feita nenhuma cirugia faz 5 meses que eu estorei

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ruptura bilateral simultânea é rara, pode estar associada ao uso de substancias anabolizantes.
      Sim ocorre perda de força nas lesões não reparadas pois o biceps é um importante flexor secundário do cotovelo.

      Excluir

ANTES DE POSTAR SEU COMENTÁRIO Leia SOBRE O BLOG
http://www.marcosbritto.com/p/blog-page.html
Somente os seguidores do Blog poderão postar comentários.
Não realizamos consultas pela internet!

Últimas Artigos Revisados ou Publicados

Vídeos com Aulas e entrevistas com Dr. Marcos Britto da Silva

Loading...

Video Artroscopia de Joelho - Meniscectomia

Video Luxação Acromio Clavicular no Ombro

Video de Reconstrução do LCA

Localize Artigos por data